Banner Portal
Análise do conceito de “jeitinho brasileiro” como mecanismo de proveito e suas desvantagens sociais
PDF

Palavras-chave

Jeitinho brasileiro. Traços culturais. Cultura organizacional

Como Citar

SOUZA, Melissa Cristina Forato; FERREIRA, Gisele Nepomuceno. Análise do conceito de “jeitinho brasileiro” como mecanismo de proveito e suas desvantagens sociais. Revista Saberes Universitários, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 47–64, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/saberes/article/view/7221. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este artigo trata de um traço cultural brasileiro conhecido como “jeitinho brasileiro” ou simplesmente “jeitinho” e de sua interface com a Administração Pública. O objetivo foi o de confrontar as visões de diferentes autores que já trataram do assunto e procurar entender se o jeitinho poderia ser considerado uma saída válida e aceitável para resolução de problemas dentro da Gestão Pública ou se, pelo contrário, poderia configurar-se como uma violação de um dos princípios da Administração Pública, o da impessoalidade. Foi realizado levantamento da literatura existente nas bases de dados do Portal Periódicos Capes, SciELO, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), tendo sido aplicados os seguintes descritores: “jeitinho brasileiro”, “traços culturais”, “formalismo”. Alguns pontos positivos foram apontados pelos autores como relacionados à prática do jeitinho, tais como flexibilidade, criatividade, entre outros. Também alguns fatores negativos foram levantados, como a falta de objetividade e o caráter individualista do jeitinho. De uma forma geral, entendeu-se que o jeitinho pode ser considerado um produto do formalismo e, quando aplicado como mecanismo de resolução de problemas, pode caracterizar violação do princípio da impessoalidade, bem como pode encobrir a raiz dos problemas, uma vez que se ocupa de resolver situações pontuais.

PDF

Creative Commons License
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não comerciais. Sendo utilizados dados ou o artigo completo para outros fins, o autor deverá solicitar por escrito autorização ao editor para tais fins.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.