Marxismo

pulsões históricas e o ainda-não-ser, segundo Ernst Bloch

Autores

  • Antonio Rufino Vieira Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/cemarx.v1i2.10795

Palavras-chave:

Marxismo

Resumo

Atualmente, o tema da crise do marxismo preocupa muitos teóricos. Ao seu lado,a crise do socialismo real parece reforçar a idéia do fim da história e sua coincidênciacom o postulado que apresenta o capitalismo como a “única ideologia sã”. Mas, épossível fazer qualquer aprendizagem dessa crise? Defendemos que ela, em lugar deser negativa, aparece, ao contrário, como um elemento vivificante do marxismo, permitindoindicá-lo como uma teoria válida e atual neste início do século XXI. Nessesentido, continua viva a análise de Lênin, ao afirmar que “toda a teoria de Marx é ateoria da evolução, na sua forma mais lógica, mais completa, mais refletida e maissubstancial, aplicada ao capitalismo contemporâneo”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antonio Rufino Vieira, Universidade Federal da Paraíba

Professor no Departamento de Filosofia da Universidade Federal da Paraíba.

Downloads

Publicado

2005-07-18

Como Citar

VIEIRA, A. R. Marxismo: pulsões históricas e o ainda-não-ser, segundo Ernst Bloch. Cadernos Cemarx, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 72–76, 2005. DOI: 10.20396/cemarx.v1i2.10795. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/10795. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos