Banner Portal
Imagem dos intelectuais no século XXI: as dificuldades de entender seu papel social na sociedade contemporânea
PDF

Palavras-chave

Intelectuais. Sociedade contemporânea. Papel social. Século XXI.

Como Citar

FABIEN, Jean. Imagem dos intelectuais no século XXI: as dificuldades de entender seu papel social na sociedade contemporânea. Revista Saberes Universitários, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 14–31, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/saberes/article/view/6944. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

Este trabalho, ao traduzir uma preocupação intelectual e nascer num único objetivo, o de compreender o que é um Intelectual hoje e seu papel na sociedade contemporânea, tem por finalidade  mostrar o caráter ambíguo e híbrido do intelectual hoje. Este objetivo está acompanhado de algumas questões: quem podemos chamar, sem risco de se enganar, de intelectual nas sociedades pós-modernas cheias de contradições, de controversas e de problemáticas? O que hoje define um intelectual: engajamento à causa universal e humanitária, a uma causa social e política dos mais pobres, exibição e shows midiáticos, servir uma classe dominante e reproduzir seus valores em detrimento dos explorados, se consagrar a escrever livros e artigos, fazer pesquisas? O papel da sociologia é compreender, interpretar, conceitualizar, teorizar e problematizar as dinâmicas dos fenômenos sociais dos quais o surgimento dos intelectuais faz parte. Assim, sendo uma reflexão sobre o estatuto e a função social dos intelectuais, este artigo pretende discutir a imagem que projetam os intelectuais hoje no século XXI, problematizar seu papel e seu lugar na sociedade assim como as relações que se mantêm entre eles e as mídias levando em conta todo seu poder de divulgação, de propaganda, de exibição e de visibilidade.

PDF

Referências

BARROS, Jefferson. Função dos intelectuais numa sociedade de classe. Porto Alegre: Movimento, 1977.

BOURDIEU, Pierre. Sur la télévision suivi de l´emprise du journalisme. Paris: Raisons d´agir, 1996.

BOURDIEU, Pierre; WACQUANT. Loïc. Réponses. Paris: Seuil, 1992.

BOUDIN, Louis. Os intelectuais: que sais-je . Tradução de Maria do Carmo Pizarro. Lisboa: Acadia, 1971.

CASANOVA, Antoine; METZGER, Joë; PREVOST, Claude. Les intelletuels et les luttes de classes. Paris: Sociales, 1970.

CHARLE, Christophe. La naissance des intellectuels . Paris: Minuit, 1990.

COLIN, Pierre. Intellectuels chrétiens et esprit des années 20. Paris: Cerf, 1997.

COMISSÃO Gulbenkian. Para abrir as ciências sociais. São Paulo: Cortez, 1996.

D´APPOLONIA, Ariane Chebd. Histoire politique des intellectuels en France (1944-1954). Tome 1. Bruxelles: Complexes, 1991.

DURKHEIM, Émile. L´individualisme et les intelectuels. [S.I.]. Version électronique, p. 7-13. 1898. Disponível em: http://classiques.uqac.ca/classiques/Durkheim_emile/sc_soc_et_action/texte_3_10/individualisme.pdf. Acesso em: 28 nov. 2015.

FINK, Léon; LEONARD, T. Stephen; REID, M. Donald. Intellectuals and public life: between radicalism and reform. New York: Cornell University Press, 1996.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 2. ed. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1978.

LÖWY, Michael. Para uma sociologia dos intelectuais revolucionários: A evolução política de Lucács (1909-1929). Tradução de Heloísa Helena A. Mello et al. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

LECLERC, Gérard. Sociologia dos intelectuais. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

MOHRT, Michel. Les intellectuels devant la défaite de 1870. Paris: Corrêa, 1942.

MOREIRA, Antônio Flavio et al. (Org.). Para quem pesquisamos? Para quem escrevemos? o impasse dos intelectuais. São Paulo: Cortez, 2001.

NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia de Letras, 2006.

RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean-François. La guerre d´Algérie et les intellectuels français. Bruxelles: Complexes, 1991.

SARTRE, Jean-Paul. Qu´est-ce que la litterature. Paris: Gallimard, 1948.

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. Paris: Ática, 1994.

TILLY, Charles. Regimes and repertoires. Chicago: University of Chicago Press, 2006.

TARROW, Sidney; TILLY, Charles. Contentious politics. London: Paradigm, 2007.

TARROW, Sidney; TILLY, Charles. Politique (s) du conflit. Paris: Presses de Sciences Po, 2008.

TOURAINE, Alain. O intelectual é um fracassado: a importância de seu papel e da sua luta contra o poder e as ideologias. In:______. Cartas a uma jovem sociológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

WINOCK, Michel. Le siècle des intellectuels. Paris: Seuil, 1997.

WINOCK, Michel. L´affaire Dreyfus. Paris: Seuil, 1998.

WINOCK, Michel. La trahison de Munich: Emmanuel Mounier et la grande débâcle des intellectuels. Paris: CNRS, 2008.

WINOCK, Michel. « Esprit » Des intellectuels dans la cité (1930-1950). Paris: Seuil, 1996.

Creative Commons License
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não comerciais. Sendo utilizados dados ou o artigo completo para outros fins, o autor deverá solicitar por escrito autorização ao editor para tais fins.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.