Banner Portal
Projeto Familiarizando na UNICAMP
PDF

Palavras-chave

Família. Dependência Química. Codependência. Acolhimento. Recuperação

Como Citar

FERREIRA, Petra; CESARIO, Selma Aparecida da Silva; BUENO, Erika Aparecida; RODRIGUES, Natascha Oliveira; SILVA, Ana Paula Aquino; BORGES, Dirce Aurelia. Projeto Familiarizando na UNICAMP. Revista Saberes Universitários, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 50–56, 2017. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/saberes/article/view/7869. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

O Projeto Familiarizando é destinado a famílias dos servidores atendidas no Programa de Atenção a Dependência Química, ou servidores que têm adictos em seu núcleo familiar e têm como objetivo propiciar informações à família sobre as questões sociais e psicológicas, visando à autonomia de sua vida e o enfrentamento junto à doença do dependente químico. O projeto propicia acolhimento individual e ou/grupo, auxiliando as famílias em suas dificuldades sobre como lidar com a questão da dependência química; ampliando sua rede de apoio, oferecendo subsídios necessários no sentido de habilitá-la a conviver adequadamente com a doença do funcionário e também cuidar da doença já instalada em si mesma: a codependência. Os acolhimentos acontecem em dois módulos, sendo executados por uma assistente social, uma psicóloga e uma estagiária de serviço social e são realizados através de entrevista semiestruturada, oficinas, palestras, rodas de conversas e trocas de saberes entre os membros e profissionais, porém em nenhum dos casos é descartado o encaminhamento para terapia, quando observada a necessidade. Desde a sua implantação em agosto de 2012 até o momento, foram atendidas 38 famílias e realizados 189 encontros. Observamos boa receptividade, sobretudo no que tange a proposta de reconstrução das relações familiares, afetivas e sociais. É necessário que a família tenha conhecimento de como agir assertivamente com aquele que se encontra em processo de recuperação. Sua atuação é importante no sentido de ajudá-lo a mudar de vida, mostrando que é possível viver de forma digna, saudável e prazerosa.

PDF

Referências

BRASIL, Ministério da Saúde. Relatório do seminário sobre o atendimento aos usuários de álcool e outras drogas na rede do SUS: caderno de textos de apoio da III Conferência Nacional de Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

BRASIL. Política Nacional de Assistência Social. Resolução nº 145, de 15 de outubro de 2004, 41 p. Diário Oficial da União, 28 out. 2004.

CESÁRIO, Selma A.; FERREIRA, Petra; FERREIRA, Camila C. A trajetória do serviço social no atendimento aos funcionários da UNICAMP. In: CONGRESSO DOS PROFISSIONAIS DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS DE SÃO PAULO, 1., 2011, São Paulo. Resumos eletrônicos... Campinas, SP: GGBS/UNICAMP; São Paulo, SP: UNESP, 2011. Disponível em: <http://sistemas.rei.UNICAMP.br/ggbs/conpuesp/posteres/

pdf>. Acesso em: 15 maio 2014.

GANEV, Eliane. Reinserção social: processo que implica continuidade e cooperação. Serviço Social & Saúde, Campinas, v. 10, n.11, jul. 2011.

KALOUSTIAN, S. M. (Org.). Família Brasileira: a base de tudo. 3. ed. São Paulo, SP: Cortez, 1998. 24 p.

SCHENKER, M. ; MINAYO, M.C.S. A implicação da família no uso abusivo de drogas: uma revisão crítica. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.299-306, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csc/v8n1/a22v08n1.pdf.> Acesso em: 3 jun. 2012.

SCHENKER, M.; MINAYO, M.C.S. A importância da família no tratamento do uso abusivo de drogas: uma revisão da literatura. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n.3, p., maio/jun. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csp/v20n3/02.pdf>. Acesso em: 3 jun. 2012.

Creative Commons License
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não comerciais. Sendo utilizados dados ou o artigo completo para outros fins, o autor deverá solicitar por escrito autorização ao editor para tais fins.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.