Banner Portal
Povos da pesca artesanal sob as marcas do desastre do petróleo
PDF

Palavras-chave

Desastre do petróleo
Pesca artesanal
Petróleo
Racismo ambiental
Pesca

Como Citar

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto; ANTUNES, Gilson Macedo. Povos da pesca artesanal sob as marcas do desastre do petróleo. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 203–226, 2023. DOI: 10.53000/rr.v15i1.18322. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/18322. Acesso em: 23 jul. 2024.

Resumo

Este artigo objetiva abordar os impactos gerados pelo desastre do petróleo na vida dos Povos da Pesca Artesanal na Região Metropolitana do Grande Recife, em Pernambuco. Esta pesquisa indagou: quem são os pescadores e pescadoras artesanais atingidos pelo desastre do petróleo? Quais foram os impactos do desastre do petróleo na pesca artesanal em Pernambuco, especialmente no litoral metropolitano de Pernambuco? Em que medida afetou o trabalho, o comércio, a vida dos Povos da Pesca Artesanal? O procedimento metodológico apoiou-se em um estudo quantitativo. Os resultados apontam as características tradicionais da pesca exercida pelos entrevistados e entrevistadas, a grande queda na renda das pescadoras e pescadores artesanais durante e mesmo depois do desastre, a questão da injustiça e do racismo ambiental aí presentes.

https://doi.org/10.53000/rr.v15i1.18322
PDF

Referências

ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais – o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, 24 (68) , p. 103-119, 2010.

ARAÚJO, Maria Elisabeth de; RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto; MELO, Paulo Wanderley de. Pescadores artesanais, consumidores e meio ambiente: consequências imediatas do vazamento de petróleo no Estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Cad. Saúde Pública 36(1), 2020.

BISPO JÚNIOR, José Patrício; SANTOS, Djanilson Barbosa dos. COVID-19 como sindemia: modelo teórico e fundamentos para abordagem abrangente em saúde. Cad. Saúde Pública, 37(10), p. 1-14, 2021.

BRASIL. Ministério da Pesca e Aquicultura. Boletim Estatístico da Pesca e Aquicultura: Brasil. Brasília: MPA, 2012.

BRASIL. Ministério da Pesca e Aquicultura. Boletim Estatístico da Pesca e Aquicultura: Brasil. Brasília: MPA, 2013.

CARDOSO, A. L. Risco urbano e moradia: a construção social do risco em uma favela do Rio de Janeiro. Cadernos IPPUR/UFRJ, v. 20, n. 1, p. 27-48, 2006.

DIEGUES, Antonio Carlos. Pescadores, camponeses e trabalhadores do mar. São Paulo: Ática, 1983.

DIEGUES, Antonio Carlos. Povos e mares. São Paulo: Nupaub-USP, 1995.

DIEGUES, Antonio Carlos. Imagem das águas. São Paulo: Hucitec, 2000.

DIEGUES, Antonio Carlos. A pesca construindo sociedades. São Paulo: Nupaub-USP, 2004.

FAO. Diretrizes voluntárias para garantir a pesca de pequena escala sustentável; no contexto da segurança alimentar e da erradicação da pobreza. Organizações das Nações Unidades para Alimentação e a Agricultura, Roma, 2017.

FAVERO, Eveline; SARRIERA, Jorge Castellá Sarriera; TRINDADE, Melina Carvalho. O desastre na perspectiva sociológica e psicológica. Psicologia em Estudo, Maringá, v.19, n.2, abr./jun. 2014, p. 201-209.

GIDDENS, Anthony. Risk society: the context of British politicsî. In: FRANKLIN, Jane (ed.). The politics of the risk society. Cambridge: Polity Press, 1998.

GILBERT, C. Studying disaster: changes in the main concptual tools. In: QUARANTELLI, E.L. What is a disaster? Perspectives on the questioan. Routledge: London and New York, 1998. p. 11-18.

HERCULANO, Selene. O clamor por justiça ambiental e contra o racismo ambiental. In: Revista de Gestão Integrada em saúde do trabalho e meio ambiente, 3(1), artigo 2, Janeiro/Abril, 2008 (s/p).

INSTITUTO Oceanário. Diagnóstico socioeconômico da pesca artesanal do litoral de Pernambuco. Recife: Instituto Oceanário de Pernambuco - Departamento de Pesca e Aquicultura da UFRPE, 2010.

