A formação da classe patronal rural

um estudo no sindicato rural de São Sepé

Autores

  • Vandrisia Neves Balthezan Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v14i1.17034

Palavras-chave:

Patronato Rural, Sindicato Rural, Representação de interesses, Classe produtora

Resumo

O artigo investiga a representação de interesses do Sindicato Rural de São Sepé (Rio Grande do Sul/Brasil), enquanto porta-voz local do patronato rural. O objetivo é identificar os representantes da classe patronal rural e compreender as práticas sociais que envolvem o processo de formação dessa classe. A metodologia ampara uma conjugação de técnicas: visitas, análise documental, entrevistas, observação e pesquisa em ambientes digitais. A pesquisa contempla a estrutura organizacional da entidade, as relações estabelecidas com outras entidades de classe e os aspectos socioeconômicos e as trajetórias sociais dos presidentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, João Valente. A classe social como processo: o conceito de formação da classe trabalhadora. Configurações, Braga, v. 5, n. 6, 2009.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BRUNO, Regina Angela. Grupos de Solidariedade, Frentes Parlamentares e Pactos de Unidade e Ação. Em pauta o fortalecimento e a disputa pela representação patronal no campo. Relatório Final de Pesquisa. Rede de Desenvolvimento, Ensino e Sociedade. 2008.

BRUNO, Regina Angela. Elites Agrárias, Patronato Rural e Bancada Ruralista. Observatório de Políticas Públicas para a Agricultura. Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, 2015.

BRUNO, Regina Angela; FERNANDES, Afonso; PRADO, Felipe. Patronato Rural, relações de parentesco e representação política (primeiras anotações). Revista NEP-UFPR, Curitiba, v. 3, n. 3, p. 272-283, ago. 2017.

COSTA, Felipe Ferrari. Ação Política e Representação de interesses do Patronato Rural Gaúcho: uma análise da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (1988-2000). 2019. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

GASPAROTTO, Alessandra. “Companheiros Ruralistas!”: Mobilização patronal e atuação política da Federação das Associações Rurais do Rio Grande do Sul (1959-1964). 2016. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, (5), 7-41.

LEAL, Natacha Simei. Nome aos bois: Zebus e zebueiros em uma pecuária brasileira de elite. 2014. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

LIMA, Denise Maria de Oliveira. Campo do poder, segundo Pierre Bourdieu. Cógito, Salvador, v. 11, p. 14-19, 2010.

MENDONÇA, Sonia Regina de. A questão agrária no Brasil: a classe dominante agrária – natureza e comportamento – 1964-1990. São Paulo: Expressão Popular, 2006.

PERISSINOTTO, Renato; CODATO, Adriano. Classe social, elite política e elite de classe: por uma análise societalista da política. Revista Política de Ciência Política, Brasília, n. 2, p. 243-270, jul./dez. 2009.

PICCIN, Marcos Botton. Os senhores da terra e da guerra no Rio Grande do Sul: um estudo sobre as práticas de reprodução social do patronato rural estancieiro. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SRSS. Revista Comemorativa aos 50 anos do Sindicato Rural de São Sepé. SRSS: São Sepé, 2018.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

XAVIER, Glauber Lopes. “Senhores da Lei, Donos da Terra”: o arauto da bancada ruralista na Câmara (2009-2014). Revista Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 131-165, 2015.

WEBER, Max. A “objetividade” do conhecimento nas ciências sociais/ Max Weber; tradução Gabriel Cohn. São Paulo: Ática, 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-05

Como Citar

BALTHEZAN, V. N. A formação da classe patronal rural: um estudo no sindicato rural de São Sepé. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 14, n. 1, p. 217–242, 2022. DOI: 10.53000/rr.v14i1.17034. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/17034. Acesso em: 4 out. 2022.