Banner Portal
A normalidade gay e a transformação queer
PDF

Palavras-chave

Homonormatividade
Queer
Neoliberalismo

Como Citar

DRUCKER, Peter. A normalidade gay e a transformação queer. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, n. 10, p. 199–217, 2018. DOI: 10.20396/cemarx.v0i10.10927. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/10927. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

Nos últimos 50 anos, as vitórias dos movimentos LGBTI foram reais e importantes, mas estiveram, ao mesmo tempo, entrelaçadas às derrotas signifi cativas. Onde os movimentos aparentemente obtiveram maiores ganhos, as vidas LGBTI foram circunscritas a uma nova “homonormatividade” ligada ao neoliberalismo. Cinco traços homonormativos defi nem uma nova formação hegemônica entre o mesmo sexo: a autodefi nição da comunidade lésbica/gay como uma minoria estável, o aumento da conformidade de gênero, a marginalização das pessoas trans, a maior integração à nação
e a formação de famílias lésbicas/gays normalizadas. Ao mesmo tempo, muitos queers estão rejeitando o consumismo, a respeitabilidade e a conformidade e, portanto, a normalidade gay. Não obstante, é apenas lentamente que a resistência queer à homonormatividade desenvolve a teoria de que necessita, incluindo um marxismo feminista, não eurocêntrico e anti-economicista. Para alcançar uma liberação completa, uma política queer tem que “queerizar” os movimentos sociais de classe e radicalizar sua investida contra o binarismo gay/hétero. Isto signifi ca lutar por uma vida erótica que é polimorfi camente sensual, e não genitalmente obcecada; igualitária e não possessiva.

https://doi.org/10.20396/cemarx.v0i10.10927
PDF

Referências

BARKER, N. Not the Marrying Kind: A Feminist Critique of Same-Sex Marriage, Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2012.

BROWNE, K. “By Partner We Mean...”: Alternative Geographies of “Gay Marriage”. Sexualities, v. 14, n. 1, 2011, p. 100-22.

D’EMILIO, J. The World Turned: Essays on Gay History, Politics, and Culture, Durham: Duke University Press, 2002.

D’EMILIO, J. e FREEDMAN, E. B. Intimate Ma! ers: A History of Sexuality in America, Chicago: University of Chicago Press, 1997.

DUGGAN, L. The New Homonormativity: The Sexual Politics of Neoliberalism. In: CASTRONOVO, R. e NELSON, D. Materializing democracy: toward a revitalized cultural politics. Londres: Duke University Press, 2002.

HOLLIBAUGH, A. e PAL SINGH, N. Sexuality, Labor, and the New Trade Unionism. Social Text, v. 17, n. 4, 1999, p. 73-88.

MAIKEY, H. Signposts from Al Qaws: A Decade of Building a Queer Palestinian Discourse, 2012. Disponível em: http://www. bekhsoos.com/web/2012/05/alqaws/.

MAKAREM, G. The Story of HELEM. Journal of Middle East Women’s Studies, v. 7, n. 3, 2011, p. 98-112.

NANA, J. G. et al. Statement of African Social Justice Activists on the Threats of the British Government to “Cut Aid” to African Countries that Violate the Rights of LGBTII People in Africa, 2011. Disponível em: http://www.amsher.net/news/ViewArticle.aspx?id=1200.

PEW RESEARCH CENTER. A Survey of LGBTI Americans: A! itudes, Experiences and Values in Changing Times, 2013. Disponível em: http://www.pewsocialtrends.org/2013/06/13/a-survey-ofLGBTI-americans/.

PUAR, J. Terrorist Assemblages: Homonationalism in Queer Times, Durham, NC: Duke University Press, 2007.

RUBIN, G. Deviations: A Gayle Rubin Reader. Durham: Duke University Press, 2011.

SCHULMAN, S. Israel/Palestine and the Queer International, Durham: Duke University Press, 2012.

STRYKER, S. Transgender History. Berkeley: Seal Press, 2008.

WEEKS, J. The World We Have Won: The Remaking of Erotic and Intimate Life, London: Routledge, 2007.

WOLF, S. Sexuality and Socialism: History, Politics and Theory of LGBTI Liberation. Chicago: Haymarket Books, 2009.

WOLTERSDORFF, V. Paradoxes of Precarious Sexualities: Sexual Subcultures under Neo-liberalism. Cultural Studies, v. 25, n. 2, 2011, p. 164-82.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Peter Drucker

Downloads

Não há dados estatísticos.