Ensino e a aprendizagem de fisiologia renal para alunos dos cursos de educação física

Autores

  • Fernando Canova Universidade Estadual de Campinas
  • Dora Maria Grassi Kassisse Universidade Estadual de Campinas
  • Lais Rosa Viana Universidade Estadual de Campinas
  • Larissa Yuri Ishizu Universidade Estadual de Campinas
  • Priscila Cristina da Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Raffaela Silvestre Ignarro Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i5.7062

Palavras-chave:

Educação física. Fisiologia renal. Ensino

Resumo

O ensino e a aprendizagem de Fisiologia Humana para alunos dos Cursos de  Educação Física é uma tarefa que demanda grande responsabilidade e  dedicação. Pelo olhar do aluno, os conceitos são fundamentais e compõem a base para sua formação profissional, porém no olhar do docente existe a dificuldade da linguagem e da densidade da informação. O ensino de Fisiologia Renal é especificamente mais complexo, pois os alunos vislumbravam pouca aplicabilidade deste conhecimento em sua futura atividade profissional. Assim, o sistema renal é apresentado contextualizando sua relação com o sistema cardiovascular, respiratório e endócrino. Adicionalmente é destacada a resposta do organismo frente às adversidades do ambiente, clima seco, úmido, frio ou calor, estando o indivíduo em atividade ou em repouso. O módulo de renal é iniciado com apresentação de conceitos básicos como compartimentos líquidos do organismo, pressão osmótica, funções dos rins, incluindo seu papel como tecido endócrino e finalmente reflexo da micção e seu controle. Também neste primeiro encontro, cerca de 50 alunos inscritos nas disciplinas BF410 e BF412 do ano de 2013 da UNICAMP, foram convidados a participar da aula prática. Os voluntários foram submetidos a diferentes manobras como ausência de hidratação por 90 min, super-hidratação com água ou líquido isotônico e dois outros voluntários ingeriram duas xícaras de café. O volume total de urina produzida é utilizada para medidas de fluxo, osmolaridade, densidade, pH, cor e turbidade. Os resultados são utilizados como eixo integrador de todo o módulo, desenvolvendo então os conceitos de desidratação, hidratação e re- hidratação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Canova, Universidade Estadual de Campinas

Arquiteto com mestrado pelo IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (2005) e graduado pela Unesp - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (1998). Atua na área de construção industrializada em concreto há 8 anos, com ênfase em Inovação - Pesquisa e Desenvolvimento de novos produtos e processos. 

Dora Maria Grassi Kassisse, Universidade Estadual de Campinas

IB/UNICAMP

Lais Rosa Viana, Universidade Estadual de Campinas

IB/UNICAMP

Larissa Yuri Ishizu, Universidade Estadual de Campinas

IB/UNICAMP

Priscila Cristina da Silva, Universidade Estadual de Campinas

IB/UNICAMP

Raffaela Silvestre Ignarro, Universidade Estadual de Campinas

IB/UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

CANOVA, F.; KASSISSE, D. M. G.; VIANA, L. R.; ISHIZU, L. Y.; SILVA, P. C. da; IGNARRO, R. S. Ensino e a aprendizagem de fisiologia renal para alunos dos cursos de educação física. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 5, p. 67–67, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i5.7062. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7062. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)