Banner Portal
Marxismo e relações de trabalho
PDF

Palavras-chave

Marxismo

Como Citar

GALVÃO, Andreia. Marxismo e relações de trabalho. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, n. 1, p. 37–46, 2004. DOI: 10.20396/cemarx.vi1.10859. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/10859. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

O estudo das relações de trabalho (ou das relações industriais, termo utilizado pela literatura anglo-saxã) tem sido tradicionalmente realizado a partir de conceitos oriundos de referenciais teóricos conser-vadores, como a teoria do sistema de relações industriais, elaborada pelo norte-americano John Dunlop. Embora tenha sido bastante criticada por seu caráter estático e hierarquizado, o aparato conceitual proposto por Dunlop é ainda utilizado por estudiosos interessados em analisar as re-gras que regem as relações de trabalho, mesmo que suas abordagens te-nham um caráter progressista.O objetivo desta comunicação é apresentar as críticas feitas à teoria de Dunlop por autores ligados à perspectiva teórica marxista. Pretendese, especialmente, indicar as contribuições trazidas, a partir dos anos 70,por Richard Hyman, Robert Cox e John Kelly para o estudo das relaçõesde trabalho.

https://doi.org/10.20396/cemarx.vi1.10859
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2004 Andreia Galvão

Downloads

Não há dados estatísticos.