Banner Portal
No estúdio do fotógrafo
PDF

Palavras-chave

Auto-representação
Ato fotográfico.

Como Citar

KOUTSOUKOS, Sandra Sofia Machado. No estúdio do fotógrafo : um estudo da (auto-)representação de negros livres e escravos no Brasil da segunda metade do século XIX. Studium, Campinas, SP, n. 9, p. 42–53, 2019. DOI: 10.20396/studium.v0i9.10110. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/studium/article/view/10110. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

Alguns dos primeiros documentos iconográficos em que aparece a família negra no Brasil, em sua labuta ou descanso, são os trabalhos de artistas e/ou viajantes estrangeiros como Frans Post, Joaquim Cândido Guillobel, Jean Baptiste Debret, Maurice Rugendas, Thomas Ender etc., para mencionar apenas algumas das principais fontes – “parafotográficas”, como bem chamou-os Gilberto Freyre, pela pretensão de exatidão.1 Os artistas/viajantes/estrangeiros retrataram os escravos trabalhando, descansando, cantando, dançando, casando, fumando, apanhando – registraram o orgulho e a humilhação dos negros; registraram o que era, para eles, o pitoresco, o “exótico”, e nos legaram documentos iconográficos preciosos do nosso passado.

https://doi.org/10.20396/studium.v0i9.10110
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Studium

Downloads

Não há dados estatísticos.