Banner Portal
Que educação ambiental desejamos? A educação que revele plenamente o ambiente
PDF

Palavras-chave

Educação ambiental. Modelos de ensino. Ensino de ciências.

Como Citar

AMARAL, I. A. do. Que educação ambiental desejamos? A educação que revele plenamente o ambiente. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 3, n. 1, 2013. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9183. Acesso em: 28 fev. 2024.

Resumo

Examinando-se a questão norteadora da mesa-redonda (“Que educação ambiental desejamos?”), reconhece-se a necessidade de definir previamente o que significa educação ambiental. Restringindo-se a reflexão ao contexto escolar e ao ensino de Ciências, chega-se à conclusão de que: todos os modelos de ensino carregam e transmitem uma concepção de ambiente; não é possível separar educação ambiental do processo educativo em geral; educação ambiental pode ser entendida como um movimento que visa retirar dos bastidores escolares as variadas noções relativas ao ambiente e à crise ambiental. Cada modelo de ensino realiza esta última tarefa diferenciadamente, de acordo com suas concepções não só de ambiente, mas também de ciência, educação e sociedade. Finalmente, pleiteia-se uma educação ambiental que se manifeste como crítica, emancipatória e interdisciplinar, seja no universo escolar ou fora dele, contribuindo para a plena compreensão das relações entre ser humano e restante da natureza e dos múltiplos e complexos determinantes da crise ambiental.
PDF

Referências

AMARAL, I. A. Educação Ambiental e ensino de Ciências: uma história de controvérsias. Pro-Posições, v. 12, n. 1(34), p. 73-93, mar. 2001.

AMARAL, I. A. A Educação Ambiental e o currículo escolar. Contestado e Educação (Revista Virtual) — UnC-Caçador, Caçador-SC: n. 6, out./dez. 2003.

AMARAL, I. A. Programas e ações de formação docente em educação ambiental. In: TAGLIEBER J. E.; SILVEIRA, A. F. (Org.). Pesquisa em Educação Ambiental: 8 pensamentos e reflexões de pesquisadores em educação ambiental. Pelotas-RS: UFPel, 2004. p. 145-168.

BRÜGGER, P. Educação ou adestramento ambiental. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1994.

GIROUX, H. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1987. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 20).

GIROUX, H. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. Campinas-SP: Papirus, 1995.

HANNOUN, H. El Niño conquista el medio. Buenos Aires: Kapelusz, 1977.

LIBÃNEO, J. C. Democratização da escola pública. São Paulo: Loyola, 1984.

MANFREDI, S. Política: educação popular. São Paulo: Símbolo, 1978.

MC LAREN, P. A vida nas escolas: pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MIZUKAMI, M. G. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1989. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 5).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 40).

Apesar do periódico ser de acesso aberto, utilizando a Licença Creative Commons, os direitos autorais dos trabalhos submetidos são de exclusividade da revista.

Downloads

Não há dados estatísticos.