Um interminável Brasil colônia

os povos indígenas e um outro desenvolvimento

  • Artionka Capiberibe Unicamp (Universidade Estadual de Campinas)
Palavras-chave: Povos indígenas, Legislação indigenista, Ontologia mercantilista, Antropoceno, Cosmopolítica

Resumo

O artigo explora a disputa político-normativa que mobiliza, de um lado, os alertas feitos pelos povos indígenas sobre o esgotamento da possibilidade de vida na terra, decorrente da exploração desenfreada de seus recursos naturais, percepção corroborada pela ciência e expressa na proposição do Antropoceno; e, de outro, as articulações e estratégias de convencimento de uma ontologia mercantilista que se preocupa em manter um modelo secular de desenvolvimento baseado na exploração econômica exaustiva e não sustentável de recursos ambientais e humanos. O artigo joga luz na ação indígena, na forma que assume, sustentada na palavra e no corpo, e no que ela contempla, uma cosmopolítica desenvolvida em dois planos: um pragmático e urgente, expresso na preocupação com a existência indígena, no presente; e um outro, epistêmico-ontológico, que conecta o passado, o presente e o futuro, ao mesmo tempo que inter-relaciona nessa temporalidade todos os entes do planeta (indígenas, não indígenas, animais, seres espirituais).

Publicado
2019-04-27
Como Citar
Capiberibe, A. (2019). Um interminável Brasil colônia: os povos indígenas e um outro desenvolvimento. Maloca: Revista De Estudos Indígenas, 1(1), 53-77. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/maloca/article/view/13197
Seção
Dossiê