Banner Portal
Vagas para o pai na creche? Por quê?
PDF

Palavras-chave

Pai. Direito á educação. Creche

Como Citar

BORGES, Roberta Rocha; BONFIM, Valéria Fernandes Ferreira; PISSOLITO, Cecília Aparecida Cobbos. Vagas para o pai na creche? Por quê?. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 352–353, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8094. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Quando se remete ao processo histórico de desenvolvimento da instituição creche, por muito tempo essa atendia à criança de zero a 12 anos, filhos de mães trabalhadoras, de uma classe social carente e a partir de um modelo assistencialista. A vaga do bebê, da criança e do adolescente na creche ficou sempre atrelada ao fato de a mulher ter de trabalhar fora do lar, ser “pobre”. Já em 1988, quando foi promulgada a nova Constituição Brasileira, passou a ser assegurada ao bebê e à criança pequena o direito à creche. Assim, a vaga não depende mais do fato de a mãe ou de o pai ser trabalhador, mas é um DIREITO do bebê e da criança pequena. Assim, a criança pequena passa a ser vista como um pequeno cidadão que precisa ser levado a sério. O respeito que adquiriu, nos dias de hoje, este pequeno ser, decorre do fato de os neurocientistas terem comprovado o que a psicologia já afirmava no século anterior, ou seja, que o processo de desenvolvimento cerebral, iniciado mesmo antes do nascimento, tem grande influência na formação do ser humano, e é afetado pelas condições ambientais, inclusive pelo tipo de educação e cuidado que essas crianças recebem. Hoje, a UNICAMP respeita esse direito e destina as vagas de suas creches a todos os bebês e crianças dos funcionários e funcionárias da universidade. Portanto, este trabalho tem como objetivo apresentar um estudo sobre o número de vagas oferecidas e para quem foram destinadas
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Roberta Rocha Borges, Valéria Fernandes Ferreira Bonfim, Cecília Aparecida Cobbos Pissolito

Downloads

Não há dados estatísticos.