Banner Portal
Do universal ao específco
PDF

Palavras-chave

Raça
Gênero
Brasil

Como Citar

MOTTA, Daniele. Do universal ao específco : entrelaçando gênero, raça e classe. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, n. 11, p. 71–88, 2018. DOI: 10.20396/cemarx.v0i11.11291. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/11291. Acesso em: 18 jun. 2024.

Resumo

A presente carta dialoga com algumas ideias de Karl Marx e do marxismo para fazer alguns questionamentos referentes às perspectivas de gênero e de raça. A partir da experiência pessoal da autora, de uma leitura da formação social brasileira e de uma leitura terceiro-mundista, a argumentação traz esses questionamentos no intuito de contribuir para a formação de uma perspectiva analítica da imbricação de gênero, raça e classe que leve em consideração o método histórico de Marx e suas contribuições para a compreensão da sociedade capitalista. Dessa forma, a intenção da carta é levantar também aspectos das especifcidades do desenvolvimento do capitalismo no Brasil, com base em uma leitura interseccional constituída no âmbito das perspectivas metodológicas presentes na teoria feminista contemporânea e, com isso, traçar um diálogo com Marx, refletindo de que maneira suas contribuições ainda hoje são relevantes para a análise das relações sociais.
https://doi.org/10.20396/cemarx.v0i11.11291
PDF

Referências

ÁVILA, Maria Betânia. As mulheres no mundo do trabalho e a relação corpo e sujeito. Cadernos de Crítica Feminista, n. 4, ano V, p. 48-71, dez. 2011.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu, Campinas, n. 26, p. 329-376, jan/jun de 2006.

CRENSHAW, Kimberle. Documentos para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, ano 10, 2002.

FALQUET, Jules. Repensar as relações sociais de sexo, classe e “raça” na globalização neoliberal. Mediações, Londrina, v.13, n.1-2, p. 121-142, 2008.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2007.

GUILLAUMIN, Colete. Práctica del poder e idea de Naturaleza. In: CURIEL, Ochy e FALQUET, Jules (Orgs.) El patriarcdo al desnudo. Tres feministas materialistas: Colette Guillaumin - Paola Tabet - Nicole Claude Mathieu. Buenos Aires: Brecha Lesbica, 2005.

HIRATA, Helena e ZARIFIAN, Philipe. O conceito de Trabalho. In: Trabalho e Cidadania Ativa para as Mulheres: desafios para as Políticas Públicas. EMÍLIO, Marli (org.). São Paulo: Coordenadoria Especial da Mulher, 2003.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Vol. I tomos I e II: O processo de produção do capital. São Paulo: Nova cultural, 1985. (Coleção Os Economistas).

MARX, K.; ENGELS, Engels. O Manifesto Comunista. São Paulo: Paz e Terra, 2006. RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento; Justicando, 2017. (Feminismos Plurais).

SADER, Eder. Quando novos personagens entraram em cena: experiências e lutas dos trabalhadores da grande São Paulo 1970-1980. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

SAFFIOTI, Heleieth; BONGIOVANI, Iara. Rearticulando gênero e classe social. In: COSTA, A. O.; BRUSCHINNI, C. (Orgs.), Uma questão de gênero. São Paulo: Rosa dos Ventos; Fundação Carlos Chagas, 1992.

THOMPSON, Edward P. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. E. P. Thompson. NEGRO, Antonio Luigi; SILVA, Sergio (Orgs.). Campinas, SP: Unicamp, 2001.

WARREN, Ilse Scherer. Das mobilizações às redes de movimentos sociais. In: Sociedade e Estado. Vol.21,n. 1,Brasília, Jan./Abr.2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0102-69922006000100007.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Daniele Motta

Downloads

Não há dados estatísticos.