Ensaismo e utopia em um fotofilme de Chris Marker

Autores

  • Érico Elias Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Fotofilmes, Leitura polissêmica.

Resumo

Os fotofilmes são filmes realizados a partir de imagens fotográficas ou nos quais a fotografia tem presença preponderante. O fotógrafo e realizador francês Chris Marker foi pioneiro nas experimentações com o formato, a partir da década de 1960. O presente artigo retoma o contexto no qual surgiu o conceito de “filme de ensaio” e o relaciona ao fotofilme Si J’Avais 4 Dromadaires (1966), de Marker. Pretende-se demonstrar o que ocorre com um conjunto de fotografias quando transposto ao formato fílmico, em que cada imagem passa a ter uma duração determinada e fica submetida ao encadeamento imposto pela montagem. No caso do fotofilme de Marker, o comentário em voz over é usado de maneira inovadora, na forma de um diálogo entre amigos, o que confere uma leitura polissêmica das fotografias exibidas.

Biografia do Autor

Érico Elias, Universidade Estadual de Campinas

Graduação em Jornalismo (2002) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Mestrado em Artes (2009) e Doutorado (desde 2012) em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ADORNO, Theodor W. The essay as form. In: Notes to literature, Nova York: Columbia University Press, 1991. v.1

ALTER, Nora. Memory essays. In: BIEMANN, Ursula (Ed.). Stuff it: the video essay in the digital age. Zurique: Edition Voldemeer, 2003.

________. Translating the essay into film and installation. In: Journal of visual culture, v.6 [http://vcu.sagepub.com]. Los Angeles: 2007.

ASTRUC, Alexandre. O nascimento de uma nova vanguarda: a caméra-stylo. L’Écran français, n. 144. Paris: 1948. Versão em português traduzida por Matheus Cartaxo, disponível em http://www.focorevistadecinema.com.br/ FOCO4/stylo.htm.

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 1980.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacres et simulation. Paris: Galilée, 1981.

BAZIN, André. Bazin on Marker. Film comment 39, n.4 (julho/agosto), 2003.

BELLOUR, Raymond. L’entre images 2: mots, images. Paris: P.O.L, 1999.

CORRIGAN, Thimoty. The essay film: from Montaigne after Marker. Nova York: Oxford University Press, 2011.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. São Paulo: Contraponto, 2002.

DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico e outros ensaios. Campinas: Papirus, 2008.

FLUSSER, Vilem. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

LUPTON, Catherine. Chris Marker: memories of the future. Londres: Reaktion Books, 2005.

MARKER, Chris. Commentaires. Paris: Editions du Seuil, 1961.

________. Commentaires 2. Paris: Editions du Seuil, 1967.

MONTAIGNE, Michel de. Essais. Paris: Pocket, 2009.

RASCAROLI, Laura. The essay film: problems, definitions, textual commitments. Framework, n. 2. Detroit: Wayne State University Press, 2008.

RICHTER, Hans. Der Filmessay: eine neue Form des Dokumentarfilms [1940]. In: BLÜMLINGER, C., WULDD, C. (Eds.). Schreiben bilder sprechen: texte zum essayistischen film. Viena: Sonderzahl, 1992. Excertos traduzidos para o inglês disponíveis em http://www.unc.edu/courses/2007spring/germ/060/001/
readings.html.

ROUD, Richard. A margem esquerda [1962]. In: Chris Marker bricoleur multimídia. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2009.

SADOUL, Georges. A história do cinema mundial. Lisboa: Horizonte, 1983.

Downloads

Publicado

2014-06-30

Como Citar

Elias, Érico . (2014). Ensaismo e utopia em um fotofilme de Chris Marker. Studium, (36), 150–171. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/studium/article/view/12545

Edição

Seção

Artigos