Panorama Quilombola

Autores

 José Maurício Arruti
Universidade Estadual de Campinas
https://orcid.org/0000-0002-7281-1158

Palavras-chave:

Quilombos - Brasil, Quilombolas – Aspectos educacionais, Integração universitária

Sinopse

O livro constitui-se como um panorama em múltiplos sentidos ao nos permitir ver a abundância das práticas e conhecimentos quilombolas, conhecer suas concepções e abordagens em torno da educação e da justiça, apreender a diversidade dos modos de vida e existência quilombolas e, ainda, praticar um importante exercício de escuta de intelectuais quilombolas. Diante dessa riqueza, força e diversidade, qualquer leitura folclorizada ou culturalista da realidade quilombola é desativada. Realidade quilombola que, inaceitavelmente, também inclui uma série de violências, violações de direitos e conflitos fundiários, que se agudizaram no contexto recente da desdemocratização do país. Com a leitura, nós, leitoras e leitores podemos viver a experiência de ampliarmos nossa percepção em relação à realidade quilombola e também nossas perspectivas sobre as possibilidades de produção de conhecimento, já que o livro adota e aborda epistemologias e metodologias nas quais não há mais lugar para as oposições hierarquizadas entre sujeito e objeto, ciência e política, universidade e sociedade. Como nos lembra José Maurício Arruti, editor do livro, em sua introdução, há uma ampla teia de conexões em jogo na produção de conhecimento, envolvendo a colaboração entre universidades, centros de pesquisa, movimentos sociais, comunidades quilombolas e seus intelectuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

 José Maurício Arruti, Universidade Estadual de Campinas

Professor Doutor em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ANTONACCI, Maria Antonieta. A vitória da razão. O IDORT e a sociedade paulista. São Paulo: Marco Zero/CNPq, 1993.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. Imperialismo, a expansão do Poder. Trad. Rio de Janeiro: Documentário, 1976.

ARIES, Philippe e BÉJIN, André (org.). Sexualidades ocidentais. Trad. São Paulo: Brasiliense, 1985.

ARTAUD, Antonin. Cartas aos poderes. Trad. Porto Alegre: Villa Martha, 1979.

BADINTER, Elisabeth. Um amor conquistado. Trad. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BASAGLIA, Franco. Razón, locura y sociedad. 15. ed. Trad. México: Siglo XXI, 1982.

BASAGLIA, Franco et al. (org.). Los crimines de la paz. Trad. México: Siglo XXI, 1981.

BASAGLIA, Franco (coord.). A instituição negada. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

BENJAMIN, Walter. “Paris, capital do século XIX”. Espaço & Debates, IV, n. 11, pp. 5-13.

BIRMAN, Joel. A psiquiatria como discurso da moralidade. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

BONDUKI, Nabil Georges. “Habitação popular: contribuição para o estudo da evolução urbana de São Paulo”. In: VALLADARES, Licia do Prado (org.). Debates Urbanos, “Repensando a habitação do Brasil”, n. 3, 1983, pp. 135-168.

BRAGA, José Carlos de Souza e PAULA, Sérgio Goes de. Saúde e previdência. Estudos de política social. São Paulo: Cebes/Hucitec, 1981.

BRESCIANI, Maria Stella Martins. Londres e Paris no século XIX - O espetáculo da pobreza. São Paulo: Brasiliense, 1982 (Coleção Tudo é História, n. 52).

BRESCIANI, Maria Stella Martins. “Metrópolis: as faces do monstro urbano (as cidades o século XIX)”. Revista Brasileira de História, “Cultura & Cidades” n. 8-9, set. 1984-abr. 1985, pp. 35 e ss.

BRUNHOFF, Suzanne de. Estado y capital. Trad. Madri: Editorial Villalar, 1978.

CARROL, Lewis. Aventuras de Alice no país das maravilhas. Através do espelho e o que Alice encontrou lá. 3ª ed. Trad. São Paulo: Summus Editorial, 1980, pp. 133-247.

CARVALHO, José M. de. “O Rio de Janeiro e a República”. Revista Brasileira de História, “Cultura & Cidades”, n. 8-9, set. 1984 a abr. 1985, pp. 117 e ss.

CASTEL, Robert. A ordem psiquiátrica: A idade de ouro do alienismo. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

CHALHOUB, Sidney et al. “Trabalho escravo e trabalho livre na cidade do Rio: vivência de libertos, ‘galegos’ e mulheres pobres”. Revista Brasileira de História, “Cultura & Cidades”, São Paulo, n. 8-9, set. 1984-abr. 1985, pp. 96-105.

