Desafios do cuidado: gênero, velhice e deficiência

Autores

Guita Grin Debert
Universidade Estadual de Campinas
https://orcid.org/0000-0002-9096-3833
Mariana Marques Pulhez
Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Cuidados, Velhice, Deficiência física, Gênero, Globalização, Serviço social

Sinopse

A preocupação com o cuidado – ou care – tem marcado boa parte das sociedades contemporâneas, particularmente quando se pensa no envelhecimento populacional e se imagina um déficit de cuidados, dada a perspectiva de um número insuficiente de cuidadores para atender uma quantidade crescente de pessoas dependentes. Essa preocupação tem despertado um grande interesse em pesquisas e reflexões voltadas para questões relacionadas com o cuidado. No intuito de reunir algumas destas reflexões, este livro traz artigos instigantes de cientistas sociais de diferentes países envolvidos com a temática, os quais articulam, sob diferentes abordagens, questões relativas a gênero, velhice e deficiência. Com uma tradução primorosa, realizada por alunos da pós-graduação do IFCH/UNICAMP, está aí um passo inicial para a realização de investigações sobre a ética do cuidado, a biopolítica do envelhecimento e o fluxo de homens e mulheres imigrantes encarregados de diferentes dimensões do care no mundo globalizado.

Downloads

116 - Publication

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guita Grin Debert, Universidade Estadual de Campinas

Professora Titular do Departamento de Antropologia, IFCH/Unicamp, pesquisadora do PAGU – Núcleo de Estudos de Gênero da UNICAMP.

Mariana Marques Pulhez, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UNICAMP. Bolsista FAPESP.

Referências

ARAÚJO, A. M. C., Informalidade e relações de gênero. In: GEORGES, I.; LEITE, M. P. (Org.). Novas configurações do trabalho e economia solidária. São Paulo: Annablume, 2012, pp. 135-172.

ASSIS, G. O. Entre dois lugares: as experiências afetivas de mulheres imigrantes brasileiras nos Estados Unidos. In: PISCITELLI, A.; ASSIS, G. O.; OLIVAR, J. M. N. (Org.). Gênero, sexo, amor e dinheiro: mobilidades transnacionais envolvendo o Brasil. Coleção Encontros, Campinas, PAGU, UNICAMP, 2011, pp. 321-362.

BILAC, E. D. Trabalho e Família: articulações possíveis. Tempo Social: revista de Sociologia da USP, volume 26, n. 1, junho de 2014, pp. 129-145.

BILAC, E. D. Trabalhos produtivos, trabalhos reprodutivos: as trajetórias femininas de trabalho e suas representações. Perspectivas, São Paulo, v. 12/13, pp. 143-161, 1989/90.

BORIS, E. Produção e Reprodução, casa e trabalho. Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, v. 26, n. 1, 2014.
COMBES, D., HAICAULT, M. Production et reproduction, rapports sociaux de sexes et de classes. In: COMBES, D., HAICAULT, M. (Org.). Le sexe du travail. Grenoble, Presses Universitaires de Grenoble, 1984.

CORRÊA, M. Uma pequena voz pessoal. Cadernos Pagu, n. 11, pp. 52-53, 1998.

DALY, M., LEWIS, J. The concept of social care and the analysis of contemporary welfare states. British Journal of Sociology, v. 51, n. 2, pp. 281-98, 2000.

DEBERT, G. G. Migrações e o Cuidado do Idoso. Cadernos Pagu, n. 46, 2016.

DEBERT, G. G.; OLIVEIRA, A. M. A profissionalização da atividade de cuidar de idosos no Brasil. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 18, pp. 7-41, 2015.

FISHER, B.; TRONTO, J. Toward a Feminist Theory of Caring. In: ABEL, E. K.; NELSON, M. (Org.).. Circles of Care. Albany, New York: SUNY Press, 1990, pp. 36-54.

FLEISCHER, S. R. Passando a América a limpo: o trabalho de housecleaners brasileiras em Boston, Massachussets. São Paulo: Annablume, 2002.

