Vagas para o pai na creche? Por quê?

Autores

  • Roberta Rocha Borges Universidade Estadual de Campinas
  • Valéria Fernandes Ferreira Bonfim Universidade Estadual de Campinas
  • Cecília Aparecida Cobbos Pissolito Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.8094

Palavras-chave:

Pai. Direito á educação. Creche

Resumo

Quando se remete ao processo histórico de desenvolvimento da instituição creche, por muito tempo essa atendia à criança de zero a 12 anos, filhos de mães trabalhadoras, de uma classe social carente e a partir de um modelo assistencialista. A vaga do bebê, da criança e do adolescente na creche ficou sempre atrelada ao fato de a mulher ter de trabalhar fora do lar, ser “pobre”. Já em 1988, quando foi promulgada a nova Constituição Brasileira, passou a ser assegurada ao bebê e à criança pequena o direito à creche. Assim, a vaga não depende mais do fato de a mãe ou de o pai ser trabalhador, mas é um DIREITO do bebê e da criança pequena. Assim, a criança pequena passa a ser vista como um pequeno cidadão que precisa ser levado a sério. O respeito que adquiriu, nos dias de hoje, este pequeno ser, decorre do fato de os neurocientistas terem comprovado o que a psicologia já afirmava no século anterior, ou seja, que o processo de desenvolvimento cerebral, iniciado mesmo antes do nascimento, tem grande influência na formação do ser humano, e é afetado pelas condições ambientais, inclusive pelo tipo de educação e cuidado que essas crianças recebem. Hoje, a UNICAMP respeita esse direito e destina as vagas de suas creches a todos os bebês e crianças dos funcionários e funcionárias da universidade. Portanto, este trabalho tem como objetivo apresentar um estudo sobre o número de vagas oferecidas e para quem foram destinadas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Rocha Borges, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/DGRH

Valéria Fernandes Ferreira Bonfim, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/DGRH

Cecília Aparecida Cobbos Pissolito, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/DGRH

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

BORGES, R. R.; BONFIM, V. F. F.; PISSOLITO, C. A. C. Vagas para o pai na creche? Por quê?. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 352–353, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.8094. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8094. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 5 - Área de Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>