Ciências comportamentais e inovação em governo: um mapeamento nos Laboratórios de Inovação do Setor Público (LISP) do Brasil

Autores

  • Milene Mendes de Oliveira
  • Juliana Pires de Arruda Leite
  • Beatriz Couto Ribeiro

Palavras-chave:

ciências comportamentais, inovação em governo, laboratórios de inovação do setor público

Resumo

No contexto mundial, as principais instituições que promovem a difusão e utilização destas práticas na gestão pública são o Banco Mundial e a OCDE. Além disso, já são encontrados no mundo diversos estudos empíricos que utilizam esta abordagem nas diferentes áreas das políticas públicas, com destaque para educação, tributação e saúde - incluindo aplicações no contexto da pandemia da COVID-19.

No Brasil, assim como em outros países da América Latina, a utilização desta abordagem na formulação e aplicação de políticas públicas é um fenômeno ainda recente e, por conseguinte, com pouca produção científica no assunto. Portanto, um estudo sobre a aplicação das ciências comportamentais como forma de inovar em políticas públicas no Brasil é acentuadamente oportuno.

Para isto, a presente pesquisa toma como objeto de estudo os Laboratórios de Inovação no Setor Público (LISP), já que no contexto mundial eles são os principais responsáveis pelas aplicações de ciências comportamentais na gestão pública. Ao mesmo tempo, é importante destacar que os LISP fazem parte de uma estratégia de inovação nas organizações do setor público brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-11-17

Como Citar

MENDES DE OLIVEIRA, M. .; PIRES DE ARRUDA LEITE, J. .; COUTO RIBEIRO, B. . Ciências comportamentais e inovação em governo: um mapeamento nos Laboratórios de Inovação do Setor Público (LISP) do Brasil. Seminários do LEG, Limeira, SP, n. 12, 2021. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/leg/article/view/4369. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

Resumos