Raízes históricas das organizações indígenas no Brasil

estratégias políticas e culturais das novas lideranças nativas

Autores

  • John Manuel Monteiro (in memoriam) Departamento de Antropologia (Unicamp) e Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap)

DOI:

https://doi.org/10.20396/maloca.v4i00.15787

Palavras-chave:

John Manuel Monteiro, Liderança Indígena, Movimento Indígena, História Indígena

Resumo

Em comemoração aos 50 anos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS/Unicamp), o comitê editorial da Maloca - Revista de Estudos Indígenas publica este artigo em que John Manuel Monteiro (1956-2013) apresenta sua interpretação histórica sobre as novas formas indígenas de liderança e ação política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agier, Michel e Carvalho, Maria Rosário G. de. 1994. “Nation, Race, Culture: Les Mouvements Noirs et Indiens au Brésil”. Cahiers des Amériques Latines 17: 107-124. http://www.iheal.univ-paris3.fr/fr/publications/cahiers-des-am%C3%A9riques-latines-n%C2%B0-17-identit%C3%A9-et-couleurs-en-am%C3%A9rique-latine.

Arruda, Rinaldo Sérgio Vieira. 1994. “Existem Realmente Índios no Brasil?”. São Paulo em Perspectiva 8 (3): 77-85.

Arruti, José Maurício Andion. 1995. “Morte e Vida do Nordeste Indígena: a emergência étnica como fenômeno histórico regional”. Estudos Históricos 8 (15): 57-94. http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/1995.

Baines, Stephen G. 1990. É a Funai que Sabe. Brasília: Editora UnB.

Brown, Michael F. 1993. “Facing the State, Facing the World: Amazonia’s Native Leaders and the New Politics of Identity”. L’Homme, 33 (2-4): 307-326. https://www.persee.fr/doc/hom_0439-4216_1993_num_33_126_369642.

Cardoso de Oliveira, Roberto. 1978. Sociologia do Brasil Indígena. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro.

Cardoso de Oliveira, Roberto. [1964] 1981. O Índio e o Mundo dos Brancos. 3a. ed., São Paulo: Pioneira/Brasília, Edunb.

Cardoso de Oliveira, Roberto. 1988. A Crise do Indigenismo. Campinas: Editora da Unicamp.

Carneiro da Cunha, Manuela. 1992. “Introdução a uma História Indígena”. In: ______. (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 9-24.

Carvalho, Marcus J. 1997. “O Envolvimento dos Índios de Pernambuco nas Brigas de Brancos”. In: Monteiro, J.; Nogueira, F. (orgs.). Confronto de Culturas. São Paulo; Rio de Janeiro: Edusp; Expressão e Cultura.

CEDI. 1991. Povos Indígenas no Brasil 1987/88/89/90. São Paulo: Centro Ecumênico de Documentação e Informação (Aconteceu Especial 18).

CPI-SP [Comissão Pró-Índio de São Paulo]. 1979. A Questão da Emancipação. São Paulo: Global (Cadernos da Comissão Pró-Índio 1).

Conklin, Beth; Graham, Laura. 1995. “The Shifting Middle Ground: Amazonian Indians and Eco-Politics”. American Anthropologist 97 (4): 695-710. https://doi.org/10.1525/aa.1995.97.4.02a00120.

Dantas, Beatriz Góis; Sampaio, José Augusto L.; Carvalho, Maria Rosário G. de. 1992. “Os Povos Indígenas do Nordeste Brasileiro: um Esboço Histórico”. In: Carneiro da Cunha, Manuela (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 431-456.

Faulhaber, Priscila. 1987. O Navio Encantado: Etnia e Alianças em Tefé. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi (Coleção Eduardo Galvão).

Fisher, William. 1994. “Megadevelopment, Environmentalism, and Resistance: The Institutional Context of Kayapó Indigenous Politics in Central Brazil”. Human Organization 53 (3): 220-232.

Gagliardi, José Mauro. 1989. O Indígena e a República. São Paulo: Hucitec.

Gallois, Dominique. 1993. Mairi Revisitada. A Reintegração da Fortaleza de Macapá na Tradição Oral dos Waiãpi. São Paulo: Núcleo de História Indígena e do Indigenismo.

Grupioni, Luís Donisete Benzi. 1994. “Indian Organizations and Pro-Indian Groups in Brazil: Views of the Quincentenary”. In: Bary, L et al. (orgs.). Rediscovering America, 1492-1992: National, Cultural and Disciplinary Boundares Re-examined. Baton Rouge: Louisiana State University.

ISA. 1996. Povos Indígenas no Brasil 1991/1995. São Paulo: Instituto Socioambiental.

Jackson, Jean. 1995. “Culture, Genuine and Spurious: The Politics of Indianness in the Vaupés, Colombia”. American Ethnologist 22 (1): 3-27. https://doi.org/10.1525/ae.1995.22.1.02a00010.

Lima, Antonio Carlos de Souza. 1985. Aos Fetichistas, Ordem e o Progresso. Dissertação de Mestrado, Museu Nacional/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Lopes da Silva, Aracy. 1992. “Dois Séculos e Meio de História Xavante”. In: Carneiro da Cunha, Manuela (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 357-378.

