Obtenção de pigmentos vermelhos da espécie arrabidaea chica verlot como substituinte de corantes sintéticos

Autores

  • Ilza Maria de Oliveira Souza Universidade Estadual de Campinas
  • Eodney Alexandre Ferreira Rodrigues Universidade Estadual de Campinas
  • Pedro Melillo de Magalhães Universidade Estadual de Campinas
  • Glyn Mara Fiqueira Universidade Estadual de Campinas
  • A. N. Santos Universidade Estadual de Campinas
  • A. Alves Universidade Estadual de Campinas
  • AMry Ann Floglio Universidade Estadual de Campinas
  • Renata Maria dos Santos Celeghini Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8551

Palavras-chave:

Arrabidaea chica. Cultivo. Corante natural

Resumo

Existe atualmente intensa procura por parte da indústria de alimentos, farmacêutica e cosméticos por substitutos naturais para os pigmentos sintéticos. Arrabidaea chica Verlot é usada em tatuagens pelos índios devido aos pigmentos carajurina e carajurona. Uma das limitações na padronização de extratos é o fato de muitas vezes não conhecer os fatores que influenciam na composição dos ativos no extrato vegetal. O objetivo deste trabalho foi avaliar variedades da espécie de distintas localidades do Brasil, aclimatada no campo experimental CPQBA em janeiro de 2005, avaliando qual o acesso produz o melhor rendimento/massa folhear, para obtenção do pigmento vermelho.O material fresco previamente moído com gelo seco foi extraído por maceração com MeOH/Ác.Cítrico 0.3% , 3 vezes durante uma hora e meia. O extrato foi concentrado sob vácuo a 40-45OC, protegido da luz, liofilizado e analisado por CLAE. A cor dos extratos foi avaliada usando espectrofotômetro Color Quest II, Hunter Lab, sistema CIEL*a* b*, iluminante D 65, ângulo de visão 10º e calibração transmitância total. As amostras estudadas de três diferentes regiões do país (Manaus-AM; Curitiba-PR e Campo Grande-MS) sendo que a amostra de Manaus apresentou a melhor produção de corante vermelho (carajurina e carajurona), as amostra oriundas do sul do país apresentaram coloração amarela. O rendimento médio da extração, obtido em laboratório e em escala piloto foi de cerca de 12%.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ilza Maria de Oliveira Souza, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

Eodney Alexandre Ferreira Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

Pedro Melillo de Magalhães, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

Glyn Mara Fiqueira, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

A. N. Santos, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

A. Alves, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

AMry Ann Floglio, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

Renata Maria dos Santos Celeghini, Universidade Estadual de Campinas

CPQBA/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

SOUZA, I. M. de O.; RODRIGUES, E. A. F.; MAGALHÃES, P. M. de; FIQUEIRA, G. M.; SANTOS, A. N.; ALVES, A.; FLOGLIO, A. A.; CELEGHINI, R. M. dos S. Obtenção de pigmentos vermelhos da espécie arrabidaea chica verlot como substituinte de corantes sintéticos. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 197–197, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8551. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8551. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)