O legado do sistema colonial escravagista como base para a gênese do sistema capitalista no Brasil

a persistência do racismo no cotidiano da população negra

Autores

  • Denise Carvalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Racismo, Escravidão, Sistema capitalista

Resumo

Este artigo propõe uma discussão acerca de como o legado do racismo no sistema colonial escravagista fundamentou a gênese do sistema capitalista no Brasil. O objetivo principal é verificar em que medida é possível elaborar um diagnóstico de fatores que estiveram presentes no regime escravagista do Brasil colonial e que persistem no sistema capitalista da atualidade como resultado do modo pelo qual as estruturas das relações interpessoais no Brasil do período colonial foram forjadas. Para tanto, serão resgatadas reflexões sobre questões relacionadas a três esferas específicas como o trabalho, a violência e as desigualdades entre as classes que, atreladas aos impactos do racismo e, consequentemente, da desigualdade racial, atingiram diretamente a população preta e parda no Brasil. A metodologia compreendeu uma revisão bibliográfica de uma seleção de escritos de Marx e Engels, associada à reflexão trazida, de um lado, por referenciais que versaram sobre aspectos históricos das relações raciais no Brasil e, em paralelo, por referenciais que contribuíram para a elucidação da teoria marxista. Por fim, o levantamento bibliográfico realizado neste artigo contribuiu para consolidar a hipótese de que os elementos remanescentes das relações raciais do Brasil colonial pré-capitalista foram determinantes para impulsionar a reprodução das relações capitalistas no contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Carvalho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Pesquisadora PNPD/CAPES do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da UFRN (PPgEM/UFRN). Doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP).

Referências

ANDREWS, George Reid. América afro-latina, 1800-2000. São Carlos: EdUFSCar, 2007.

AZEVEDO, Celia Maria Marinho de. Onda negra medo branco: o negro no imaginário das elites do século XIX. 3.ed. São Paulo: Annablumé, 2004.

BENTO, Maria Aparecida Silva. Pactos narcísicos com o racismo: branquitude e poder nas organizações empresariais e no poder público. 2002. 169p. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2007.

BARBOSA, Alexandre de Freitas. A formação do mercado de trabalho no Brasil: da escravidão ao assalariamento. Campinas, 2003. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas.

BASTIDE, Roger. Brancos e negros em São Paulo: ensaio sociológico sobre aspectos da formação, manifestações atuais e efeitos do preconceito de cor na sociedade paulistana. 4.ed. rev. São Paulo: Global, 2008.

BLACKBURN, Robin. A queda do Escravismo Colonial: 1776-1848. Tradução: Maria Beatriz de Medina. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2002.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo; USP, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, 2012.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. 2.ed. Tradução de Frank de Oliveira e Henrique Monteiro. São Paulo: Ed.34/EDUSP, 2000.

CARDOSO, Adalberto Moreira. A Construção da sociedade do trabalho no Brasil: uma investigação sobre a persistência secular das desigualdades. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

CARDOSO, Fernando Henrique. Capitalismo e escravidão no Brasil meridional: o negro na sociedade escravocrata do Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

CARDOSO, Lourenço. Branquitude acrítica e crítica: a supremacia racial e o branco anti-racista. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, v.8, n.1, ene-jun, 2010.

ENDO, Paulo Cesar. A violência no coração da cidade: um estudo psicanalítico sobre as violências na cidade de São Paulo. São Paulo: Escuta/FAPESP, 2005.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: ensaio de interpretação sociológica. 5ed. São Paulo: Globo, 2008. 1v.

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata. 4.ed. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

GOMES, Flávio; PAIXÃO, Marcelo. Raça, pós-emancipação, cidadania e modernidade no Brasil: questões e debates. Maracanan, 4, p. 171-194, 2008.

GONZALEZ, Lélia. Primavera para as rosas negras: Lélia Gonzalez em primeira pessoa. São Paulo: Diáspora Africana; União dos Coletivos Pan-Afircanistas, 2018.

GORENDER, JACOB. A escravidão reabilitada. São Paulo: Ática, 1990.

GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. São Paulo: Ática, 1985.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Um sonho de classe: trabalhadores e formação de classe na Bahia dos anos oitenta. São Paulo: Hucitec; PPGS/USP, 1998.

HARVEY, David. Para entender o capital. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo, SP: Boitempo, 2013.

HASENBALG, Carlos Alfredo; SILVA, Nelson do Valle. Estrutura social, mobilidade e raça. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais; Rio de Janeiro: Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, 1988.

HASENBALG, Carlos Alfredo. As desigualdades raciais revisitadas. In: MACHADO DA SILVA, Luís Antônio et al. Movimentos sociais urbanos, minorias étnicas e outros estudos. Brasília: ANPOCS. Ciências Sociais Hoje, v.2, 1983. p. 179-197.

HASENBALG, Carlos Alfredo. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Tradução de Patrick Burglin. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

HUDIS, Peter. O Racismo e a Lógica do Capital: Uma Reconsideração Fanoniana / Racism and the Logic of Capital: A Fanonian Reconsideration. Revista Direito e Práxis, [S.l.], v. 11, n. 2, p. 1391-1417, jun. 2020.

IANNI, Octavio. Raças e classes sociais no Brasil. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 2004.

LIMA, Márcia. “Acesso à universidade e mercado de trabalho: o desafio das políticas de inclusão”. In: MARTINS, Heloísa Helena Teixeira de Souza; COLLADO, Patrícia Alejandra. Trabalho e sindicalismo no Brasil e na Argentina. São Paulo: Hucitec; PPGS/USP; Mendonza: Universidad Nacional de Cuyo, 2012.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: Livro I: o processo de produção do capital. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl. Grundisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. Tradução de Mario Duayer, Nélio Schneider (colaboração de Alice Helga Werner e Rudiger Hoffman. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos filosóficos. Tradução de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto comunista. Tradução de Álvaro Pina. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, Karl. Formações econômicas pré-capitalistas. Tradução de João Maia. 6ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

MARX, Karl. A miséria da filosofia. Tradução de José Paulo Netto. São Paulo: Global, 1985.

MOORE, Carlos. O marxismo e a questão racial. Karl Marx e Friedrich Engels frente ao racismo e à escravidão. Belo Horizonte: Nandyala; Uberlândia; Cenafro, 2010.

MOURA, Clóvis. Quilombos: resistência ao escravismo. 3a ed. São Paulo: Ática, 1993.

MOURA, Clóvis. Sociologia do negro brasileiro. São Paulo: Ática, 1988.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala. 3ed. São Paulo: Lech, 1959.

MÜLLER, Tânia M. P.; CARDOSO, Lourenço (Orgs.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. Curitiba: Appris, 2017.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

REINER, Robert. A política da polícia. Tradução de Jacy Cardia Ghirotti e Maria Cristina Pereira da Cunha Marques. São Paulo: Editora da Universidade e São Paulo, 2004.

SCHUCMAN, Lia Vainer; SCHLICKMANN, Renata. Racismo e branquitude: psicologia e branqueamento no Brasil. In: KOMINEK, Andrea Maila Voss; VANALI, Ana Christina (Orgs.). Roteiros temáticos da diáspora: caminhos para o enfrentamento ao racismo no Brasil. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2018.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SKIDMORE, Thomas E. Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Tradução de Raul de Sá Barbosa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

THEODORO, Mário. A formação do mercado de trabalho e a questão racial no Brasil. In: THEODORO, Mário (Org.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. 1ed. IPEA: Brasília, 2008.

WILLIAMS, Eric. Tradução de Carlos Nayfeld. Capitalismo e escravidão. Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana, 1975.

Downloads

Publicado

2021-08-12

Como Citar

CARVALHO, D. O legado do sistema colonial escravagista como base para a gênese do sistema capitalista no Brasil: a persistência do racismo no cotidiano da população negra. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, v. 14, n. 00, p. e021006, 2021. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/15223. Acesso em: 5 dez. 2021.