Banner Portal
Trilhas da pesquisa antropológica
PDF

Palavras-chave

Antropologia
Educação
Pesquisa
Mundo rural

Como Citar

GUSMÃO, N. M. M. de. Trilhas da pesquisa antropológica: do mundo rural à educação. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 37–59, 2023. DOI: 10.53000/rr.v15i1.18317. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/18317. Acesso em: 28 fev. 2024.

Resumo

O caminho trilhado que me fez antropóloga a partir do mundo rural e que, por meio do rural, levou-me, anos mais tarde, a pensar, pesquisar e refletir a respeito da antropologia e a educação, é aqui o contexto que retoma as trilhas de formação e prática antropológica no fazer da pesquisa. Ainda que na primeira pessoa, o que aqui é narrado resulta de encontros e desencontros vividos entre a formação, a docência e o trabalho de campo. Dialoga ainda, com os muitos sujeitos presentes no caminho e que ao compartilharem suas vidas e saberes me conformam naquilo que sou como pessoa e profissional.

https://doi.org/10.53000/rr.v15i1.18317
PDF

Referências

BRANDÃO, Carlos R. Deus te salve, Casa Santa! Rio de Janeiro: FUNARTE, 1979.

BRANDÃO, Carlos R. Sacerdotes de Viola. Rituais religiosos do catolicismo popular em São Paulo e Minas Gerais. São Paulo: Vozes, 1981.

BRANDÃO, Carlos R. Almanaque Argonauta 3. Por uma pedagogia peregrina, 2022, s.n. (inédito).

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. Olhar, ouvir, escrever. In: Aula Inaugural – Cursos de Graduação. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1994.

CASTAÑEDA, Carlos. A erva-do-diabo. São Paulo: Clube do Livro, 1968.

DA MATTA, Roberto. O ofício do etnólogo ou como ter Anthropological Blues. In: NUNES, Edson (Org.). A aventura sociológica. São Paulo: Brasiliense, 1978, p. 23-35.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

GUSMÃO, Neusa M.M. de. Terra de pretos, terra de mulheres: terra, mulher e raça num bairro rural negro. Brasília: MINC/Fundação Cultural Palmares, 1995. (Biblioteca Palmares; v. 6).

GUSMÃO, Neusa M.M. de. Antropologia e Educação: as origens de um diálogo. Cadernos CEDES, ano XVII, 43, dezembro, 1997, p. 8-25. Dossiê Antropologia e Educação: interfaces do ensino e da pesquisa. GUSMÃO, Neusa M.M. de (Org.). Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/i/1997.v18n43/. Acesso em: 19 dez. 2022.

GUSMÃO, Neusa M.M. de. Quilombo Campinho da Independência: direito insurgente, luta quilombola e educação. In: ROJAS, Axel; PIRES, Antonio Liberac Cardoso Simões; GOMES, Flávio dos Santos. Territórios de Gente Negra. Processos, Transformações e Adaptações. Ensaios sobre Colômbia e Brasil. Cruz das Almas, BA: EDIFURB; Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2016, p. 359 - 378.

GUSMÃO, Neusa M.M. de. Antropologia e educação quilombola: etnicidade e mediação. Revista EntreRios. PPGANT-UFPI, Teresina, Vol. 3, n. 1, p.9 - 26, 2020.

MERLEAU-PONTY. De Mauss a Claude Lévi-Strauss. In: CHAUI, Marilena de S. (Org.). Merleau-Ponty: vida e obra. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Coleção Os Pensadores).

MONTEIRO, Paula. Mesa Redonda: A Sedução do Objeto. In: SILVA, Vagner G. et al. (Orgs). Antropologia e seus espelhos: a etnografia vista pelos observadores. São Paulo: FFLCH-USP/FAPESP, 1994.

PAOLI, Maria Célia Pinheiro Machado. Trabalhadores urbanos na fala dos outros: tempo, espaço e classe operária brasileira. In: LOPES, José Leite et al. (Orgs.). Cultura e Identidade Operária: Aspectos da Cultura da Classe Trabalhadora. Rio de Janeiro: Ufrj/Marco Zero, 1987. p. 53-101.

PEIRANO, Mariza. Os antropólogos e suas linhagens. In: A favor da etnografia. Rio de Janeiro; Relume Dumará, 1995. p.13–29.

PEREIRA, João Baptista Borges “Estudos Antropológicos das Populações Negras na Universidade de São Paulo”, Revista de Antropologia, V.24 (1981), São Paulo/USP, pp. 63 - 74. Disponível em: revistas.usp.br/ra/article/view/110967. Acesso em: 12 dez. 2022.

PRITCHARD, E. Evans. Os Nuers. São Paulo: Perspectiva, 1978.

VARGAS LLOSA. A mentira e a verdade na ficção. Folha de S. Paulo, 1984. Suplemento Literário.

WHITMAN, Walt. Folhas de Relva, São Paulo: Brasiliense, 1984. p. 132.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 RURIS (Campinas, Online)

Downloads

Não há dados estatísticos.