Etnologia Transversa

uma primeira conversa com Maria Rosário de Carvalho, Ugo Maia Andrade e Florêncio A. Vaz Filho

Autores

  • João Roberto Bort Junior Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Arianne Rayis Lovo Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Fernanda Borges Henrique Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) https://orcid.org/0000-0002-3467-966X

DOI:

https://doi.org/10.20396/maloca.v4i00.15959

Palavras-chave:

Etnologia Transversa, Etnologia Brasileira, Amazônia, Nordeste Brasileiro, Comparação

Resumo

A entrevista com Maria Rosário Gonçalves de Carvalho (UFBA), Ugo Maia Andrade (UFS) e Florêncio A. Vaz Filho (UFOPA) apresenta os aspectos etnográficos e as questões teórico-metodológicas que esses pesquisadores observam ao proporem uma perspectiva transversal para a Etnologia Indígena feita no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Roberto Bort Junior, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutorando em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Integrante  do Centro de Pesquisa em Etnologia Indígena (CPEI) da Universidade Estadual de Campinas.

Arianne Rayis Lovo, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutoranda em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e integrante do comitê editorial da Maloca – Revista de Estudos Indígenas

Fernanda Borges Henrique, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutoranda em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e integrante do comitê editorial da Maloca – Revista de Estudos Indígenas

Referências

Agostinho, Pedro. 1993. “Índios e Ambiente: considerações ecológicas no estudo e demarcação de territórios”. In: Magalhães, Antônio Carlos (Org.). Sociedades Indígenas e Transformações Ambientais. Belém: UFPA: NUMA, 155-184.

Albert, Bruce. 1995. “O ouro canibal e a queda do céu: uma crítica xamânica da economia política da natureza”. Série Antropologia, 174: 2-33. https://acervo.socioambiental.org/acervo/documentos/o-ouro-canibal-e-queda-do-ceu-uma-critica-xamanica-da-economia-politica-da.

Andrade, Ugo M. 2002. Um rio de histórias: a formação da alteridade tumbalalá e a rede de trocas no Submédio São Francisco. Dissertação de mestrado, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Andrade, Ugo M. 2007. O real que não é visto. Xamanismo e relação no Baixo Oiapoque. Tese de doutorado, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Andrade, Ugo M. 2008. Memória e Diferença: os Tumbalalá e as redes de trocas no submédio São Francisco. São Paulo: Humanitas; FAPESP.

Andrade, Ugo M. 2019. “Xamanismo e redes de relações interindígenas: Amazônia e Nordeste brasileiro”. Vivência: Revista de Antropologia, 1 (54): 84-100. https://doi.org/10.21680/2238-6009.2019v1n54ID21542.

Baniwa, Gersem L. 2019. “Desafios no caminho da descolonização indígena”. Novos olhares Sociais, 2 (1): 3-21. https://www3.ufrb.edu.br/ojs/index.php/novosolharessociais/article/view/463.

Bento, Rodolpho C.; Bertolin, Gabriel G.; Danaga, Amanda; Lima, Clarissa M; Souza, Fabiano José A. 2016. “Entrevista. Maria Rosário Gonçalves de Carvalho”. R@u: Revista de Antropologia da UFSCar, 8 (2): 131-154. https://www.rau2.ufscar.br/index.php/rau/article/view/173/163.

Boogaart, Ernst van den. 1979. Johan Maurits van Nassau Siegen, 1604-1679, A humanist prince in Europe and Brazil. Haia: Government Publishing Office.

Bort Jr., João Roberto. 2018. “Violência, cultura e natureza na engenharia discursiva consolatina”. Revista Perspectiva Histórica, 7 (11): 93-116. http://www.perspectivahistorica.com.br/numerosExibe.php?codigo=43.

Bort Jr.; João Roberto; Souza, Edimilson Rodrigues de; Godoi, Emília Pietrafesa de. 2020. “Territorialidades e pessoas errantes”. RURIS – Revista do Centro de Estudos Rurais – UNICAMP, 12 (2): 07-22. https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ruris/article/view/4285.