GILLIGAN, C. Uma Voz Diferente: psicologia da diferença entre homens e mulheres da infância à idade adulta. Rio de Janeiro: Editora Rosa dos Tempos, 1982.

GREGORI, M. F. Resenha do livro Ciladas da Diferença de Pierucci. Estudos CEBRAP, n. 57, 2000.

HEILBORN, M. L.; SORJ, B. Estudos de Gênero no Brasil. In: MICELI, S. (Org.). O que ler nas Ciências Sociais Brasileiras (1970 – 1995). São Paulo, ANPOCS/ Editora Sumaré, 1999.

HIRATA, H.; DEBERT, G. (2016). Apresentação ao Dossiê Gênero e Cuidado. Cadernos Pagu, n. 46, 2016.

CHENAL, O.; KERGOAT, D. Production et reproduction: les jeunes travailleuses, le salariat et la famille. Critiques de l’Economie Politique. n. 17, 1981.

HOCHSCHILD, A. Nos bastidores do livre mercado local: babás e mães de aluguel. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (Org.). Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Editora Atlas, 2012, pp. 185-200.

MARGOLIS, M. Little Brazil. Campinas: Papirus, 1994.

MARTES, A. C. B. Brasileiros nos Estados Unidos: um estudo sobre imigrantes em Massachussets. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

MOLINIER, P. Cuidado, Interseccionalidade e Feminismo. Tempo Social: revista de sociologia da USP, v. 26, n. 1, pp. 129-145, 2014.

MOLINIER, P. Ética e trabalho do care. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (Org.). Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Editora Atlas, 2012, pp. 29-43.

MOLINIER, P.; LAUGIER, S.; PAPERMAN, P. Qu’estce que le care? Souci des autres, sensibilité, responsabilité. Paris: Payot & Rivages, 2009.

OLIVEIRA, A. M. A invenção do cuidado: entre o dom e a profissão. 2015. Tese. (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

PARREÑAS, R. S. O trabalho de care das acompanhantes. Imigrantes Filipinas em Tóquio. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (Org.). Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo, Editora Atlas, 2012, pp. 201-115.

RABINOW, P.; ROSE, N. Biopower Today: Anthropology of the Con-temporary. BioSocieties, v. 1, pp. 195–217, 2006.

PIERUCCI, A. F. Ciladas da Diferença. São Paulo: Editora 34, 1999.

PULHEZ, M. M. Care e doulagem como atributos femininos: aproximações possíveis. Mimeo. IFCH, UNICAMP, 2015.

SALLES, T. Brasileiros longe de casa. São Paulo: Editora Cortes, 1998.

SÃO JOSÉ, J. What are we talking about when we talk about care? A conceptual review of the literature. Sociologia: Problemas e Práticas, n. 81, pp. 57-74, 2016.

SASSEN, S. Entrapments rich countries cannot escape: governance hotspots, 2001. Disponível em: http://www.theglobalsite.ac.uk/times/109Sassen.ttm

SOARES, A. As emoções do Care. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (Org.). Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo, Editora Atlas, 2012, pp. 44-60.

SORJ, B. Socialização do cuidado e desigualdades sociais. Tempo Social: revista de sociologia da USP, v. 26, n. 1, pp. 123-129, 2014.

TRONTO, J. Caring Democracy. Markets, Equality, and Justice. New York, NYU Press, 2013.

TRONTO, J. Assistência democrática e democracias assistenciais. Sociedade e Estado, v. 22, n. 2 Brasília, 2007.

WEEKS, K. Hours for what we will: work, family and the movemente for shorter hours. Feminist Studies, v. 35, 2009.

WOODWARD, K. Um segredo público: o viver assistido, cuidadores, globalização. Cadernos Pagu, n. 46, 2016.

Downloads

Publicado

setembro 17, 2019

Detalhes sobre essa publicação

Co-publisher's ISBN-13 (24)

978-85-86572-80-7

Date of first publication (11)

2019

Dimensões físicas

14cm x 21cm x 3cm