Matos, Maria Helena Ortolan. 1997. O Processo de Criação e Consolidação do Movimento Pan-Indígena no Brasil (1970-1980). Dissertação de Mestrado, UnB, Brasília, DF, Brasil.

Meira, Márcio. 1991. “Baniwa, Baré, Warekena, Maku, Tukano...: Os Povos Indígenas do Baixo Rio Negro Querem ser Reconhecidos”. In: CEDI. Povos Indígenas no Brasil 1987/88/89/90. São Paulo: Centro Ecumênico de Documentação e Informação (Aconteceu Especial 18): 135-140.

Mota, Lúcio Tadeu. 1994. As Guerras dos Índios Kaingang. A História Épica dos Índios Kaingang no Paraná, 1769-1924. Maringá: Editora da UEM.

Oliveira, João Pacheco de, 1988. “O Nosso Governo”: Os Ticuna e o Regime Tutelar. São Paulo: Marco Zero.

Porto Alegre, Maria Sylvia; Mariz, Marlene da Silva; Dantas, Beatriz Góis. 1994. Documentos para a história indígena no Nordeste. São Paulo: Núcleo de História Indígena e do Indigenismo; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Ramos, Alcida Rita. 1990. “Indigenismo de Resultados”. Revista Tempo Brasileiro 100: 133-150. http://dan.unb.br/images/doc/Serie100empdf.pdf.

Ramos, Alcida Rita. 1995. “O Índio Hiper-Real”. Revista Brasileira de Ciências Sociais 28: 5-14. http://www.anpocs.com/images/stories/RBCS/28/rbcs28_01.pdf.

Ribeiro, Berta. 1995. Os Índios das Águas Pretas. São Paulo: Edusp; Companhia das Letras.

Ricardo, Carlos Alberto. 1991. “Jogo Duro na Cabeça do Cachorro”. In: CEDI. Povos Indígenas no Brasil 1987/88/89/90. São Paulo: Centro Ecumênico de Documentação e Informação (Aconteceu Especial 18): 101-106.

Ricardo, Carlos Alberto. 1995. “'Os índios' e a sociodiversidade nativa contemporânea no Brasil”. In: Lopes da Silva, Aracy; Grupioni, Luís Donisete Benzi (orgs.). A Temática indígena na escola: novos subsídios para professores de primeiro e segundo graus. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 29-55.

Sampaio Silva, Orlando. 1984. “O Dilúvio na História-Mito e na Realidade Atual dos Tuxá”. Dissertação de Mestrado, Escola de Sociologia e Política de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, Márcio Ferreira da; Azevedo, Marta Maria de. 1995. “Pensando as Escolas dos Povos Indígenas no Brasil: O Movimento dos Professores Indígenas do Amazonas, Roraima e Acre”. In: Lopes da Silva, Aracy; Grupioni, Luís Donisete Benzi (orgs.). A Temática indígena na escola: novos subsídios para professores de primeiro e segundo graus. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 149-161.

Souza, Jorge Bruno de. 1995. “Os Kaimbé de Massacará e sua Organização Política”. In: Lopes da Silva, Aracy; Grupioni, Luís Donisete Benzi (orgs.). A Temática indígena na escola: novos subsídios para professores de primeiro e segundo graus. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 266-268.

SSRC [Social Science Research Council]. 1954. “Acculturation: an Exploratory Formulation”. American Anthropologist 56 (6): 973-1002. https://doi.org/10.1525/aa.1954.56.6.02a00030.

Stern, Steve (org.). 1987. Resistance, Rebellion and Consciousness in the Andean Peasant World. Madison: University of Wisconsin Press.

Tassara, Eda; Bisilliat, Maureen (org.). 1991. O Índio Hoje, Amanhã. Dossiê do I Ciclo. São Paulo: Edusp; Memorial da América Latina.

Telles, Vera da Silva. 1996. “Novas Faces da Cidadania: notas para uma discussão”. Novas Faces da Cidadania: identidades políticas e estratégias culturais. São Paulo: Cebrap (Cadernos de Pesquisa 4).

Tressmann, Ismaier. 1993. “Pandarej, os Peritos no Arco”. Cadernos COMIN 2.

Turner, Terence. 1993. “Da Cosmologia à História: Resistência, Adaptação e Consciência Social entre os Kayapó”. In: Viveiros de Castro, Eduardo; Carneiro da Cunha, Manuela (orgs.). Amazônia: Etnologia e História Indígena. São Paulo: Núcleo de História Indígena e do Indigenismo, 43-66.

Turner, Terence. 1992. “Os Mebengokre Kayapó: História e Mudança Social, de Comunidades Autônomas para a Coexistência Interétnica”. In: Carneiro da Cunha, Manuela (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 311-338.

Wright, Robin M. 1988. “Anthropological Presuppositions of Indigenous Advocacy”. Annual Review of Anthropology 17: 365-390. https://doi.org/10.1146/annurev.an.17.100188.002053.

Downloads

Publicado

2022-05-01

Como Citar

MONTEIRO (IN MEMORIAM), J. M. . Raízes históricas das organizações indígenas no Brasil: estratégias políticas e culturais das novas lideranças nativas. Maloca: Revista de Estudos Indígenas, Campinas, SP, v. 5, n. 00, p. e022003, 2022. DOI: 10.20396/maloca.v4i00.15787. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/maloca/article/view/15787. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê "50 anos do PPGAS da Unicamp"