Banner Portal
Magae Romae: as feiticeiras na literatura latina
PDF

Palavras-chave

Magia. Roma. Literatura Latina. Feiticeiras.

Como Citar

GOUVÊA, Márcio. Magae Romae: as feiticeiras na literatura latina. Phaos: Revista de Estudos Clássicos, Campinas, SP, n. 11, 2013. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/phaos/article/view/9485. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Na Roma antiga, a difusão da prática da magia foi um fenômeno decorrente do expansionismo político e territorial, ocorrido a partir do séc. III a.C. Graças ao contato com as mesmas fontes que influenciaram as crenças helenísticas na magia, sua prática logo se difundiu no supersticioso solo latino. Coincidentemente, a própria literatura latina teve sua origem e o início de seu desenvolvimento no mesmo período, razão pela qual os registros literários são fontes diretas e legítimas para a compreensão da forma como a feitiçaria foi recepcionada e tratada pela sociedade latina, desde seus primórdios até o advento do cristianismo. 

PDF

Referências

BRAUNER, Paula. Um olhar sobre a magia no Epodo V de Horácio. Calíope – Presença Clássica. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras. Rio de Janeiro, 2005. p. 118-124.

DICKIE, Matthew. Magic and Magicians in the Greco-Roman World. Ed. Rutledge. London. 2003.

GRAF, Fritz. Theories of Magic in Antiquity. In: MIRECKI, Paul; MEYER, Marvin (ed.). Magic and Ritual in the Ancient World. Leiden: Brill, 2002. p. 93-104.

HENRY, R.M. Medea and Dido. The Classical Review. Cambridge, MA, v. 44, No. 3, p 97-108, 1930.

JANOWITZ, Naomi. Magic in Roman World – Pagans, Jews and Christians. London: Rutledge, 2001.

Al someter textos a PhaoS, sus autores deben ser conscientes de que, si se aprueban para publicación, la revista tendrá sobre ellos todos los derechos de autor pertinentes. Los originales no se devolver. La revista adopta la Licencia de Creative Commons internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.