Os itinerários formativos da educação secundária nos contextos sueco e espanhol e a educação profissionalizante

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbec.v3i00.14743

Palavras-chave:

Educação profissional, Educação comparada, Políticas educacionais

Resumo

Este artigo analisa as opções de Educação Profissional de nível médio que os sistemas de educação básica da Suécia e da Espanha oferecem para os seus jovens para, ao final, tecer algumas considerações comparativas com a realidade da Educação Profissional de nível médio existente no Brasil. Consideramos relevante comparar esses dois sistemas de Educação Profissional de nível médio, pois o exercício da comparação nos mostra as principais semelhanças e diferenças entre tais sistemas e a realidade educacional brasileira no que se refere à Educação Profissional de nível médio. A metodologia adotada foi baseada nos estudos e conceitos provenientes da área da Educação Comparada e Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos da Fonseca Brandão, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Pós-doutor pela Universidad Autónoma de Barcelona - UAB  pela Universitat Rovira I Virgili  e pela Uppsala Universitet. Professor adjunto da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Referências

Bray, M., Adamson, B. & Mason, M. (2015). Modelos diferentes, ênfases diferentes, discernimentos diferentes. In: Bray, M., Adamson, B. & Mason, M. (Orgs.). Pesquisa em educação comparada: abordagens e métodos (pp. 457-476). Brasília: Liber Livro.

Broadfoot, P. (2000). Comparative Education for the 21st century: retrospect and prospect. Comparative Education, 36 (3), 357-371. https://doi.org/10.1080/03050060050129036.

Broadfoot, P. (2012). Tempos de revolução científica? Da educação comparada à ciência comparada de aprendizagem. In: Cowen, R., Kazamias, A. & Unterhalter, E. (Orgs.). Educação comparada: panorama internacional e perspectivas (pp. 717-738). Brasília: UNESCO/CAPES, (2).

Carvalho, E. J. G. (2014). Estudos Comparados em Educação: novos enfoques teórico-metodológicos. Acta Scientiarum, 36 (1), 129-141. https://doi.org/10.4025/actascieduc.v36i1.19012.

Cook, B., Hite, S. & Epstein, E. (1998). Discerning Trends, Contours and Boundaries in Comparative Education: survey of comparativists and their literature. Comparative Education Review, (48), 123-149. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/10.1086/382619. Acesso em 06 jan. 2021.

Cowen, R. (2000). Comparing Futures or Comparing Pasts? Comparative Education, (36), 333-342.

Franco, M. A. C. (1992). Estudos Comparados em Educação na América Latina: uma discussão teórico-metodológica a partir da questão do outro. In: Puiggrós, A., Bertussi, G. T. & Franco, M. A. C. (Orgs.). Estudos Comparados e Educação na América Latina. São Paulo: Livros do Tatu/Cortez.

Halls, W. D. (1990). Trends and Issues in Comparative Education. In: Halls, W. D. (Org.). Comparative Education: contemporary issues and trends. London: Jessica Kingsley Publishers.

Kaloyannaki, P. & Kazamias, A. (2012). Os primórdios modernistas da educação comparada: o tema protocientífico e administrativo reformista-meliorista. In: Cowen, R., Kazamias, A. & Unterhalter, E. (Orgs.). Educação comparada: panorama internacional e perspectivas. (pp. 25-80). Brasília: UNESCO/CAPES, (1).

Kandel, I. L. (1933). Studies in Comparative Education. Boston: Houghton Mifflin Company.

King, E. (1965). The Purpose of Comparative Education. Comparative Education, 3 (1), 147-159. https://doi.org/10.1080/0305006650010302.

Lima, L. C. V. S. & Afonso, A. J. G. (2002). Democratização, modernização e neoliberalismo. Porto: Edições Afrontamento.

Lourenço Filho, M. B. (2004). Educação Comparada. 3. ed. Brasília: MEC/Inep.

Makuwira, J. & Ninnes, P. (2004). Post-Development Theory and Comparative Education. In: Ninnes, P. & Mehta, S. (Orgs.). Re-Imagining Comparative Education: postfoundational ideas and applications for critical times. New York; London: RoutledgeFalmer.

Phillips, D. & Ochs, K. (2003). Processes of Policy Borrowing in Education: some explanatory and analytical devices. Comparative Education, 39 (4), 451-461. https://doi.org/10.1080/0305006032000162020

Ragin, C. (1987). The Comparative Method: moving beyond qualitative and quantitative strategies. Berkeley: University of California Press.

Sadler, M. (1900). How can we learn anything of practical value from the study of foreign systems of education? Comparative Education Review, 7 (3), 307-314 [Reimpresso em 1964].

Steiner-Khamsi, G. (2004). The Global Politics of Educational Borrowing and Lending. New York: Teachers College Press.

Wikander, L. (2010). The Educational System in Sweden: from a uniform towards a dual model. Pedagogisk Forskning I Uppsala, 158, 5-42.

Downloads

Publicado

2021-06-29

Como Citar

BRANDÃO, C. da F. . Os itinerários formativos da educação secundária nos contextos sueco e espanhol e a educação profissionalizante. RBEC: Revista Brasileira de Educação Comparada, Campinas, SP, v. 3, n. 00, p. e21009, 2021. DOI: 10.20396/rbec.v3i00.14743. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rbec/article/view/14743. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê