Banner Portal
Variedade rítmica do senário iâmbico como meio de expressão
PDF

Palavras-chave

Comédia latina
Métrica latina
Plauto
Senário iâmbico
Poesia

Como Citar

ALVAREZ, Beethoven. Variedade rítmica do senário iâmbico como meio de expressão. Phaos: Revista de Estudos Clássicos, Campinas, SP, v. 19, p. e019002, 2019. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/phaos/article/view/9403. Acesso em: 15 jul. 2024.

Resumo

Neste artigo, apresento algumas análises de certas passagens compostas em senários iâmbicos do Persa, de Plauto, que tem como objetivo demonstrar que a variedade rítmica encontrada na articulação métrica interna desses versos possui expressivo e significativo valor poético e dramático. Mais especificamente, argumento que esse valor expressivo se deriva do fato de que a organização métrica interna dos senários não encerra apenas uma alegada prosódia prosaica ou cotidiana nem pode ser considerada indistinta ritmicamente a ponto de poder se confundir com a fala do dia a dia, estando, de fato, conectada muitas vezes de forma muito direta com o conteúdo dramático das passagens.

PDF

Referências

ABEL, K. (1955). Die Plautusprologue. Frankfurt am Main.

ALVAREZ, Beethoven B. (2016). Senário iâmbico em Plauto: efeitos em Persa e Estico. Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp (Tese de Doutorado).

BLACKWOOD, Stephen (2015 ). The Consolation of Boethius as Poetic Liturgy. Oxford, OUP.

CARDOSO, I. T. (2005 ). Ars Plautina: metalinguagem em gesto e figurino. São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas da Universidade de São Paulo (Tese de Doutorado).

CARDOSO, I. T. (2006 ). Estico, de Plauto. Introdução, tradução e notas. Campinas: Ed. Unicamp.

COSTA, Lilian Nunes da. (2013). Anfitrião. Plauto. Introdução, tradução e notas de. Campinas: Mercado de Letras.

COSTA, Lilian Nunes da. (2014). Gêneros poéticos na comédia de Plauto: traços de uma poética plautina imanente. Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp (Tese de Doutorado).

COUTO, Aires Pereira do (2006). Plauto. Obra Completa I. Lisboa: INCM.

DICKEY, E.; CHAHOUD, A. (eds.). (2010). Colloquial and Literary Latin. Cambridge: Cambridge University Press.

DUCKWORTH, G. (1952). The nature of Roman comedy. New Jersey: Princeton UP.

FANTUZZI, M.; HUNTER, R. (2004). Tradition and Innovation in Hellenistic Poetry. Cambridge: Cambridge University Press.

GLARE, P. G. W. (ed.). (1982). Oxford Latin Dictionary. Oxford: Clarendon Press.

GRATWICK, A. S. (1993). Plautus: Menaechmi. Cambridge: Cambridge University Press.

GRATWICK, A. S. (1999 [1987]). Terence: The Brothers. 2 ed. Warminster: Aris & Phillips.

GRATWICK, A.; LIGHTLEY, S. J. (1982). Light and Heavy Syllables as Dramatic Colouring in Plautus and Others. The Classical Quarterly (New Series), n. 32, pp. 124-133.

HAFFTER, H. (1934). Untersuchungen zur altlateinischen Dichtersprache. Berlin: Weidmann.

HAPP, H. (1967). Die lateinische Umgangssprache und die Kunstsprache des Plautus. Glotta, n. 45, pp. 60-104.

HARTKAMP, Rolf Friedrich. (2004). Von “leno” zu “ruffiano”: die Darstellung, Entwicklung und Funktion der Figur des Kupplers in der römischen Palliata und in der italienischen Renaissancekomödie. Tübingen: Narr.

HOUAISS, A. (2009). Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

LEWIS, C.T. & SHORT, C. (1879). A Latin Dictionary. Oxford: Clarendon Press.

LOWE, N. (2007). Comedy. New York: Cambridge UP.

MARSHALL, C. W. (1997). Shattered Mirrors and Breaking Class: Saturio’s Daughter in Plautus’ Persa. Text and Performance, n. 18, pp. 100-109.

MIOLA, R. (2001). Roman Comedy. In: LEGGATT, Alexander. Cambridge Companion to Shakespearean Comedy. Cambridge: CUP.

MELO, W. (2011-13). Plautus. I-V. Cambridge: Harvard University Press (Loeb Classical Library).

MOORE, T. J. (2001). Music in Persa. In: FALLER, S. (ed.) Studien zu Plautus’ Persa. Tübingen: Narr, pp. 255-72.

MOORE, T. J. (2012). Music in Roman Comedy. Cambridge: Cambridge UP.

MORGAN, L. (2010). Musa Pedestris: Metre and Meaning in Roman Verse. Oxford: OUP.

SANTIROCCO, Matthew S. (1986). Unity and Design in Horace's Odes. Chapel Hill and London: University of North Carolina Press.

QUESTA, C. (2007). La metrica di Plauto e Terenzio. Urbino: Quattro Venti.

QUESTA, C.; RAFFAELLI, R. (1990). Dalla rappresentazione alla lettura. In: CAVALLO, G.; FEDELI, P.; GIARDINA A. (orgs.). Lo spazio letterario di Roma antica. La ricezione del testo. III v., pp. 139-215.

WOYTEK, E. (1982). T. Maccius Plautus: Persa. Wien: Verlag der Österreichischen Akademie der Wissenschaften.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 PhaoS - Revista de Estudos Clássicos

Downloads

Não há dados estatísticos.