Banner Portal
A Ilíada de Carlos Alberto Nunes
PDF

Palavras-chave

Ilíada
Homero
Carlos Alberto Nunes

Como Citar

CHANOCA, Tatiana. A Ilíada de Carlos Alberto Nunes. Phaos: Revista de Estudos Clássicos, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023002, 2023. DOI: 10.20396/phaos.v23i00.17548. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/phaos/article/view/17548. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

Este artigo busca refletir sobre tradução da Ilíada de Carlos Alberto Nunes para a língua portuguesa e de certa forma apresentar-lhe uma introdução. O estudo será guiado principalmente por textos do próprio tradutor a respeito de seu trabalho, com o objetivo de encontrar os motivos para a escolha da Ilíada, a visão que o tradutor tinha de Homero (e da própria Ilíada), como foi o processo tradutório e o que ele pretendia com a tradução.

https://doi.org/10.20396/phaos.v23i00.17548
PDF

Referências

ARISTÓTELES. Arte retórica. In: ______. Arte retórica e arte poética. Tradução de Antônio Pinto de Carvalho. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1985. p. 27-221 (Coleção Universidade de Bolso).

AUTENRIETH, Georg. A Homeric Dictionary. Translated by Robert P. Keep. New York: Harper & Brothers, 1895.

BAILLY, Anatole. Dictionnaire grec-français. Redigé avec le concours de E. Egger. Paris: Hachette, 1950.

CAMPOS, Haroldo de. Para transcriar a Ilíada. In: HOMERO. Mênis: a ira de Aquiles. Canto I da Ilíada de Homero. São Paulo: Nova Alexandria, 1994. p. 11-28.

CAMPOS, Haroldo de. Transcriar Homero: desafio e programa. In: HOMERO. Os nomes e os navios: Homero, Ilíada, II. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1999. p. 111-128.

EDWARDS, Mark W. The Iliad: A Commentary. Book 17-20. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. V.

frederico_lourenco_as_pessoas_tendem_a_querer_as_respostas_todas_da_biblia. Acesso em: 15 jan. 2017.

GONÇALVES, Rodrigo Tadeu. L’hexamètre au Brésil: la tradition de Carlos Alberto Nunes. Anabases, Toulouse, n. 20, p. 151-164, 2014.

HAINSWORTH, Bryan. The Iliad: A Commentary. Book 9-12. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. III.

HAVELOCK, Eric. A equação oralidade-cultura escrita: uma fórmula para a mente moderna. In: OLSON, David R.; TORRANCE, Nancy. (Org.) Cultura escrita e oralidade. Tradução de Valter Lellis Siqueira. São Paulo: Ática, 1995. p. 17-34.

HOMER. Homeri Opera in five volumes. Oxford: Oxford University Press, 1920.

HOMER. The Iliad. Editada, com aparato crítico, prefácio, notas e apêndices por Walter Leaf. Londres: Macmillan, 1900.

HOMERO. Ilíada. 4. ed. Tradução de Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Melhoramentos, 1964.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Atena, 1943.

JANKO, Richard. The Iliad: A Commentary. Book 13-16. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. IV.

KIRK, Geoffrey Stephen. The Iliad: A Commentary. Book 5-8. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. II.

KIRK, Geoffrey Stephen. The Iliad: A Commentary. Books 1-4. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. I.

KIRK, Geoffrey Stephen; RICHARDSON, Nicholas. The Iliad: A Commentary. Book 21-24. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. v. 6.

LARDINOIS. Modern Paroemiology and the Use of Gnomai in Homer's Iliad. Classical Philology, Chicago, v. 92, n. 3, p. 213-234, July, 1997.

LEAF, Walter. Commentary on the Iliad. London: Macmillan, 1900. Disponível em: http://www.perseus.tufts.edu/hopper/text?doc=Perseus:text:1999.04.0056:book=1:commline=1. Acesso em: 15 out. 2016.

LIDDELL, Henry George; SCOTT, Robert. Greek-English Lexicon. New York: Harper & Brothers, 1883.

LOURENÇO, Frederico. Frederico Lourenço: as pessoas tendem a querer as respostas todas da Bíblia. Entrevista concedida a Susana Moreira Marques. 2016. Disponível em: http://www.jornaldenegocios.pt/weekend/detalhe/

LOURENÇO, Frederico. Nota sobre a tradução da Odisseia. In: HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Penguin/Companhia das Letras, 2011. p. 107-109.

LOURENÇO, Frederico. Prefácio. In: HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. Lisboa: Quetzal Editores, 2018. p. 9-10.

MENDES, Manuel Odorico. Cartas de Odorico Mendes. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1989. (Coleção Afranio Peixoto, da Academia Brasileira de Letras, 13).

NUNES, Carlos Alberto. A questão homérica. In: HOMERO. Ilíada. 4. ed. Tradução de Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Melhoramentos, 1962. p. 5-39.

NUNES, Carlos Alberto. Ensaio sôbre a poesia épica. In: ______. Os brasileidas: epopeia nacional em nove cantos e um epílogo. São Paulo: Melhoramentos, 1962. p. 5-59.

NUNES, Carlos Alberto. Nota. In: HOMERO. Ilíada. Tradução de Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Atena, 1943. s.p.

NUNES, Carlos Alberto. Notas de um tradutor de Homero. Revista da Academia Paulista de Letras, São Paulo, ano XVI, n. 61, p. 141-170, dez. 1956.

NUNES, Carlos Alberto. Prefácio. In: HOMERO. Odisseia. 5. ed. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1997. p. 7-18. (Coleção Universidade de Bolso).

OLIVA NETO, João Angelo. Como Carlos Alberto Nunes veio a ser o primeiro tradutor lusófono a verter inteiras a Ilíada, a Odisseia e a Eneida em hexâmetro dactílico português. In: ______. Dos gêneros da poesia antiga e sua tradução em português. 2013. 262 f. Tese (Livre docência) – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. p. 206-223.

OLIVA NETO, João Angelo. O hexâmetro datílico de Carlos Alberto Nunes: teoria e repercussões. Revista Letras, Curitiba, n. 89, p. 187-204, jan./jun. 2014.

OLIVA NETO, João Angelo; NOGUEIRA, Érico. O hexâmetro dactílico vernáculo antes de Carlos Alberto Nunes. Scientia Traductionis, Florianópolis, n. 13, p. 295-311, 2013.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Phaos: Revista de Estudos Clássicos

Downloads

Não há dados estatísticos.