Banner Portal
Caminhos interrompidos: estudo de revisão sobre a vivencia de mulheres frente a interrupção legal da gestação
PDF

Palavras-chave

Interrupção da gestação. Psicologia.

Como Citar

ZAPPAROLI, L.; RUBIO, A. V.; SANTOS, L. P.; FORTUNATO, M. Caminhos interrompidos: estudo de revisão sobre a vivencia de mulheres frente a interrupção legal da gestação. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 185–185, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8860. Acesso em: 25 fev. 2024.

Resumo

A reação a uma gravidez varia de acordo com as circunstâncias em que a mesma ocorreu. Incertezas relacionadas à gestação e sua capacidade de mantê-la geram nas gestantes uma angustia que pode ser minimizada ou potencializada com exames que permitem diagnósticos fetais ainda no período pré-natal. O objetivo deste estudo foi analisar através da revisão integrativa a vivência do luto no contexto de interrupção legal da gestação por malformação fetal. Foi realizado no período de Julho/2015, pesquisa nas bases de dados LILACS, SciELO e PePSIC, com os descritores “aborto induzido” “pesar” “adaptação psicológica” “aborto eugênico” e “anormalidades congênitas”. Os critérios de inclusão foram: artigos indexados, redigidos em português, das áreas de psicologia/psiquiatria, referentes a interrupção legal da gestação por malformação fetal, que tivessem em sua temática a vivência do luto nas mulheres. Foram encontrados 307 artigos, porém apenas 06 atendiam os critérios de inclusão e puderam ser analisados na integra. O diagnóstico de malformação fetal é capaz de desequilibrar a saúde mental dos genitores. A grávida tenta, inutilmente, se afastar do feto como forma de proteção contra a dor gerada pelo diagnóstico. Ao confirmar a existência de uma anormalidade fetal, o que antes era apenas um medo em nível de fantasia, torna-se realidade e a forma como cada mulher vivencia essa situação é única e singular, no entanto todas vivenciam o fim de um desejo, marcado por sentimentos de culpa, revolta e frustração que merecem atenção e acolhimento adequado por parte dos profissionais de saúde.

PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Liliane Zapparoli, Andreza Viviane Rubio, Laise Poterio Santos, Marcela Fortunato

Downloads

Não há dados estatísticos.