O Novo Mundo e as heranças medievais sobre o ecúmeno:

raças plinianas, antípodas e cartografia

Authors

  • Deyse Cristina Brito Fabrício UNICAMP
  • Antonio Carlos Vitte

Keywords:

Cartografia na Idade Média; teratologia; cosmologia.

Abstract

Este artigo aborda teorias descritivas do ecúmeno durante a Idade Média que estiveram relacionadas à explicação de raças monstruosas nos extremos do mundo. Em particular, as concepções zonais configuraram arcabouços para a existência do continente antípoda, levantando especulações sobre sua habitabilidade, conforme os padres da Igreja. Entendendo o Novo Mundo como uma extensão das bordas do ecúmeno projetada principalmente no século XVI, discutimos as heranças teratológicas medievais por meio das raças plinianas e antípodas na cartografia.

Downloads

Download data is not yet available.

References

AGOSTINHO. A cidade de Deus: contra os pagãos. 2a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1990, vol. II.

BROTTON, J. Uma história do mundo em doze mapas. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2014.

CHICANGANA-BAYONA, Y. A. Imagens de canibais e selvagens do Novo Mundo: do maravilhoso medieval ao exótico colonial (séculos XV-XVII). Tradução Marcia Aguiar Coelho. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2017, p.16.

COSGROVE, D. E. Apollo's eye: a cartographic genealogy of the earth in the western imagination. Baltimore, MD: Johns Hopkins University Press, 2001.

GIL, J. Monstros. Lisboa: Relógio D'Água, 2006.

HARLEY, J. B.; WOODWARD, D. Greek Cartography in the Early Roman World. In: HARLEY, J. B.; WOODWARD, D. The History of Cartography. Chicago, Illinois: The University of Chicago Press, vol. 1, p.161-176, 1987.

KAPPLER, C. Monstros, demônios e encantamentos no fim da Idade Média. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1993, p.13.CARVALHO, M. S. de. A geografia desconhecida. Londrina: EDUEL, 2006.

LECOUTEUX, C. Les monstres dans la pensée medievale europeenne: essai de presentation. 3e ed. rev. et corr. Paris: Univ. de Paris-Sorbonne, 1999.

MACROBIO, A. T. Comentarios al Sueño de Escipión. Madrid: Siruela, 2005.

RANDLES, W. G. L. Da terra plana ao globo terrestre: uma rápida mutação epistemológica (1480-1520). Lisboa: Gradiva, 1990,

SCAFI, A. Maps of paradise. Hong Kong: University of Chicago Press, 2013.

SEVILLA, I. de. Etimologías. OROZ RETA, Jose; MARCOS CASQUERO, Manuel Antonio; DÍAZ Y DÍAZ, Manuel C. (Orgs). Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, vol. 2, 1992, p.49..

THORNTON, J. K. A África e os africanos: na formação do mundo atlântico, 1400-1800. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier, 2004, p.54.

VAN DUZER, C. Hic sunt dracones: the geography and cartography of monsters. The Ashgate Research Companion to Monsters and the Monstrous, p. 387-435, 2012, p.424. Disponível em: https://www.taylorfrancis.com/chapters/edit/10.4324/9781315241197-30/hic-sunt-dracones-geography-cartography-monsters-chet-van-duzer. Acesso em 10 jul. 2021.

Published

2021-12-20

How to Cite

Brito Fabrício, D. C., & Vitte, A. C. (2021). O Novo Mundo e as heranças medievais sobre o ecúmeno: : raças plinianas, antípodas e cartografia. Figura: Studies on the Classical Tradition, 9(2), 65–89. Retrieved from https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/figura/article/view/15778