Há diferença na experiência de cárie dental em habitantes de municípios brasileiros segundo presença de fluoretação da água de abastecimento público? Comparação de duas capitais brasileiras: São Paulo e manaus.

Autores

  • Decio Henrique Franco Universidade Estadual de Campinas
  • Maria Paula Rando-Meireles Universidade Estadual de Campinas
  • Fabricio Narciso Olivati Universidade Estadual de Campinas
  • Telmo Oliveira Bittar Universidade Estadual de Campinas
  • Taís Cristina Nascimento Marques Universidade Estadual de Campinas
  • Maria da Luz Rosário Sousa Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8450

Palavras-chave:

Cárie dentária. Fluoretação. Epidemiologia. Políticas públicas de saúde. Saúde coletiva.

Resumo

A fluoretação da água de abastecimento público é uma medida efetiva e de baixo custo na prevenção da cárie dentária. Este estudo comparou a experiência de cárie entre dois grandes municípios do Brasil, capitais de estados: São Paulo e Manaus, na época, respectivamente, com e sem fluoretação de suas águas de abastecimento público. O estudo utilizou dados do projeto SB Brasil 2010 que avaliou os índices ceod, CPOD e SiC de 2176 indivíduos, seguindo metodologia da OMS. Resultados: Os resultados mostraram que os índices foram maiores em Manaus quando comparado a São Paulo, nas idades de 5 e 12 anos. A porcentagem dos dentes cariados foi maior e a do restaurado menor na faixa de 15 a 19 anos em Manaus. São Paulo apresentou melhor condição de saúde bucal em crianças e adolescentes, e não houve diferença entre adultos e idosos. Conclui-se que, segundo os dados do projeto SB Brasil 2010, o município de São Paulo apresentou melhores condições de saúde bucal do que Manaus e que a fluoretação das águas de abastecimento público tem papel importante neste processo e deve ter continuidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Decio Henrique Franco, Universidade Estadual de Campinas

Administrador profissional, funcionário da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), exercendo o cargo de Administrador e função de Diretor de Serviços de Apoio na Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Professor universitário de cursos de Administração e de Tecnólogos da área de gestão, na graduação e na pós graduação em diversas faculdades na região de Piracicaba, desde o ano de 2005. Atualmente leciona na graduação de cursos de gestão da Faculdade de Administração e Artes de Limeira (FAAL). GRADUADO em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba (2000), MESTRE em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (2006), ESPECIALISTA em Controladoria e Finanças Empresariais pela Universidade Federal de Lavras (2009), ESPECIALISTA em Marketing e Vendas pela Universidade Anhanguera-Uniderp (2012) e DOUTOR em Odontologia - Saúde Coletiva - Gestão em Saúde da UNICAMP (2012 a 2016). Atua na Administração com ênfase em tecnologias de gestão, administração pública, gestão de pessoas e financiamento da saúde pública, dentro saúde coletiva.

Maria Paula Rando-Meireles, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba. Piracicaba, Brasil.

Fabricio Narciso Olivati, Universidade Estadual de Campinas

Cirurgião dentista, mestre e doutor em Odontologia na área de concentração Saúde Coletiva pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba/UNICAMP. Possui especialização em Saúde Coletiva, Gestão em Saúde e Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana e tem experiência como tutor em cursos de especialização por EaD. Atua na atenção primária à saúde, nas cidades de Capão Bonito/SP e Itapeva/SP, com experiência na gestão do SUS e SUAS.

Telmo Oliveira Bittar, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em odontologia pela Universidade Federal de Uberlândia em dezembro de 1997, tendo sido monitor voluntário das disciplinas de Diagnóstico Estomatológico II e periodontia. É especialista em Educação e Promoção da Saúde pela Universidade de Brasília, Especialista em Autogestão em Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - FIOCRUZ, e Especialista em Saúde Coletiva pela FOP/UNICAMP, e mestre em Saúde Pública pela FOP/UNICAMP. Possui três publicações internacionais e dez publicações nacionais; três capítulo de livro escrito nas áreas de Sistemas de Informação em Saúde, Vigilância em Saúde e Fluorose dental. É membro do conselho editorial da revista Odonto da Universidade Metodista de São Paulo. Possui fluência em 3 idiomas: Inglês, Francês e Espanhol (Nível B2 Conselho Europeu).

Taís Cristina Nascimento Marques, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Odontologia pela Universidade Camilo Castelo Branco - UNICASTELO (2011). Especialista em Saúde Coletiva pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP - UNICAMP). Mestre em Odontologia em Saúde Coletiva pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP - UNICAMP). Atualmente é aluna de Doutorado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia (Área: Saúde Coletiva) da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP - UNICAMP), bolsista do Programa de Estágio Docente (PED - UNICAMP) junto à disciplina de Bioestatística.

Maria da Luz Rosário Sousa, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Departamento de Epidemiologia, Saúde Coletiva, Odontologia Preventiva, Acupuntura, Medicina Tradicional Chinesa.

 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

FRANCO, D. H.; RANDO-MEIRELES, M. P.; OLIVATI, F. N.; BITTAR, T. O.; MARQUES, T. C. N.; SOUSA, M. da L. R. Há diferença na experiência de cárie dental em habitantes de municípios brasileiros segundo presença de fluoretação da água de abastecimento público? Comparação de duas capitais brasileiras: São Paulo e manaus. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 239–239, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8450. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8450. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida