Dossier: Alexander the Great, Hellenistic Art and the Classical Tradition

2019-11-19

Os anos que cobrem da morte de Alexandre à vitória de Augusto na Batalha de Áccio, grosso modo, entre 323 a 31 a.C., custaram a atrair a atenção dos historiadores. Vistos como ocaso da democracia ateniense, decaída em infindável disputa pelo espólio do império macedônio, foi preciso que J. G. Droysen (1808-1884) empregasse a pena em sua biografia do conquistador (Geschichte Alexanders des Grossen, 1833) e em suas sucessivas obras sobre a história do helenismo para que o período ganhasse maior atenção. Embora suas teses de uma helenização inconteste do Oriente, bem como a concepção benfazeja de Alexandre como lídimo vetor da providência nos moldes formulados por Hegel, estejam superadas, a relevância de Droysen para o estudo do período helenístico é incontornável – de resto, a própria ideia de um “período helenístico” é tributária do historiador prussiano.

Desde meados do século XX, os estudos sobre a época helenística têm crescido, na maior parte das vezes destacando seu caráter pródigo em intercâmbios culturais, sociais e artísticos de diversos matizes que tiveram lugar em cenários que vão do Egito sob os ptolomeus à Ásia Menor dos atálidas. Da mesma forma, a importância da produção figurativa do período tem sido cada vez mais destacada, sobretudo a partir da percepção de que os grandes modelos do Renascimento – do Laocoonte ao Apolo do Belvedere, do Hércules Farnese ao Torso do Belvedere – foram concebidos no recorte que cobre os séculos IV e II a.C. Ademais, a própria ideia de Alexandre como tour de force na história da arte – pela inaudita preocupação com sua imagem, que o fez cercar-se dos mais afamados artistas de sua geração, como Apeles, Lisipo e Leocares – não pode ser desprezada. 

Sendo assim, os organizadores deste dossiê da Revista Figura convidam pesquisadores que desejem contribuir com artigos a respeito da imagem de Alexandre na arte antiga, da produção artística durante o período helenístico e, em âmbito geral, da relação deste com a tradição clássica.

Propostas podem ser enviadas até 30/06/2020, através do e-mail figura@unicamp.br