Banner Portal
Supervisão à distância de exercícios físicos em gestantes a partir de 12 semanas de gestação
PDF

Palavras-chave

Gestante
Exercício físico
Especialidade de fisioterapia

Como Citar

BALTIERI, Leticia; PERES, Claudia Maria; NOMURA, Nathalia Ellovitch; KUHN, Tatiana Negri. Supervisão à distância de exercícios físicos em gestantes a partir de 12 semanas de gestação: eficácia na adesão, qualidade de vida e incontinência urinária – resultados preliminares. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 4, p. e0220010, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17712. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: Durante a gravidez, ocorrem algumas modificações no corpo da mulher, tendo como principal mudança alterações do sistema músculoesquelético que ocorre devido a fatores hormonais e mecânicos, como um aumento generalizado na flexibilidade articular, adaptações posturais como compensação do centro de gravidade, dor lombar e cervical, sobrecarga no assoalho pélvico gerando incontinência urinária, dentre outros. O exercício físico durante a gestação está associado a diversos benefícios e, durante a pandemia, a supervisão destes exercícios necessitou ser a distância. O objetivo deste estudo, portanto, foi avaliar se a supervisão a distância de exercícios em gestantes promove adesão e benefícios na qualidade de vida e incontinência urinária. Metodologia: Trata-se de estudo preliminar e longitudinal, aprovado pelo CEP-UNICAMP, com gestantes a partir de 12 semanas, com liberação médica para exercícios e incluídas no Grupo de Gestantes do CECOM. Foram orientadas a realizar exercícios durante três meses. Foram avaliados os desfechos: adesão aos exercícios (diário), qualidade de vida (questionário SF-36), incontinência urinária (Kings Health Questionnaire - KHQ) e nível de atividades física (IPAQ). Resultados: Foram incluídas até o momento três gestantes, com idade média de 37,14 ± 2,47 anos, no segundo trimestre gestacional. Todas as gestantes inicialmente foram classificadas como irregularmente ativas fisicamente e após três meses duas foram classificadas como ativas e uma permaneceu irregularmente ativa fisicamente segundo o IPAQ. A adesão aos exercícios foi de 33, 35 e 50% respectivamente. A Figura 1 demonstra a pontuação obtida no questionário SF-36 sendo que quanto maior a pontuação, melhor a qualidade de vida relacionada ao domínio. A figura 2 demonstra a pontuação no questionário KHQ, sendo que quanto maior a pontuação, pior é a qualidade de vida relacionada ao domínio. Conclusão: Conclui-se que a atividade física durante a gestação parece promover impacto na qualidade de vida e incontinência urinária, porém com baixa adesão aos exercícios supervisionados à distância. Há necessidade de ampliação da amostra para observar os impactos mais expressivos.

PDF

Referências

FREITAS, F. et al. Rotinas em Ginecologia. 6. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

GUYTON, Arthur C. Tratado de fisiologia médica. 11 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

MARQUES, Andréa de Andrade; SILVA, Marcela Ponzio Pinto; AMARAL, Maria Teresa Pace. Tratado de Fisioterapia em Saúde da Mulher. Campinas: Roca Ltda, 2011. p. 458.

PIATO, S. Tratado de Ginecologia. 2. Ed. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

POLDEN, M., MANTLE, J. Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia. São Paulo: Santos, 1993.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Leticia Baltieri, Claudia Maria Peres, Nathalia Ellovitch Nomura, Tatiana Negri Kuhn

Downloads

Não há dados estatísticos.