Uma gestão escolar compartilhada entre humanos e encantados no colégio estadual indígena tupinambá serra do padeiro (CEITSP)

Autores

  • Nathalie LeBouler-Pavelic Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/maloca.v4i00.15086

Palavras-chave:

Tupinambá, Educação, Encantandos, Relações interétnicas, Nordeste

Resumo

Pretendo nesta apresentação evidenciar o papel dos encantados – principais entidades da cosmologia tupinambá – como “agentes educativos” na educação indígena tupinambá de forma geral, mas também na educação escolar indígena, no âmbito do Colégio Estadual Indígena Tupinambá Serra do Padeiro (CEITSP), localizado na aldeia Serra do Padeiro, na Terra Indígena Tupinambá de Olivença. Apontarei, assim, para o fato de que a transmissão de saberes na Serra do Padeiro, tanto aquela de caráter informal quanto aquela sistematizada no âmbito da educação escolar indígena, é indissociável das ações dos encantados. Ao levar em consideração os trabalhos desenvolvidos tanto no Nordeste brasileiro quanto a literatura referente à Amazônia, evidenciarei como a gestão escolar do CEITSP é compartilhada com os encantados, uma vez que “trabalham”, de várias formas, no/para o Colégio e de que forma além desta particularidade, o CEITSP atende também estudantes não indígenas. Chamarei então a atenção para as relações interétnicas entre Tupinambá e não indígenas, bem como entre humanos e encantados neste contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathalie LeBouler-Pavelic, Universidade Federal da Bahia

Doutora em Cultura e Sociedade pelo Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em (Pós-Cultura) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Antropologia Social e Etnologia pelo Institut Interdisciplinaire d’Anthropologie du Contemporain (IIAC), Laboratoire d’Anthropologie des Institutions et des Organisations Sociales (LAIOS) da Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS), França.

Referências

Agier, Michel; Carvalho, Maria Rosário G. de. 1994. “Nation, race, culture: les mouvements noirs et indiens au Brésil”. Cahiers de l’Amérique Latine 7: 107-124. Disponible en: https://horizon.documentation.ird. fr/exl-doc/pleins_textes/pleins_textes_7/b_fdi_57-58/010025451.pdf.

Alarcon, Daniela Fernandes; Tupinambá – O Retorno da Terra (24,58’), 2015. Disponível em: https://vimeo. com/126566470.

Alarcon, Daniela Fernandes. 2013. O retorno da terra: as retomadas na aldeia Tupinambá da Serra do Padeiro, sul da Bahia. Dissertação de Mestrado, UnB, Brasília, DF, Brasil.

Alarcon, Daniela Fernandes. “Biografia – João de Nô”. In: Os Brasis E Suas Memórias. Disponível em: https:// osbrasisesuasmemorias.com.br/biografia-joao-de-no/.

Baniwa Luciano, Gersem José dos Santos. 2011. Educação para manejo e domesticação do mundo: entre a escola ideal e a escola real Os dilemas da educação escolar indígena no Alto Rio Negro. Tese de Doutorado, Unb, Brasília, DF, Brasil.

Benites, Tonico. 2012. A escola na ótica dos Ava Kaiowá: impactos e interpretações indígenas. Rio de Janeiro: Contra Capa. Cascudo, Luís da Câmara. 1998. Dicionário do folclore brasileiro. 9. ed. Rio de Janeiro: Ediouro.

Couto, Patricia Navarro de Almeida. 2008. Morada dos encantados: Identidade e religiosidade entre os Tupinambá da Serra do Padeiro, Buerarema, BA. Dissertação de Mestrado, UFBA, Salvador, BA, Brasil.

Prandi, Reginaldo. 2003. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras.

Downloads

Publicado

2021-09-13

Como Citar

LEBOULER-PAVELIC, N. Uma gestão escolar compartilhada entre humanos e encantados no colégio estadual indígena tupinambá serra do padeiro (CEITSP). Maloca: Revista de Estudos Indígenas, Campinas, SP, v. 4, n. 00, p. e021014 , 2021. DOI: 10.20396/maloca.v4i00.15086. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/maloca/article/view/15086. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê "Etnologia transversa entre a Amazônia e o Nordeste"