Do porquê se defender as humanidades e se opor à tirania, segundo Leonardo Bruni

  • Fabrina Magalhães Pinto Universidade Federal Fluminense – UFF

Resumo

Diante de um franco ataque às instituições culturais e educacionais, particularmente nas áreas de humanidades, realizado pelo presente governo, este artigo constrói uma resposta efetiva para a justificação de tais estudos e pesquisas embasado em um autor de seis séculos atrás. As obras do humanista e historiador Leonardo Bruni refletem o sumo do pensamento do Quattrocento que, na esteira do Renascimento, conformaria o Ocidente moderno. Destacam-se valores de virtude, liberdade, cidadania e participação cívica, com os quais a educação e o aprendizado estão diretamente relacionados. Bruni é, antes de tudo, um pioneiro na crítica à tirania, à arbitrariedade e ao governo pela força. O embasamento de seus argumentos se faz na prospectiva de que os humanos são capazes de governar a si mesmos e não dependem de um líder isolado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-10-07