BNCC e a cultura maker

uma aproximação na área da matemática para o ensino fundamental

Autores

  • Ana Lucia Stella Digital no Colégio Visconde de Porto Seguro
  • Ana Paula Silva Figueiredo Universidade Estadual de Campinas
  • Damione Damito Sanches Sigalas Dameão da Silva Instituto Federal São Paulo
  • Mirela Campos do Amaral Universidade Estadual de Campinas
  • Welington Luis Sachetti Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza

Palavras-chave:

Cultura maker, BNCC, Matemática, Tecnologia e educação

Resumo

Este trabalho apresenta propostas de atividades docentes, com vistas à Cultura Maker relacionada à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a área de Matemática. Para tanto, apresenta conceitos da Cultura Maker, os quatro pilares da Educação para o Século XXI propostos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), as competências gerais da BNCC e as específicas da área de matemática. As análises de tais documentos permitiram elaborar, atreladas à cultura Maker, uma seleção de habilidades da área da matemática, em suas cinco unidades temáticas, propostas de trabalho possíveis de serem desenvolvidas por professores dessa área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Lucia Stella, Digital no Colégio Visconde de Porto Seguro

Mestra em Tecnologia na área de Tecnologia e Inovação na Faculdade de Tecnologia pela Universidade Estadual de Campinas. Professora de Letramento Digital no Colégio Visconde de Porto Seguro - Valinhos.

Ana Paula Silva Figueiredo, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda na Faculdade de Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora nas
engenharias e na licenciatura na Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), nas áreas de probabilidade e estatística, geoprocessamento e gestão. 

Damione Damito Sanches Sigalas Dameão da Silva, Instituto Federal São Paulo

Mestrando em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP). Professor do Instituto Federal São Paulo (IFSP), Campus Salto nas disciplinas de Infraestrutura de Redes e Projetos. 

Mirela Campos do Amaral, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda na Faculdade de Educação pela Universidade Estadual de Campinas.

Welington Luis Sachetti, Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza

Mestre em Educação. Especialista em Design Instrucional para EaD, Licenciado em Letras. Professor do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza .

Referências

AUTODESK. Tinkercad. 2018. Disponível em: . Acesso em: 09 maio 2018.

BERNARDO, K. O que são os Fab Labs, espaços de inovação que se espalham pelo país: Laboratórios digitais ajudam comunidades a desenvolver novos produtos. Entenda como eles funcionam. Nexo Jornal Ltda. [s. L.], 23 dez. 2015. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2015/12/23/O-que-são-os-Fab-Labsespaços-de-inovação-que-se-espalham-pelo-país. Acesso em: 1 maio 2018.

BERRY, R.Q., BULL, G., BROWNING, C., THOMAS, C.D., STARKWEATHER, K., AYLOR, J.H., “Use of digital fabrication to incorporate engineering design principles in elementary mathematics education”, Contemporary Issues in Technology and Teacher Education, Vol. 10, 2010. No. 2, pp. 167–172.

BEVAN, B., PETRICH, M., WILKINSON, K. (2014), “Tinkering is serious play”, Educational Leadership, Vol. 72 No. 4, pp. 28–33. BLIKSTEIN, P. Digital Fabrication and ’Making’ in Education: The Democratization of Invention. In J. Walter-Herrmann & C. Büching (Eds.), FabLabs: Of Machines, Makers and Inventors. Bielefeld: Transcript Publishers. 2013. Disponível em: https://tltl.stanford.edu/sites/default/files/files/documents/publications/Blikstein-2013- Making_The_Democratization_of_Invention.pdf. Acesso em: 17 abr. 2018.

BRASIL. MEC - Ministério da Educação (Org.). Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-deeducacao/base-nacional-comum-curricular-bncc. Acesso em: 17 abr. 2018. B

RASIL. MEC - Ministério da Educação (Org.). 2010. CADERNO CULTURA DIGITAL (BrasÍlia). Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Cíntia Inês Boll; José Ricardo Kreutz. CULTURA DIGITAL Série Cadernos Pedagógicos. BR. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Mais Educação SECAD-MEC. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=12 330-culturadigital-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 16 maio 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectiv as modalidades no âmbito da Educação Básica. Implantação da BNCC. Brasília, 22 dez. 2017b. p. 1-12. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 17 abr. 2018.

COHEN, J., HUPRICH, J., JONES, W. M., SMITH, S. Educators’ perceptions of a maker-based learning experience. International Journal of Information And Learning Technology, [s.l.], v. 34, n. 5, p.428-438, 6 nov. 2017. Emerald. http://dx.doi.org/10.1108/ijilt-06-2017-0050. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2018.

COLLINS, A., HALVERSON, R. (2009), “The Technology Enthusiasts’ Argument”, in Collins, A. and Halverson, R. (Eds.), Rethinking Education in the Age of Technology: The Digital Revolution and Schooling in America, Teachers College Press, New York, NY, pp. 9–29.