CHAUÍ, Marilena. “Apontamentos para uma crítica de Ação Integralista Brasileira”. In: Ideologia e mobilização popular. São Paulo: CEDEC/Paz e Terra, 1985.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. O discurso competente e outras falas. São Paulo: Moderna, 1981.

CHEVALIER, Louis. Classes laborieuses et classes dangereuses à Paris pendant la premiére moitié du XIX e siécle. Paris: Librairie Générale Française, 1978.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

COSTA, Jurandir Freire. História da psiquiatria no Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: Campos, 1980.

DE DECCA, Maria Auxiliadora Guzzo. A vida fora das fábricas: o cotidiano operário em São Paulo, 1927-1934. Dissertação de mestrado. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 1983.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Quotidiano e poder em São Paulo no Século XIX. São Paulo: Brasiliense, 1984.

DOERNER, Klaus. Madmen and the Bourgeoisie. A Social History of Insanity and Psychiatry. Oxford: Basil Blackwell, 1981.

DONZELOT, Jacques. A polícia das famílias. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

FAUSTO, Boris. Trabalho urbano e conflito social. São Paulo: Difel, 1976.

FAUSTO, Boris. “Controle social e criminalidade em São Paulo: um apanhado geral (1890-1924)”. In: PINHEIRO, Paulo Sérgio (org.). Crime, violência e poder. São Paulo: Brasiliense, 1983.

FAUSTO, Boris. Crime e cotidiano. A criminalidade em São Paulo (1880-1924). São Paulo: Brasiliense, 1984.

FENELON, Déa Ribeiro. “Estado, poder e classes sociais”. Revista Brasileira de História, n. 7, mar. 1984, pp. 33 e ss.

FIGUEIRA, Sérvulo A. (coord.). Sociedade e doença mental. Rio de Janeiro: Campus, 1978.

FOUCAULT, Michel. Doença mental e psicologia. Trad. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975.

FOUCAULT, Michel. História da loucura na Idade Clássica. Trad. São Paulo: Perspectiva, 1978.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. História da violência nas prisões. Trad. Petrópolis: Vozes, 1977.

FOUCAULT, Michel. Verdad y formasjJurídicas. Trad. Barcelona, Gedisa, 1980.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1980. Vol. 1: A vontade de saber.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 3. ed. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

FOUCAULT, Michel (coord.). Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão. 2. ed. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

PRAYZE-PEREIRA, João. O que é loucura? 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1983 (Coleção Primeiros Passos).

GAMBETTA, Wilson Roberto. “Desacumular a pobreza: Santos, limiar do século”. Espaços & Debates, 11, 1984, pp. 17-27.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. Trad. São Paulo: Perspectiva, 1974.

GROB, Gerald N., Mental Illness and American Society, 1875-1940. Nova Jersey: Princeton University Press, 1983.

HOBSBAWM, Eric J. “Cidades e insurreições”. In: Revolucionários. Trad. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

HALL, Michael M. “Immigration and the Early São Paulo Working Class”. Jahrbuch für Geschichte von Staat Wirtschaft und Gesellschaft Lateinamerikas, 12, 1975, pp. 393-407.

HALL, Michael M. e PINHEIRO, Paulo Sérgio. “The Control and Policing of the Working Class in Brazil”. São Paulo, 1983, mimeo.

INGLEBY, David. ‘“A construção social da doença mental”. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 9, jun. 1982.

LENHARO, Alcir. Sacralização da política. Campinas: Papirus, 1986.

LINEBAUGH, Peter. “Crime e industrialização: a Grã-Bretanha no século XVIII”. In: PINHEIRO, Paulo Sérgio (org.). Crime, violência e poder. São Paulo: Brasiliense, 1983.

LIMA BARRETO. O cemitério dos vivos. Memórias. São Paulo: Brasiliense, 1956.

LIMA BARRETO. Diário do hospício / O cemitério dos vivos. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1993.

LUIZETTO, Flávio. Os constituintes em face da imigração. Dissertação de mestrado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1975.

LUZ, Madel. Medicina e ordem política brasileira. Políticas e instituições de saúde (1850-1930). Rio de Janeiro: Graal, 1982.

MACHADO, Roberto et al. Danação da norma. Medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

MACHADO DE ASSIS. O Alienista. 8ª ed. São Paulo: Ática, 1981.

MELOSSI, Dario e PAVARINI, Massimo. Cárcel y fábrica. Los orígenes del sistema penitenciário (Siglos XVI-XIX). Trad. México: Siglo XXI, 1980.

MERHY, Emerson Elias. O capitalismo e a saúde pública. A emergência das práticas sanitárias no Estado de São Paulo. Campinas: Papirus, 1985.