Caldeira, Vanessa. 2003. “O passado no presente de um povo: os Aranã em processo de emergência étnica”. Cadernos do CEOM, 16 (17): 381-414. https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rcc/article/view/2205#:~:text=Considerados%20extintos%20pela%20historiografia%20oficial,constitucionais%20que%20lhes%20s%C3%A3o%20destinados.

Carneiro da Cunha, Manuela. 2009. “Etnicidade: da cultura residual mas irredutível”. In: ______. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 235-244.

Carvalho, Maria Rosário Gonçalves de. 1977. Os Pataxó de Barra Velha: seu subsistema econômico. Dissertação de Mestrado, UFBA, Salvador, BA, Brasil.

Carvalho, Maria Rosário Gonçalves de. 1998. Os Kanamari da Amazônia Ocidental (AM): história e etnografia. Tese de Doutorado, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Carvalho, Maria Rosário Gonçalves de. 2011. “Um diálogo possível? Etnologias da Amazônia e do Nordeste brasileiro”. Apresentação oral na III REA / XII ABANNE, 2011, UFRR, Boa Vista, RR: 1-12.

Carvalho, Maria Rosário Gonçalves de. 2019. “Intelectuais e lideranças étnicas no campo da Antropologia/interculturalidade na universidade brasileira”. Novos olhares Sociais, 2 (1): 3-21. https://www3.ufrb.edu.br/ojs/index.php/novosolharessociais/article/view/461.

Carvalho, Maria Rosário de; Reesink, Edwin B. 2018. “Uma etnologia no Nordeste brasileiro: balanço parcial sobre territorialidades e identificações”. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais – BIB, 87: 71-104. https://doi.org/10.17666/bib8704/2018.

Carvalho, Maria Rosário de; Souza, Jurema M. 2000. “Raça, gênero e classe em perspectiva comparativa: Nordeste do Brasil e Amazônia Ocidental”. Anais do I simpósio Internacional - O Desafio da Diferença - articulando Gênero, Raça e Classe, 2000, UFBA, Salvador, BA: 1-30. http://www.pineb.ffch.ufba.br/downloads/1259852749Raca%20Genero%20e%20Classe.pdf.

Detienne. Marcel; Lloyd, Janet. 2009. “Historical Anthropology? Comparative Anthropology?”. Arion: A Journal of Humanities and the Classics, 17 (1): 61-84.

Detienne, Marcel, 2005. “Anthropology and Classics”. Arion: A Journal of Humanities and the Classics. 13 (1): 63-74.

Freyre, Gilberto. 1936. Sobrados e Mocambos. São Paulo: Nacional.

Galvão, Eduardo. 1960. “Áreas culturais indígenas do Brasil, 1990-1959”. Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi, nova série, Antropologia, 8: 1-41.

Gregor, Thomas; Tuzin, Donald. 2001. Gender in Amazonia and Melanesia: an exploration of the comparative method. Bekeley: University of California Press.

Grünewald, Rodrigo de A (org.). 2005. Toré: regime encantado do índio do Nordeste. Recife: Fundaj, Editora Massangana.

Halbmayer, Ernst. 2020. Amerindian socio-Cosmologies between the Andes, Amazonia and Mesoamerica: toward and Anthropological Understanding of the Isthmo-Colombian Area. New York: Routledge Studies in Anthropology.

Kato, Gabriel A.; Fagundes, Guilherme O.; Balanco, João Pedro G.; Almeida, João Victor M. de. 2020. "Eduardo Galvão". In: Enciclopédia de Antropologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de Antropologia. http://ea.fflch.usp.br/autor/eduardo-galvao.

Kopenawa, Davi; Albert, Bruce. 2015. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras.

Mejía Lara, Amiel Ernenek. 2011. “Contribuições para sair da dicotomia ‘internalistas’ contra ‘externalistas’ na Antropologia que estuda os povos indígenas”. Anais da III REA / XII ABANNE, 2011, UFRR, Boa Vista, RR: 168-177.

Mejía, Ernenek. 2012. “Estar na cultura”: os Tupinambá de Olivença e o desafio de uma definição de indianidade no Sul da Bahia. Dissertação de Mestrado, UNICAMP, Campinas, SP, Brasil.

Mejía, Ernenek. 2017. Contra-invenciones indígenas: antropologías, políticas y culturas em comparación desde los movimientos Nahua (Jalisco, México) y Tupinambá (Bahía, Brasil). Tese de Doutorado, UNICAMP, Campinas, São Paulo, Brasil.

Melatti, Julio Cezar. 2014. Índios do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Monteiro, John M. 2001. Tupis, Tapuias e historiadores: estudos de História Indígena e do Indigenismo. Tese de Livre Docência, UNICAMP, Campinas, SP, Brasi.

Morais, Bruno M. 2017. Do corpo ao pó: crônicas da territorialidade kaiowá e guarani nas adjacências da morte. São Paulo: Elefante.

Oliveira, João Pacheco de. 1998. “Uma etnologia dos ‘índios misturados’? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais”. Mana, 4 (1): 47-77. https://doi.org/10.1590/S0104-93131998000100003.

Pavelic, Nathalie Le Bouler. 2019. Aprender e ensinar com os outros: a educação como meio de abertura e de defesa na Aldeia Tupinambá de Serra do Padeiro (Bahia, Brasil). Tese de Doutorado, UFBA, Salvador, BA, Brasil; EHESS, Paris, França. https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31034.

Peres, Sidnei C. 2003. Cultura, política e identidade na Amazônia: associativismo no Baixo Rio Negro. Tese de Doutorado, UNICAMP, Campinas, SP, Brasil.

Pinho, Osmundo. 2019. “A Antropologia no espelho da raça”. Novos Olhares Sociais, 2 (1): 99-118. https://www3.ufrb.edu.br/ojs/index.php/novosolharessociais/article/view/466.

Reesink, Edwin B. 1994. Imago mundi Kanamari. Tese de Doutorado, Museu Nacional/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Reesink, Edwin B. 2017. “Olhos Miúdos e Olhos Graúdos em Massacará: a ideologia étnica”. Revista ANTHROPOLÓGICAS, 28 (2): 6-26. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaanthropologicas/article/view/236286.

Sahlins, Marshall. 1990. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed.

Serafim, Amanda Gonçalves. 2020. "Roberto Cardoso de Oliveira". In: Enciclopédia de Antropologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de Antropologia. http://ea.fflch.usp.br/autor/roberto-cardoso-de-oliveira.

Vaz Filho, Florêncio A. 2010. A emergência étnica de povos indígenas no Baixo Rio Tapajós, Amazônia. Tese de Doutorado, UFBA, Salvador, BA, Brasil.

Vaz Filho, Florêncio A. 2019. “O nativo revestido com as armas da Antropologia”. Novos Olhares Sociais, 2 (1): 79-89. https://www3.ufrb.edu.br/ojs/index.php/novosolharessociais/article/view/465.

Viveiros de Castro, Eduardo. 1986. Araweté: os deuses canibais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

Viveiros de Castro, Eduardo. 1999. “Etnologia brasileira”. In: Miceli, Sérgio (org.). O que ler na Ciência Social brasileira (1970-1995). Vol. I (Antropologia). São Paulo: Sumaré/Anpocs; Brasília: CAPES, 109-223.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

BORT JUNIOR, J. R.; RAYIS LOVO, A.; BORGES HENRIQUE, F. Etnologia Transversa: uma primeira conversa com Maria Rosário de Carvalho, Ugo Maia Andrade e Florêncio A. Vaz Filho. Maloca: Revista de Estudos Indígenas, Campinas, SP, v. 4, n. 00, p. e021019, 2021. DOI: 10.20396/maloca.v4i00.15959. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/maloca/article/view/15959. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Entrevistas