A Civilização Ecológica como um novo paradigma para a mensuração da sustentabilidade

Um estudo a partir da província de Guizhou

Autores

Palavras-chave:

Sociedade de Risco, Civilização Ecológica, Indicadores

Resumo

O estudo analisa o uso de indicadores para avaliar os emergentes critérios de sustentabilidade ambiental a partir da perspectiva da Civilização Ecológica (CE) na província de Guizhou sob o arcabouço teórico da CE e Sociedade de Risco de Beck (2011). Adota-se o levantamento bibliográfico para sua fundamentação. Objetivando superar a crise deixada pelo “século de humilhação”, a China promoveu duas grandes reformas, uma iniciada com a proclamação da República Popular (1949) quando estabelece as bases para a revolução socialista; e a Reforma e Abertura (1978), para impulsionar a economia e promover a modernização. Tais reformas necessárias ao desenvolvimento econômico e redução da pobreza foram também responsáveis por reunir uma complexa síndrome de riscos, uma vez que as condições socioeconômicas e a junção de princípios socialistas e capitalistas produziu efeitos colaterais dispendiosos, em razão de suas características mutuamente antagônicas. O rápido desenvolvimento, somado ao tamanho do país tornaram as questões ambientais na China um fator chave para o mundo, por estarem associados aos impactos de suas demandas sobre os preços mundiais, e à poluição transfronteiriça e mudanças climáticas. Por essa razão, a nova geração de líderes chineses tem assumido o compromisso de alinhar o crescimento econômico à promoção de bens públicos, essa mudança do paradigma de desenvolvimento industrial para o desenvolvimento “Ecológico” tem sido conduzida com o alinhamento entre os governos locais e o plano nacional de desenvolvimento econômico. Sendo uma das províncias mais pobres da China, o grande desafio para o desenvolvimento de Guizhou ainda está em superar a economia predominantemente agrária e aumentar a renda dentro dos moldes da economia sustentável com foco na superação da pobreza. Os achados iniciais apontam que os indicadores e ferramentas para avaliação da CE na província possuem uma abordagem mais qualitativa que quantitativa aliada a metodologias de mensuração de dados amplamente adotadas, como os métodos de decisão multicritério Fuzzy, TOPSIS e AHP. Enquanto projeto em curso, a CE ainda não possui métodos concretos de mensuração e apresenta lacunas no processo de coleta de dados e processamento das informações, tais como: ausência de um banco de dados centralizado para armazenamento de informações por parte das prefeituras e a não cobertura da área total da província por parte do governo para avaliação da CE, o que compromete uma visão geral sobre como cada município tem sido impactado pelos programas econômicos, sociais e de proteção ambiental na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Niklas Werner Weins, Xi’an Jiaotong-Liverpool University

Professor Assistente no departamento de estudos internacionais da Xi’an Jiaotong-Liverpool University (XJTLU). Doutor em Ambiente e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Brasil, Mestre em Tecnologia e Sociedade pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Brasil, e graduado em Economia e Política da Ásia Oriental pela Ruhr Universität Bochum, Alemanha.

https://orcid.org/0000-0003-1345-6720

111 Ren'ai Road, Dushu Lake Higher Education Town, Suzhou Industrial Park, Suzhou 215123, Jiangsu Province, People's Republic of China

Referências

BECK, U. Sociedade de Risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2011.

CHANG, K-S. China as a Complex Risk Society. Temporalités, v. 26, n. 26, 1-17, 2017. DOI: https://doi.org/10.4000/temporalites.3810

WANG, X.; ZANG, M. Evaluation on Ecological Civilization Construction Level in

Guizhou Based on Intuitionistic Fuzzy Analytic Hierarchy Process. Journal of Risk Analysis and Crisis Response, v. 9, n. 2, p. 93-100, 2019. DOI: 10.2991/jracr.k.190703.005.

Publicado

2023-12-31

Como Citar

ESCARIÃO AGRIPINO, Najara; WEINS, Niklas Werner. A Civilização Ecológica como um novo paradigma para a mensuração da sustentabilidade: Um estudo a partir da província de Guizhou. Seminário Pesquisar China Contemporânea, Campinas, SP, n. 7, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/chinabrasil/article/view/5214. Acesso em: 14 abr. 2024.