Trabalho, meio ambiente e meio ambiente do trabalho: novos horizontes dos direitos humanos no universo laboral

Autores

Thaissa Tamarindo Weishaupt Proni
Universidade Estadual de Campinas
Néri de Barros Almeida
Universidade Estadual de Campinas
https://orcid.org/0000-0001-5017-711X

Palavras-chave:

Trabalho, Ambiente do trabalho, Direitos humanos, Sustentabilidade, Trabalho - Brasil

Sinopse

Os textos reunidos nesta publicação mostram que o avanço da exploração capitalista atingiu um ponto extremo de contradição em relação à exploração do meio ambiente e dos corpos humanos. É nesse ponto que a economia e a justiça são convidadas a se pronunciar. Esperamos que este livro inspire decisões em que a atenção aos direitos humanos atue como fundamento ético da mudança da direção histórica do planeta. Embora os casos analisados sejam em sua quase integralidade extraídos da experiência brasileira, estão vinculados a uma mesma raiz globalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaissa Tamarindo Weishaupt Proni, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ciências Sociais  pela Universidade Estadual de Campinas e Pós-doutorado em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas. Advogada e jurista nas áreas de Direito do Trabalho. 

Néri de Barros Almeida, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo e livre docente pela Universidade Estadual de Campinas. Professora junto ao Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

AZNAR, G. Travailler moins pour travailler tous: 20 propositions. Syros, 1993.

ABÍLIO, Ludmila C. Uberização: a era do trabalhador just-in-time? Estudos Avançados, 34, p. 111-126, 2020.

BOULDING, Kenneth E. The economics of the coming spaceship earth. New York, 1966. p. 1-17.

BREGMAN, R. Utopía para realistas: a favor de la renta básica universal, la semana laboral de 15 horas y un mundo sin fronteras. Salamandra, 2017.

BRYGO, J; CYRAN, O. Boulots de merde!: Du cireur au trader, enquête sur l’utilité et la nuisance sociales des métiers. Paris: La Découverte, 2018.

CORAZZA, R. I.; FRACALANZA, P. S.; BONACELLI, M. B. M. Visões da escassez: uma interpretação do debate entre cientistas naturais e economistas no renascimento do ambientalismo. CTS: Revista iberoamericana de ciencia, tecnología y sociedad, 10(29), p. 91-127, 2015.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo. São Paulo: Boitempo, 2017.

EHRENREICH, B. Miséria à americana. Rio de Janeiro: Record, 2004.

FEDERICI, Silvia. O ponto zero da revolução: trabalho doméstico, reprodução e luta feminista. São Paulo: Elefante, 2019.

FRACALANZA, P. S.; MARIA, M. R.; CORAZZA, R. I. Economia Política da redução do tempo de trabalho: dos autores pioneiros ao debate contemporâneo sobre transições para sustentabilidade. Nova Economia, v. 30, n. 2, p. 629-654, 2020.

FRANCISCO, 2020. Carta Encíclica Fratelli Tutti, 2020. Disponível em: http://www.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20201003_enciclica-fratelli-tutti.html.

FURTADO, C. O Mito do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Círculo do Livro, 1974.

GEORGESCU-ROEGEN, N. The Entropy Law and the Economic Problem. Lincoln, NE (USA): Harvard University Press, 1999.

GORZ, A. Metamorfoses do trabalho. São Paulo: Annablume, 2003.

GRAEBER, D; CERUTTI, A. Bullshit Jobs. New York: Simon & Schuster, 2018.

HUNNICUTT, Benjamin. Work Without End: Abandoning shorter hours for the right to work. Temple University Press, 1988.

INTERNATIONAL LABOUR OFFICE (ILO). World Employment and Social Outlook: Trends 2022. Geneva: ILO, 2022.

ILOSTAT. The working poor: or how a job is no guarantee of decent living conditions. Genebra, 2019. Disponível em: https://ilo.org/wcmsp5/groups/public/---dgreports/---stat/documents/publication/wcms_696387.pdf.

INTERNATIONAL MONETARY FUND. World Economic Outlook Update, 2020. Disponível em: https://www.imf.org/en/Publications/WEO/Issues/2020/06/24/

WEOUpdateJune2020.

IPCC. Climate Change 2021: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Sixth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge University Press, 2021.

JOHANNESSEN, J-A. The Workplace of the Future: The Fourth Industrial Revolution, the Precariat, and the Death of Hierarchies. New York: Routledge, 2019.

KEESING, F.; OSTFELD, R. S. Impacts of biodiversity and biodiversity loss on zoonotic diseases. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 118, n. 17, 2021.

KOLBERT, E. A sexta extinção: uma história não natural. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

KEYNES, J. M. Economic possibilities for our grandchildren. In: Essays in persuasion. London: Palgrave Macmillan. 2010, p. 321-332. [Originalmente publicado em 1930.]

KREIN, J. D.; MANZANO, M.; TEIXEIRA, M. Utopias do trabalho: desafios e perspectivas para o pós-pandemia. Friedrich Ebert Stiftung, 2020.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MAIR, S.; DRUCKMAN, A.; JACKSON, T. A tale of two utopias: Work in a post-growth world. Ecological Economics, 173, p. 1-11, 2020.

MARX, K. O capital. São Paulo: Boitempo, 2013. [Originalmente publicado em 1867.]

MCCORMICK, J. Rumo ao paraíso: a história do movimento ambientalista. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1992.

MEADOWS, D.; MEADOWS, D. et al. The Limits to Growth. New York: Universe Books, 1974.

PETICCA-HARRIS, A.; DeGAMA, N.; Ravishankar, M. N. Postcapitalist precarious work and those in the ‘drivers’ seat: Exploring the motivations and lived experiences of Uber drivers in Canada. Organization, 27(1), p. 36-59, 2020.

POLANYI, K. La sussistenza dell´uomo: il ruolo dell´economia nelle società antiche. Torino: Giulio Einaudi, 1983.

RIPPLE, W. J. et al. World scientists’ warning to humanity: a second notice. BioScience, v. 67, n. 12, p. 1026-1028, 2017.

ROCKSTRÖM, J. et al. A safe operating space for humanity. Nature, v. 461, n. 7263, p. 472-475, 2009.

SCHMELLER, D. S.; COURCHAMP, F.; KILLEEN, G. Biodiversity loss, emerging pathogens, and human health risks. Biodiversity and Conservation, v. 29, n. 11, p. 3095-3102, 2020.

SEN, A. K. L’inegalité, le chômage et l’Europe d’aujourd’hui. Revue Internationale du Travail, Genebra, v. 136, n. 2, p. 169-186, 1997.

SMIL, V. Energy and civilization: a history. MIT Press, 2018.

SOLÓN, P. Alternativas sistêmicas: Bem Viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Elefante, 2019.

STANDING, G. O precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

STEFFEN, Will et al. The trajectory of the Anthropocene: the great acceleration. The Anthropocene Review, v. 2, n. 1, p. 81-98, 2015.

VERGÈS, Françoise. Um feminismo decolonial. São Paulo: Ubu, 2020.

YERGIN, D. O Petróleo: Uma história mundial de conquistas, poder e dinheiro. São Paulo: Paz e Terra, 2010. [Originalmente publicado em inglês em 1992.]

Downloads

Publicado

agosto 22, 2022

Categorias

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Detalhes sobre essa publicação

Co-publisher's ISBN-13 (24)

ISBN 978-65-88816-39-4

Date of first publication (11)

2022

Dimensões físicas

14cm x 21cm x 3cm