Que educação ambiental desejamos? A educação que revele plenamente o ambiente

Autores

  • Ivan Amorosino do Amaral Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Educação ambiental. Modelos de ensino. Ensino de ciências.

Resumo

Examinando-se a questão norteadora da mesa-redonda (“Que educação ambiental desejamos?”), reconhece-se a necessidade de definir previamente o que significa educação ambiental. Restringindo-se a reflexão ao contexto escolar e ao ensino de Ciências, chega-se à conclusão de que: todos os modelos de ensino carregam e transmitem uma concepção de ambiente; não é possível separar educação ambiental do processo educativo em geral; educação ambiental pode ser entendida como um movimento que visa retirar dos bastidores escolares as variadas noções relativas ao ambiente e à crise ambiental. Cada modelo de ensino realiza esta última tarefa diferenciadamente, de acordo com suas concepções não só de ambiente, mas também de ciência, educação e sociedade. Finalmente, pleiteia-se uma educação ambiental que se manifeste como crítica, emancipatória e interdisciplinar, seja no universo escolar ou fora dele, contribuindo para a plena compreensão das relações entre ser humano e restante da natureza e dos múltiplos e complexos determinantes da crise ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Amorosino do Amaral, Universidade Estadual de Campinas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas

Referências

AMARAL, I. A. Educação Ambiental e ensino de Ciências: uma história de controvérsias. Pro-Posições, v. 12, n. 1(34), p. 73-93, mar. 2001.

AMARAL, I. A. A Educação Ambiental e o currículo escolar. Contestado e Educação (Revista Virtual) — UnC-Caçador, Caçador-SC: n. 6, out./dez. 2003.

AMARAL, I. A. Programas e ações de formação docente em educação ambiental. In: TAGLIEBER J. E.; SILVEIRA, A. F. (Org.). Pesquisa em Educação Ambiental: 8 pensamentos e reflexões de pesquisadores em educação ambiental. Pelotas-RS: UFPel, 2004. p. 145-168.

BRÜGGER, P. Educação ou adestramento ambiental. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1994.

GIROUX, H. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1987. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 20).

GIROUX, H. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. Campinas-SP: Papirus, 1995.

HANNOUN, H. El Niño conquista el medio. Buenos Aires: Kapelusz, 1977.

LIBÃNEO, J. C. Democratização da escola pública. São Paulo: Loyola, 1984.

MANFREDI, S. Política: educação popular. São Paulo: Símbolo, 1978.

MC LAREN, P. A vida nas escolas: pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MIZUKAMI, M. G. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1989. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 5).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991. (Coleção Polêmicas do nosso tempo, n. 40).

Downloads

Publicado

2013-01-31

Como Citar

AMARAL, I. A. do. Que educação ambiental desejamos? A educação que revele plenamente o ambiente. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 3, n. 1, 2013. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9183. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)