Banner Portal
“É agrofloresta, não é conservacionismo”
PDF

Palavras-chave

Permacultura
Paisagens multiespécies
Preservação

Como Citar

MERLO, Gabrielly. “É agrofloresta, não é conservacionismo”: as paisagem biossociais da permacultura. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 14, n. 1, p. 107–132, 2022. DOI: 10.53000/rr.v14i1.17029. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/17029. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

O artigo pretende discutir as paisagens a partir da ótica preservacionista. O objetivo é apresentar os sentidos e as práticas de preservação postulados por duas diferentes correntes de pensamento, o conservacionismo e a permacultura. As reflexões que seguem foram inspiradas em uma caminhada realizada com um permacultor durante pesquisa de campo. O caminhar e a escuta de suas perspectivas me atentaram para perceber que a “preservação” ora coloca em disputa, ora em sobreposição, sentidos diversos de paisagem, logo, de naturezas no que concerne ao pensamento moderno.

https://doi.org/10.53000/rr.v14i1.17029
PDF

Referências

BALÉE, W. Footprints of the Forest: Ka’apor Ethnobotany – The Historical Ecology of Plant Utilization by an Amazonian People. New York: Columbia University Press, 1992.

BALÉE, W. Sobre a Indigeneidade das Paisagens. Revista de Arqueologia, v. 21, n. 2, p. 9-23, 2008.

BELLACASA, Maria Puig. Making time for soil: technoscientific futurity and the pace of care. Social Studies of Science, v. 45, n. 5, p. 691-716, 2015

BELLACASA, Maria Puig. Matters of Care. Speculative ethics in more than human worlds. London: University of Minnesota Press, 2017.

CABRAL DE OLIVEIRA, Joana. Entre Plantas e Palavras: Modos de Constituição de Saberes entre os Wajãpi (AP). Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2012.

CARDOSO, Thiago Mota, et al. Apresentação do Dossiê: Antropologia das Áreas Protegidas e da Sustentabilidade. Anuário Antropológico [Online], v. I, 2020. Disponível em http://journals.openedition.org/aa/4926. Consulta em 29 jan. 2020.

CHOY, Timothy. Ecologies of Comparision: an ethnography of endangerment in Hong Kong. Durham: Duke University Press, 2011.

DESCOLA, Philippe. Beyond Nature and Cultura. Chicago Press. 2013.

EISENLOHR, Pedro Vasconcellos, et al. Trilhas e seu papel ecológico: o que temos aprendido e quais as perspectivas para a restauração de ecossistemas? Hoehnea, v. 40, n. 3, p. 407-418, 2013.

GOTSCH, Ernst. O renascer da agricultura. 2a Ed. Rio de Janeiro: AS-PTA, 1996.

HARAWAY, Donna. Staying with the trouble. Making kin in the Chthulucene. Durham and London: Duke University Press, 2016.

INGOLD, Tim. The Perception of the Environment: Essays in livelihood, Dwelling and Skill. Londres: Routledge, 2000.

MOL, Annemarie. Corpos múltiplos, ontologias políticas e a lógica do cuidado: uma entrevista com Annemarie Mol. Interface. Comunicação, saúde, educação. 22 (64). 2018

MOLLISON, Bill. Introdução a Permacultura. Panfletos da Serie Curso de Design em Permacultura. YANKEE PERMACULTURE. Centro de Permacultura Barking Frogs, 1981.

MOLLISON, Bill. Permaculture: A designer’s manual. Tagari Publications. Tyalgum Australia. 1988.

MOLLISON, Bill. Introdução a Permacultura. MA/SDR/PNFC, 1998.

PUGA, Felipe Peregrina. A emergência da ecologia das práticas. ClimaCom – Fabulações Miceliais [online], Campinas, ano 6, n.14, abr. 2019.

POSEY, Darrel A. Indigenous management of tropical forest ecosystems: the case of the Kayapó indians of the Brazilian Amazon. Agroforestry Systems, v. 3, p. 139-158, 1985.

POSEY, Darrel A. “Etnobiologia: teoria e prática”. In: RIBEIRO, B. (Org.). Suma Etnológica: etnobiologia. Belém: MPEG, 1997.

PRIMAVESI, Ana Maria. “A Biocenose do solo na produção vegetal”. In: A moderna agricultura intensiva. Vol. 1. Santa Maria: Ed. Pallotti, 1964.

RAHDER, Micha. An Ecology of knowledges. Fear, love and techonoscience in Guatemalan Conservation. Duke University Press. Durham and London. 2020.

SHIVA, Vandana. Monoculturas da Mente: perspectivas da biodiversidade e da biotecnologia. São Paulo: Ed. Gaia, 2003.

SHIVA, Vandana. Soil Not Oil: Environmental Justice in an Age of Climate Crisis. South end Press. Brooklyn, New York and Boston, Massachusetts, 2008.

SHIVA, Vandana. Soil Not Oil: Environmental Justice in an Age of Climate Crisis. Alternatives, v. 35, n. 3, p. 18-23, 2009.

TSING, Anna L. Friction: an ethnography of global connection. Princeton: Princeton University Press, 2005.

TSING, Anna L. Viver nas Ruínas: paisagens multiespécies no Antropoceno. Ed. IEB Mil Folhas. Brasília, 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 RURIS (Campinas, Online)

Downloads

Não há dados estatísticos.