Ouvidoria da UNESP
Capa do Eixo 3 sobre Diversidade, Inclusão e Pertencimento
PDF

Palavras-chave

Universidade
Ouvidoria
Acolhimento
Inclusão
Pertencimento

Categorias

Como Citar

SOUSA, Thiago Luiz de; AMARAL, Guilherme do. Ouvidoria da UNESP: reflexões a partir do paradigma de acolhimento. Congresso dos Profissionais das Universidades Estaduais de São Paulo, Campinas, SP, n. 2, p. e023087, 2023. DOI: 10.20396/conpuesp.2.2023.4906. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/conpuesp/article/view/4906. Acesso em: 26 maio. 2024.

Resumo

Introdução:  Para além de ser um instrumento de garantia de direitos, a Ouvidoria da Unesp tem aprofundado seu trabalho sob o horizonte do acolhimento, o que permite que pensemos a ouvidoria sob o paradigma da tradução, que é pensado na filosofia de Paul Ricoeur (2011) como a de um sujeito que acolhe outrem a sua maneira, cada qual com seu próprio mundo do texto. Objetivo: Analisar e refletir sobre o paradigma de trabalho da Ouvidoria da Unesp a partir da criação do Acolhe Unesp. Metodologia:  Buscamos refletir sobre a atuação da ouvidoria a partir de três paradigmas: (a) a de um jogador de futebol que joga por dois times (FERREIRA; SANTOS, 2011); (b) de um apagador de incêndios; e (c) de um tradutor, que busca expressar em sua própria língua o mundo do texto de um autor estrangeiro. Resultados: Vinculado a Ouvidoria da Unesp, o Acolhe Unesp já apresenta pontos significantes deste “novo” paradigma, como diversos canais de atendimento, um mapeamento dos centros de atendimento para vítimas de violência em todos os munícipios onde a Unesp está presente, formação para todas as equipes de saúdes, formação dos ouvidores locais, disponibilização de diversos guias e protocolos, voltados para diversas situações. Conclusão: A Ouvidoria encontra na defesa do cidadão e dos seus direitos básicos sua razão de ser e sua contribuição para o órgão, uma vez que, para além do acolhimento, seus apontamentos são fontes essenciais em uma gestão de processos que se guia pela missão, visão e valores da Universidade.

.

https://doi.org/10.20396/conpuesp.2.2023.4906
PDF

Referências

FERREIRA, H. J.; SANTOS, H. A. Afinal, o que é essa tal de ouvidoria? São Paulo: Negócio & Gestão: Empreendedor, 2011. Disponível em: https://empreendedor.com.br/noticia/afinal-o-que-e-esta-tal-ouvidora/ Acesso em: 15 set. 2023.

LORENA, Ana Luiza Freire de. A Contribuição Estratégica da Ouvidoria Pública para a Gestão de Processos de Negócios nas IFES. In: BIAGINI, Liane. O Papel da Ouvidoria no Contexto Acadêmico Universitário. Recife: Editora Ufpe, 2016. p. 54-72. Disponível em: https://www.upe.br/ouvidoria/phocadownload/userupload/publicacoes/o_papel_da_ouvidoria_no_contexto_academico_universitario.pdf. Acesso em: 15 set. 2023.

RICOEUR, Paul. Sobre a tradução. Tradução de Patrícia Lavelle. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2011.

SÃO PAULO (Estado). Lei Nº 10.294, de 20 de abril de 1999. São Paulo, 20 abr. 1999.

SÃO PAULO (Estado). Decreto Nº 60.399, de 29 de abril de 2014. São Paulo, 29 abr. 2014.

UNESP. Resolução Unesp Nº 03, de 10 de março de 2003. São Paulo, 19 mar. 2003.

UNESP. Portaria Unesp Nº 68, de 26 de julho de 2022. São Paulo, 27 jul. 2022.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Thiago Luiz de Sousa, Guilherme do Amaral (Autor)

Downloads

Não há dados estatísticos.