A Segunda Abolição

notas sobre raça e classe na formação social brasileira

Autores

  • Eduardo Mara Centro Universitário Maurício de Nassau
  • Túlio Batista da Silva Centro Universitário Maurício de Nassau

DOI:

https://doi.org/10.20396/cemarx.v14i00.15314

Palavras-chave:

Racismo, Classes Sociais, Marxismo

Resumo

A compreensão do caráter estrutural do racismo na sociedade brasileira segue como desafio central para a formulação de estratégias de superação das relações capitalistas e de seus rebatimentos sobre o conjunto da classe trabalhadora. A tradição marxista constitui um ponto de partida fundamental para a compreensão das raízes escravocratas do capitalismo brasileiro e do racismo como mecanismo de dominação de classe. Este artigo busca sintetizar as principais contribuições de clássicos do marxismo no Brasil acerca do tema em torno de dois eixos centrais. O primeiro trata do papel desempenhado pelo racismo, em suas variadas formas, no processo de transição para o capitalismo no Brasil. O segundo decorre do primeiro e trata do significado do protesto negro para a constituição do proletariado em classe no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eduardo Mara, Centro Universitário Maurício de Nassau

Doutor em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco. Docente do curso de Serviço Social do Centro Universitário Maurício de Nassau.

Túlio Batista da Silva, Centro Universitário Maurício de Nassau

Bolsista voluntário do Projeto de Pesquisa Realidade Brasileira e Serviço Social, do Centro Universitário Maurício de Nassau.

Referências

ALMEIDA, Silvio. Racismo Estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. São Paulo: Globo, 2005.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: O legado da raça branca. São Paulo: Global, 2008.

FERNANDES, Florestan. Significado do protesto negro. São Paulo: Expressão Popular co-edição Editora da Fundação Perseu Abramo, 2017.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Schimidt, 1933.

GONZALEZ, L; HASENBALG, C. Lugar de Negro. Rio de Janeiro: Editora Marco Zero Limitada, 1982.

GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. São Paulo: Editora Ática, 1985.

GORENDER, Jacob. “Apresentação”. In: MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

IANNI, Octavio. Escravidão e racismo. São Paulo: Hucitec, 1978.

MOURA, Clóvis. Brasil: Raízes do protesto negro. São Paulo: Global, 1983.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988a.

MOURA, Clóvis. Dialética Radical do Brasil Negro. São Paulo: Editora Anita Ltda., 1994.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

MARA, E.; SILVA, T. B. da. A Segunda Abolição: notas sobre raça e classe na formação social brasileira. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, v. 14, n. 00, p. e021014, 2021. DOI: 10.20396/cemarx.v14i00.15314. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/15314. Acesso em: 18 maio. 2022.