Banner Portal
Simulação de um bafômetro
PDF

Palavras-chave

Bafômetro. Álcool. Etanol. Espectrofotômetro. Determinação de etanol. Análise química. Regressão linear. Curva de calibração.

Como Citar

1.
Andrade JC de, Coscione AR. Simulação de um bafômetro. Rev. Chemkeys [Internet]. 17º de setembro de 2018 [citado 24º de fevereiro de 2024];(5):1-14. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/chemkeys/article/view/9620

Resumo

O equipamento popularmente conhecido como bafômetro (do inglês “breath alcohol analyzer”) permite determinar a quantidade de álcool no sangue, ingerido na forma de etanol em bebidas alcoólicas, através do ar expirado por uma pessoa. Esta determinação baseia-se no princípio de que o álcool contido no sangue está em equilíbrio com o álcool contido no ar dos pulmões. O experimento proposto descreve um procedimento para determinar a quantidade de álcool presente no vapor de uma amostra alcoólica, simulando as condições de análise de um bafômetro. Os principais objetivos são:

• Discutir, de forma geral, os princípios químicos utilizados nos bafômetros.

• Introduzir os métodos espectrofotométricos de análise e ilustrar sua aplicação.

• Introduzir o uso do método da regressão linear para o ajuste de dados experimentais e demonstrar o seu uso na obtenção da equação de uma curva de calibração analítica.

• Determinar a quantidade de etanol presente no vapor de uma amostra alcoólica, simulando as condições de determinação do bafômetro baseado na oxidação de íons dicromato.

https://doi.org/10.20396/chemkeys.v0i5.9620
PDF

Referências

Lovell, W.S., “Breath tests for determining alcohol in the blood”. Science,1972, 178: 264-272.

Hore, B.D., “ Alcohol Dependence” (Chapter 9), Butterwoth & Co. LTd., Boston, 1976.

Mirabete, J. F., “Manual de Direito Penal. Parte Geral: Arts 10 a 120 da CP” (vol.1), 15a ediçao revisada e atualizada até dez./1998. Editora Atlas, São Paulo, 1999, pp. 220-223.

Jones, A.W.; Beylich, K.M.; Bjorneboe, A.; Ingum, J.; Morland, J., “Measuring ethanol in blood and breath for legal purposes: variability between laboratories and between breath-test instruments”. Clin. Chem., 1992, 38:743-747.

Jones, A.W.; Andersson, L.; Berglund, K., “Interfering substances identified in the breath of drinking drivers with Intoxilyzer 5000S”. J. Anal. Toxicol., 1996, 20:522-527.

Trafford, D. J. H.; Makin, H. L. J., “Breath-alcohol concentration may not always reflect the concentration of alcohol in blood”. J. Anal. Toxicol.,1994, 18, 225- 228.

Intoximeters Inc., 1994-1995. “Fuel cell tecnhology applied to alcohol breath testing”, http://www.intox. com

Breathscan Alcohol Breath Tester. “Alcohol Testing”, http://www.breathscan.com/

CMI on line.” History of Breath Alcohol Analysis”, http://www.alcoholtest.com/

Labianca, D.A., “The chemical basis of the breathalyzer: a critical analysis”, J. Chem. Educ., 1990, 67: 259-261.

Labianca, D.A., “Estimation of blood-alcohol concentration”, J. Chem. Educ., 1992, 69: 628 - 632.

Timmer, W.C., “An experiment in Foresic Chemistry”. J. Chem Educ., 1986, 63:897-898.

Labianca, D.A., “How specific for ethanol is breath alcohol analysis based on adsorption of IR radiation at 9.5 mm?”, J. Anal. Toxicol., 1992, 16:404-405.

Treptow, R.S., “Determination of alcohol in breath for law enforcement”. J. Chem. Educ.,1974, 51:651.

Pavia, D. L.; Lapman, G. M.; Kriz Jr., G. S., “Introduction to organic laboratory techniques: a contemporary approach.” 2nd edition, Saunders College Publishing, Orlando, 1982, pp.191-196.

Skoog, D. A.; West, D. M.; Holler, F. J., “Fundamentals in Analytical Chemistry”, 7th edition. Saunders College Publishing, Orlando, 1996.

Christian. G. D., “Analytical Chemistry”, 5th edition. John Wiley & Sons, Inc., New York, 1994.

de Andrade, J.C.; Custódio, R.; Kubota, L., “Leis dos processos de absorção de radiação”, http://www. chemkeys.com

Custódio, R.; de Andrade, J.C.; Augusto, F., “O ajuste de funções matemáticas a dados experimentais”. Quím. Nova, 1997, 20:219-225.

Pimentel, M. F.; Barros Neto, B., “Calibração: Uma revisão para químicos analíticos”. Quím. Nova, 1996, 19:268-277.

Wendt, H.; Gotz, M.; Linardi, M., “Tecnologia de células a combustível”, Quím. Nova, 2000, 23:538- 546.

Lunn, G.; Sansone, E.B., “A laboratory procedure for the reduction of chromium(VI) to chromium(III)”. J. Chem. Educ., 1989, 66(5), 443 - 445.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 João Carlos de Andrade, Aline Renée Coscione

Downloads

Não há dados estatísticos.