MORSE, Richard. Formação histórica de São Paulo. Trad. São Paulo: Difel, 1970.

ONGARO, Franca Basaglia. “Mulheres e loucura”. Gradiva, nov.-dez. 1983.

PAIM, Isaias (org.), “Bibliografia brasileira de legislação e assistência aos doentes mentais”. Revista de Psiquiatria, III n. 6, 1964.

PECHMAN, S. e FRITSCH, L. “A reforma urbana e seu avesso: algumas considerações a propósito da modernização do Distrito Federal na virada do século”. Revista Brasileira de História, “Cultura & Cidades”, n. 8-9, set. 1984-abr. 1985, p. 134.

PINHEIRO, Paulo Sérgio (org.). Crime, violência e poder. São Paulo: Brasiliense, 1983.

RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar. A utopia da cidade disciplinar. Brasil, 1890-1930. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

RECHERCHES. “Disciplines a domicile”, n. 28. Paris: Cerfi, 1977.

RECHERCHES. “L’Haleine des Faubourgs”, n. 29. Paris, Cerfi, 1978.

RECHERCHES. “L’Asile”, n. 31. Paris, Cerfi, 1980.

RIBAS, João Carvalhal. “Franco da Rocha: vida e obra”. Revista de Psiquiatria Clínica, III n. 2, 1974.

RIBEIRO, Renato Janine (org.). Recordar Foucault. São Paulo: Brasiliense, 1985.

ROLNICK, Raquel. Cada um no seu lugar. Dissertação de mestrado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1981.

ROLNICK, Raquel. “De como São Paulo virou a capital do capital”. In: VALLADARES, Lícia do Prado (org.). Debates Urbanos, “Repensando a habitação do Brasil”, n. 3. Rio de Janeiro: 1982, pp. 109-134.

ROSEN, George. Locura y sociedad. Sociologia histórica de la enfermedad mental. Trad. Madri: Alianza Editorial, 1974.

ROSEN, George. Da polícia médica à medicina social. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

ROTHMAN, David J. The Discovery of the Asylum. Social Order and Disorder in New Republic. Boston: Little-Brown Co., 1971.

ROTHMAN, David J. Conscience and Convenience. The Asylum and its Alternatives in Progressive America. Boston: Little Brown and Company, 1980.

RUGGLES, Steven. “Fallen Women: the Inmates of the Magdalen Society Asylum of Philadelphia, 1836-1908”. Journal of Social History, 16 n. 4, verão de 1983.

SÁ, Evelyn Naked de Castro. Análise de uma instituição pública complexa no setor saúde: o Conjunto Juquery, no Estado de São Paulo. Tese de doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1983.

SCULL, Andrew et al. (org.). Madhouses, Mad-Doctors and Madmen. The Social History of Psychiatry in the Victorian Era. Filadélfia: University of Pennsylvania Press,1981.

SCULL, Andrew T., Museums of Madness. The Social Organization of Insanity in Nineteenth-Century England. Londres: Penguin Books, 1982.

SERRA, Antônio A. A psiquiatria como discurso político. Rio de Janeiro: Achiamé/Socii, 1979.

SEVCENKO, Nicolau. A literatura como missão. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SEVCENKO, Nicolau. A revolta da vacina. Mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Brasiliense, 1984 (Coleção Tudo é História).

SHOWALTER, Elaine. “Victorian Women and Insanity”. In: SCULL, Andrew et al. (org.). Madhouses, Mad-Doctors and Madmen. The Social History of Psychiatry in the Victorian Era. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, 1981.

SILVA, Janice Theodoro da. São Paulo 1554-1880. Discurso ideológico e organização espacial. São Paulo: Moderna, 1984.

SONTAG, Susan. A doença como metáfora. Trad. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

STEDMAN-JONES, Gareth. Outcast London. A study in the relationship between classes in Victorian Society. Londres: Penguin Books, 1971.

STORCH, Robert S. ‘’O policiamento do cotidiano na cidade vitoriana”, Revista Brasileira de História, “Cultura & Cidades”, n. 8-9, set. 1984-abr. 1985, p. 7.

THOMPSON, Edward P. Tradicción, revuelta y consciencia de clase. Trad. Barcelona: Grijalbo, 1979.

TYOR, Peter L. e ZAINOLDIN, Jamil S. “Asylum and Society: An Aproach to Institutional Change”. Journal of Social History, 13 n. 1, 1979.

Downloads

Publicado

dezembro 5, 2022

Categorias

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Detalhes sobre essa publicação

Co-publisher's ISBN-13 (24)

978-65-88816-41-7

Dimensões físicas

14cm x 21gr x 3cm