DOUGHERTY, D. (2012), “The Maker Movement”, Innovations: Technology, Governance, Globalization, Vol. 7 No. 3, pp. 11–14.

FERRAZ, Ana Paula do Carmo Marcheti; BELHOT, Renato Vairo. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, [s.l.], v. 17, n. 2, p.421- 431, 1 2010. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104- 530x2010000200015.

GOMES, M. Fab labs crescem no Brasil – e prometem ser valiosa ferramenta de inovação. Inovação – Revista Eletrônica de P,d&i., [s. L.], 12 jan. 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2018.

HALVERSON, E., SHERIDAN, K. (2014), “The maker movement in education”, Harvard Educational Review, Vol. 84 No. 4, pp. 495–505.

HIPPO KIDS GAMES. Supermercado engraçado: Compra da família. s/d. Disponível em: https://youtu.be/xuGxqdaB434. Acesso em: 18 jun. 2018.

HSU, Y.-C., BALDWIN, S., CHING, Y.-H. (2017), “Learning through Making and Maker Education”, TechTrends, TechTrends, available at:https://doi.org/10.1007/s11528-017- 0172-6.

KATSIO-LOUDIS, P., JONES, M. (2015), “Using computer-aided design software and 3D printers to improve spatial visualization”, Technology and Engineering Teacher, Vol. 74 No. 8, pp. 14–20.

LACEY, G. (2010), “3D printing brings designs to fife”, Tech Directions, pp. 17–19. MARTIN, L. (2015), “The promise of the maker movement for education”, Journal of Pre-College Engineering Education Research, Vol. 5 No. 1, pp. 30–39. Disponível em: https://docs.lib.purdue.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=https://www.google.com/&htt psredir=1&article=1099&context=jpeer. Acesso em: 11 Mai. 2018.

MIT Media Lab; Lifelong Kindergarten Group. Scratch. 2018. Disponível em: . Acesso em: 09 maio 2018. MOREIRA, Marinelva Almeida. Tabelas e gráficos das frutas favoritas dos alunos. 2014. IBGE Educa. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/og-do- professor/17747-texto-enviado-por-marinelva-almeida-moreira.html. Acesso em: 11 maio 2018.

OBAMA, B. (2014), “Presidential Proclamation - National Day of Making, 2014”, available at: https://www.whitehouse.gov/the-press-office/2014/06/17/presidential-proclamationnational-day-making-2014. Acesso em 18 abr. 2018.

OLIVER, K.M. (2016), “Professional development considerations for makerspace leaders, part one: Addressing ‘what?’ and ‘why?’”, TechTrends, Vol. 60 No. 2, pp. 160–166.

PAPAVLASOPOULOU, S., GIANNAKOS, M.N. e JACCHERI, L. (2017), “Empirical studies on the Maker Movement, a promising approach to learning: A literature review”, Entertainment Computing, Elsevier B.V., Vol. 18, pp. 57–78.

RAABE, André L. A. et al. Atividades Maker no Processo de Criação de Projetos por Estudantes do Ensino Básico para uma Feira de Ciências. In: V CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 2016, Uberlândia. Anais do XXII Workshop de Informática na Escola. Uberlândia, 2016. p. 181 - 190. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/6615. Acesso em: 19 abr. 2018.

RODRÍGUEZ, Y. G.; DOMÍNGUEZ, S. C. La influencia del espacio, la ciudad y la Cultura Maker en educación. Ardin. Arte, Diseño e Ingeniería, Madrid, v. 6, p.1-13, 2017. ISSN: 2254-8319. Disponível em: http://polired.upm.es/index.php/ardin/article/view/3588/3668. Acesso em: 18 abr. 2018.

SAFHALTER, A., BAKRACEVIC Vukman, K. and GLODEZ, S. (2016), “The effect of 3D-modeling training on students’ spatial reasoning relative to gender and grade”, Journal of Educational Computing Research, Vol. 54 No. 3, pp. 395–406.

THINKING, Escola Design. Manifesto Movimento Maker. 2015. Texto retirado e traduzido do livro The Maker Movement Manifesto: Rules for Innovation in the New World of Crafters, Hackers, and Tinkerers.. Disponível em: https://escoladesignthinking.echos.cc/blog/2015/11/manifesto-movimento-maker/. Acesso em: 18 abr. 2018.

UNESCO. The four pillars of learning. 2017. Disponível em: http://www.unesco.org/new/en/education/networks/global-networks/aspnet/aboutus/strategy/the-four-pillars-of-learning/. Acesso em: 18 abr. 2018.

UNESCO. Educação Um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 2010. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0010/001095/109590por.pdf. Acesso em: 12 Maio 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-05

Como Citar

STELLA, A. L. .; FIGUEIREDO, A. P. S. .; SILVA, D. D. S. S. D. da; AMARAL, M. C. do; SACHETTI, W. L. . BNCC e a cultura maker: uma aproximação na área da matemática para o ensino fundamental. Revista InovaEduc, Campinas, SP, n. 4, p. 1–37, 2021. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/inovaeduc/article/view/15182. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)