Os avanços da China como investidora na América do Sul e a reação Americana

Autores

  • Pedro Antonio Vieira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Daniela Santos Nunes De Rodrigues UFSC

Palavras-chave:

China, Investimento, América do Sul–EUA, Geopolítica

Resumo

No início dos anos 2000 a China adotou a Going Global strategy, visando a promoção de Investimento Direto Estrangeiro (IDE) no exterior. Essa estratégia permitiu que a China emergisse como uma importante fonte de recursos. Ano após ano sua relevância como fonte de IDE aumentou, principalmente diante do contexto internacional de declínio dos investimentos e de crescimento econômico lento. Os investimentos na América Latina ganharam intensidade principalmente após 2009 e a presença da China como investidora no cone sul têm crescido progressivamente desde então. Essa situação causou inquietação nos Estados Unidos, que vê a América Latina como sua zona de influência natural e não percebe de forma positiva a aproximação econômica e diplomática da China com a região...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Antonio Vieira, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Economia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1975), mestrado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE, 1986), doutorado em Economia pela Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM, 1995) e pós-doutorado em Economia Política do Sistema-Mundo, pela Universidade de Maryland (Departamento de Sociologia, 2009).

Downloads

Publicado

2020-02-13

Como Citar

VIEIRA, Pedro Antonio; SANTOS NUNES DE RODRIGUES, Daniela. Os avanços da China como investidora na América do Sul e a reação Americana. Seminário Pesquisar China Contemporânea, Campinas, SP, n. 3, 2020. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/chinabrasil/article/view/3157. Acesso em: 24 abr. 2024.