Aferição, cálculo e avaliação do índice de massa corporal de servidores da UNICAMP participantes do programa MEXA-SE
Capa do Eixo 5, sobre Saúde e Qualidade de Vida
PDF

Palavras-chave

Índice de massa corpórea
Fator de risco
Servidores
Saúde

Categorias

Como Citar

ZAMAI, Carlos Aparecido; BANKOFF, Antonia Dalla Pria; SILVA, Vívian Santos Xavier. Aferição, cálculo e avaliação do índice de massa corporal de servidores da UNICAMP participantes do programa MEXA-SE. Congresso dos Profissionais das Universidades Estaduais de São Paulo, Campinas, SP, n. 2, p. e023068, 2023. DOI: 10.20396/conpuesp.2.2023.4863. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/conpuesp/article/view/4863. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: Objetivou-se neste trabalho diagnosticar e aavaliar o Índice de Massa Corporal (IMC) adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de 205 servidores da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Metodologia: Participaram pessoas de ambos os sexos e faixa etária de 24 a 62 anos, que fizeram inscrição e participaram das atividades físicas do Programa Mexa-se, nos grupos da área da saúde (G1, G2 e G3) e da área administrativa (G4, G5 e G6). Foram mensurados o peso corporal, com balança digital Filizola (precisão de 100g), e a estatura, com estadiômetro Tipo Trena Sanny (precisão 0,1 cm), calculando-se os valores de IMC. As medidas de peso e altura foram aferidas no início das atividades no programa, quando houve o preenchimento da ficha de anamnese. Resultados: G1 = 25,8; G2 = 23,9 e G3 = 25,9 – Área da saúde – e Grupos G4 = 26,9; G5 = 27,1 e G6 = 25,7 – Área administrativa. Quando comparado o IMC entre os grupos das áreas saúde e administrativa, verificou-se que apenas no G2 o IMC foi inferior a 25,0. Nos demais grupos o IMC esteve acima dos padrões considerados normais. Destaca-se o IMC dos grupos 4 e 5 (26,9 e 27,1) da área administrativa, em que o IMC se classifica como excesso de peso ou obesidade leve. Verificou-se que o IMC encontra-se alterado, o que merece atenção profissional, para que os servidores recebam orientações sobre reeducação alimentar e práticas de atividades físicas diárias, inclusive no ambiente de trabalho. Conclusão: Desse modo, estes resultados são relevantes no que concerne à discussão e planejamento de estratégias mais efetivas a respeito da saúde física e de programas que fomentem, imbuindo à prática regular de atividades físicas e orientações de dieta balanceada de qualidade nutricional aos servidores.

https://doi.org/10.20396/conpuesp.2.2023.4863
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Carlos Aparecido Zamai, Antonia Dalla Pria Bankoff, Vívian Santos Xavier Silva (Autor)

Downloads

Não há dados estatísticos.