Banner Portal
Linguagem poética e técnica no De re rustica de Columela
PDF

Palavras-chave

Literatura agrária romana. De re rustica. poesia didática. Tratado técnico.

Como Citar

SANTOS, Gilson José. Linguagem poética e técnica no De re rustica de Columela. Phaos: Revista de Estudos Clássicos, Campinas, SP, n. 15, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/phaos/article/view/9456. Acesso em: 26 maio. 2024.

Resumo

Neste artigo, estudamos, crítica e comparativamente, dois livros (X-XI) do De re rustica – tratado técnico sobre a atividade rural em Roma antiga –, de Lúcio Moderato Columela (agrônomo romano do séc. I d.C.), do ponto de vista da construção dos textos, dos significados particulares do caráter de ensinamento e da abordagem de temas vários vinculados à organização do conteúdo instrucional. O ponto de partida do estudo é a conexão temático-intertextual entre eles. O livro X, sobre a horticultura, é um poema didático idealizado como uma espécie de complemento às Geórgicas IV (sobre a apicultura) de Virgílio. Esse livro, por ser o único no conjunto do De re rustica a ter sido escrito em versos, ocupa lugar especial na obra; além disso, ele é reescrito em prosa, no capítulo 3 do livro subsequente (XI), gerando assim uma versão genericamente distinta (tratado técnico) do poema. Tal reformulação teve por objetivo completar a unidade semântico-formal da totalidade da obra técnica e desenvolver com pormenores questões que, em versos, não poderiam ser tratadas de modo conveniente às necessidades do apropriado tratamento técnico do assunto.

PDF

Referências

AGUILAR, D. P. (2006). El panorama literário técnico-científico em Roma (siglos I-II D.C.): “et docere et delectare”. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca.

ANDRÈ, Jacques (2009). L’alimentation et la cuisine à Rome. 2a ed. Paris: Les Belles Lettres.

ARISTÓTELES (2006). História dos animais: I. Tradução de Maria de Fátima Sousa e Silva. Lisboa: INCM.

ARMENDÁRIZ, J. I. G. (1995). Agronomía y tradición clásica: Columela en España. Sevilha: Universidad de Cádiz/Universidad de Sevilha.

COLUMELLA (1977). L’arte dell’agricoltura [Título original: Rei rusticae]. Tradução de R. C. Onesti, introdução e notas de C. Carena. Torino: Einaudi.

COLUMELLA (1968). On agriculture [Título original: Rei rusticae]. London: Harvard University Press, 3v.

CAVALLO, G.; FEDELI, P.; GIARDINA, A. (2010). O espaço literário da Roma antiga. Vol. I: a produção do texto. Tradução de Daniel P. Carrara e Fernanda M. Moura. Belo Horizonte: Tessitura, pp. 87-121.

COSSARINI, A. (1977). Aspetti di Virgilio in Columella. Prometheus. Firenze, n.3, pp. 225-240.

GAFFIOT, F. (1934). Dictionnaire latin-français. Paris: Hachette.

GRANATO, L. (1925). Columela e o seu livro Cultura das Hortas. São Paulo: Editora Monteiro Lobato.

GRIMAL, P. (1993). Dicionário de Mitologia Grega e Romana. Rio de Janeiro: Bertrand.

GRIMAL, P. (1985). Virgile, ou la seconde naissance de Rome. Paris: Flammarion.

HESÍODO (2013). Trabalhos e Dias. Organização e tradução de Christian Werner. São Paulo: Hedra.

HOUAISS, Antônio (2001). Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

MAROUZEAU, J. (1946). Traité de stylistique latine. Paris: Les Belles Lettres.

MARTIN, R. (1971). Recherches sur les agronomes latins et leurs conceptions économiques et sociales. Paris: Les Belles Lettres.

MARTIN, R.; GAILLARD, J. (1990). Les genres littéraires à Rome. Paris: Nathan/ Scodel.

MEO, C. de (2005). Lingue tecniche del latino. 2a ed. Bologna: Pàtron, 2005.

NOÈ, E. (2002). Il progetto di Columella: profilo sociale, economico, culturale. Como: Edição New Press.

PEREIRA, M. H. da R. (2009). Estudos de história da cultura clássica. V. II: cultura romana. 4a ed. Lisboa: Gulbenkian.

SARAIVA, F. R. dos S. (1993). Novíssimo dicionário latino-português. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Garnier.

TOOHEY, P. (1996). Epic lessons. An introduction to ancient didactic poetry. London/ New York: Routledge.

TREVIZAM, M. (2006). Linguagem e interpretação na Literatura Agrária Latina. 2006. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

TREVIZAM, M. (2014). Poesia didática: Virgílio, Ovídio e Lucrécio. Campinas: Editora da Unicamp.

VARRÃO (2012). Das coisas do campo [Título original: De re rustica]. Tradução, introdução e notas de Matheus Trevizam. Campinas: Editora da Unicamp.

VIRGÍLIO (2008). Bucólicas, Geórgicas, Apéndice Virgiliano. Introducción general J. L. Vidal. Traducciones, introduciones y notas por Tomás de la Ascención Recio Garcia y Arturo Soler Ruiz. Madrid: Gredos.

VIRGÍLIO (2013). Geórgicas I. Organização e tradução de Matheus Trevizam e tradução de António Feliciano de Castilho. Belo Horizonte: Editora UFMG.

VIRGÍLIO (2007). Georgiche. 2a ed. Milano: Oscar Mondadori, 2007. Introduzione di Gian Biagio Conte. Testo, traduzione e note a cura di Alessandro Barchiesi.

Al someter textos a PhaoS, sus autores deben ser conscientes de que, si se aprueban para publicación, la revista tendrá sobre ellos todos los derechos de autor pertinentes. Los originales no se devolver. La revista adopta la Licencia de Creative Commons internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.