Banner Portal
Hegemonia heterossexista, lutas antipatriarcais e partido político: introdução ao debate teórico
PDF

Palavras-chave

Heterossexismo
Lutas de classes
Partido político

Como Citar

ALVES, Leonardo Nogueira. Hegemonia heterossexista, lutas antipatriarcais e partido político: introdução ao debate teórico. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, n. 10, p. 221–240, 2018. DOI: 10.20396/cemarx.v0i10.10928. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/10928. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

Este artigo vislumbra compreender, no âmbito das lutas de classes, o papel das lutas de caráter antipatriarcal e sua relação com a função do partido político da classe trabalhadora. Partimos da perspectiva de que as relações patriarcais de gênero, hegemônicas em nossa sociedade, são fundamentadas e retroalimentadas pela dinâmica do heterossexismo. Assim, por meio de uma reflexão teórica, explicitamos o signifi cado das lutas antipatriarcais, os seus limites e desafi os e o potencial do partido político como instrumento universalizante das lutas sociais.

https://doi.org/10.20396/cemarx.v0i10.10928
PDF

Referências

BORRILLO, D. Homofobia: História e crítica de um preconceito. Tradução Guilherme Joao de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2010.

BRAZ, M. Partido e revolução 1848-1989. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

BRAZ, M. “As formas atuais das lutas de classes e a questão do mediador universalizante”. Revista Políticas Públicas. São Luís, Número Especial, jul. 2014, p. 143-153.

BRAZ, M. “Apresentação a Que Fazer?”. In: LENIN, V. Que Fazer? Problemas candentes do nosso movimento. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

CORNWALL, A. e JOLLY, S. “Introdução: a sexualidade é importante”. In: ______. (Orgs). Questões de Sexualidade: Ensaios transculturais. Tradução: Jones de Freitas. Rio de Janeiro: ABIA, 2008.

DEVREUX, A-M. “A teoria das relações sociais de sexo: um quadro de análise sobre a dominação masculina”. Cadernos de Crítica Feminista. Ano V, n. 4, dez. 2011.

FALQUET, J. “Mujeres, feminismo y desarrollo: un análisis crítico de las políticas de las instituciones internacionales”. Desacatos, n. 11, 2003, p. 13-35.

FALQUET, J. “Repensar as relações de sexo, “raça” e classe na globalização neoliberal”. Mediações. Londrina: UEL. v. 13, n. 1-2, Jan/Jun. e Jul/ Dez. 2008, p. 121-142.

FALQUET, J. “O capitalismo fi nanceiro não liberta as mulheres: análises feministas materialistas e imbricacionistas”. Crítica Marxista. Campinas: CEMARX/UNICAMP. n. 36, 2013, p. 09-25.

GURGEL, T. “Feminismo e luta de classe: história, movimento e desafi os teórico-políticos do feminismo na contemporaneidade”. Anais do 9º Seminário Internacional Fazendo Gênero. Florianópolis, 2010.

HARVEY, D. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Ed. Loyola, 2012.

KERGOAT, D. “Dinâmica e consubstancialidade das relações sociais”. Novos Estudos. CEBRAP, n. 86, março 2010.

LUKÁCS, G. O Estado e a Revolução: o que ensina o marxismo sobre o Estado e o papel do proletariado na revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

LUKÁCS, G. Que fazer? Problemas candentes de nosso movimento. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

LUKÁCS, G. Lenin: um estudo sobre a unidade de seu pensamento. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2012.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social II. Tradução de Nélio Schneider, Ivo Tonet e Ronaldo Fortes. São Paulo: Boitempo, 2013.

SAFFIOTI, H. Contribuição à critica da economia política. Tradução de Florestan Fernandes. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

SAFFIOTI, H. e ENGELS, F. Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 2010.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011.

OKITA, H. Homossexualidade: da opressão à libertação. São Paulo: Sundermann, 2015.

PRADO, M. A. M. e MACHADO, F. V. Preconceitos contra Homossexualidades: Hierarquia da invisibilidade. São Paulo: Cortez, 2008.

SAFFIOTI, H. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SAFFIOTI, H. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

SANTOS, B. S. Pela Mão de Alice: o social e político na pós-modernidade. São Paulo: Ed. Cortez, 1996.

SIMIONATO, I. “As expressões ideoculturais da crise capitalista na atualidade e sua infl uência teórico-política”. Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profi ssionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.

SIMÕES, J. A. e FACCHINI, R. Na trilha do arco-íris: do movimento homossexual ao LGBT. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2009.

STERNS, P. História da sexualidade. São Paulo: Contexto, 2010.

VINAGRE, M. “Diversidade humana, relações sociais de gênero e luta de classe: emancipação para além da cultura”. Em Pauta: Revista da Faculdade de Serviço Social da UERJ. Rio de Janeiro, n. 28, v. 9, 2011, p. 51-63. Disponível em: h% p://www.e-publicacoes. uerj.br/index.php/revistaempauta/article/viewFile/2933/2097.

WELZER-LANG, D. “A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia”. Tradução de Miriam Pillar Grossi. Estudos Feministas. n. 15, 2001, p. 460-482.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Leonardo Nogueira Alves

Downloads

Não há dados estatísticos.