Banner Portal
O sopro das imagens também vem de dentro
PDF

Palavras-chave

Sobrevivência
Radioatividade
História da arte
Emanações da imagem
Fukushima.

Como Citar

RAMOS, Ícaro Moreno. O sopro das imagens também vem de dentro. Revista Visuais, Campinas, SP, v. 4, n. 6, p. 3–12, 2018. DOI: 10.20396/visuais.v4i6.12112. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/12112. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O presente texto aborda a exposição “Don’t follow the wind”, montada dentro da zona de exclusão do desastre nuclear de Fukushima, a partir de um diálogo com os conceitos warburguianos de “brisa imaginária” e de “sobrevivência”. O tema dos ventos é o promotor da co-incidência entre o trabalho em Fukushima e a teoria warburguiana, aqui conduzida pelo historiador de arte francês Georges Didi-Huberman. A hipótese trazida é a de que as obras da exposição carregam consigo um duplo emanar: por um lado, estão saturadas da radiação que as têm trespassado por anos; por outro, transportam a herança imagética das obras de arte numa cultura pós-nuclear - em que o perigo de um fim último sempre nos ronda.

https://doi.org/10.20396/visuais.v4i6.12112
PDF

Referências

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

DIDI-HUBERMAN. Georges. Ninfa Fluida. Essai sur le drapé-désir. Paris: Gallimard, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 2010.

DON’T FOLLOW THE WIND. Disponível em: www.dontfollowthewind.info. Acesso em: 6 jul. 2017.

DON’T FOLLOW THE WIND – a walk in Fukushima. Disponível em: https://youtu.be/Z4pfNqFWvBM. Acesso em: 27 fev. 2018.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O olho e o espírito. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

NANCY,Jean-Luc. After Fukushima: the equivalence of catastrophes. New York: Fordham University Press, 2015. Referênciasemmeioseletrônicos

TEZUKA, Miwako. Don’t follow the wind: chim↑pom and the creation of a collective imaginary. Disponível em: http://field-journal.com/issue-7/dont-follow-the-wind-chimpom-and-the-creation-of-a-collective-imaginary. Acesso em: 13 maio 2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.