MARCHEZINI, Victor. Dos desastres da natureza à natureza dos desastres. In: VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; GONÇALVES, Juliano (Orgs.) Sociologia dos Desastres – construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2009, p. 48-57.

MARCO ZERO. Um crime sem culpados, punições, nem multas. Matéria de 02.09.2020. https://marcozero.org/crime-petroleo-nordeste-sem-culpados-nem-multas/

MARQUES, Thiago Feltes. O nascimento do direito dos desastres no Brasil. Revista Acadêmica Licencia&Acturas, 4 (1) , p. 108-123, 2016.

MATTEDI, Marcos Dilemas e perspectivas da abordagem sociológica dos desastres naturais. Tempo Social, São Paulo, v. 29, n. 3, p. 261-285, 2017.

MESQUITA, Beatriz; QUINAMO, Tarcísio. Impactos socioeconômicos e ambientais da contaminação por petróleo nas praias do litoral de Reião Nordeste do Brasil. Relatório parcial. Capítulo: Justiça azul, e pesca artesanal no centro do debate do derramamento de petróleo no Brasil. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2020.

MOLICA DE MENDONÇA, Fabrício. La cadena productiva de pesca artesanal em Arraial de Cabo: analisis e propuestas de mejoramiento. Revista Inge/CUC, Barranquila, 2011.

NUHUMAR Núcleo de Estudos Humanidades, Mares e Rios. Impacto do petróleo. Podcast – Projeto Vozes da Pesca Artesanal. Recife: NUHUMAR/UFPE, 2020. Acesso em: https://open.spotify.com/episode/3Mqe3495d1MUNizMWMMtM9

QUINAMO, Tarcísio. Dinâmicas sociais e ecológicas em ambientes costeiros do Nordeste brasileiro: interações e intervenções (Relatório de Pesquisa). Recife: Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), 2017.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto. Ah, esse povo do mar!”: um estudo sobre trabalho e pertencimento na pesca artesanal pernambucana. São Paulo: Editora Polis; Campinas, Ceres, 2006.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto. Sentimento de corporação, cultura do trabalho e conhecimento patrimonial pesqueiro: expressões socioculturais da pesca artesanal. Revista de Ciências Sociais, UFC, Fortaleza, vol. 43, n. 1, p. 8-27, 2012.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto. Embarcadiços do encantamento: trabalho sinônimo de arte, estética e liberdade na pesca marítima. São Cristóvão-SE: Editora da Universidade Federal de Sergipe (Edufs); Campinas: Ceres-Unicamp, 2017.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto; SANTOS, Andreia Patrícia dos. Particularidades do pertencimento na pesca artesanal embarcada. Revista Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, Vol. 54, N. 2, p. 256-268, mai/ago, 2018.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto; ANTUNES, Gilson Macedo. Relatório de pesquisa sobre a pesca artesanal na Ilha de Deus – Recife/PE, 2019.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto. O colapso da pesca artesanal no litoral de Pernambuco. Revista Coletiva - Diversidade Socioambiental; deve ser indicado o volume nº 11, Recife, p. 01-10, 03 jan. 2020.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto; SANTOS, Andreia Patrícia dos. Povos das Águas sob o signo de Seth: o derramamento de petróleo, a Covid-19 e o descaso do governamental. In: OLIVEIRA, Roberto Véras de; SILVA, Ari Rocha da. (Org.). Trabalho e pandemia: informalidade, precarização e suas múltiplas relações. São Paulo: Annablume, 2021, p. 79-106.

RAMALHO, Cristiano Wellington Noberto. Reprodução social das pescadoras e pescadores artesanais. In: Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 30, p. 01-29, 2022.

REIS-FILHO, José Amorim; QUINITO, Danilo. COVID-19, Afastamento social, Pesca artesanal e Segurança alimentar: Como esses temas estão relacionados e quão importante é a soberania dos trabalhadores da pesca diante do cenário distópico. 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/340714432_COVID-19_Afastamento_social_Pesca_artesanal_e_Seguranca_alimentar_Como_esses_temas_estao_relacionados_e_quao_importante_e_a_soberania_dos_trabalhadores_da_pesca_diante_do_cenario_distopico. Acesso em: 31 jul. 23.

SANTOS, Marco Antônio Souza dos. A cadeia produtiva da pesca artesanal no estado do Pará: estudo de caso no nordeste paraense. Amazônia: CI & Desenv., Belém, vol.1, jul/dez. 2005.

VALENCIO, Norma. Pescadores do Rio São Francisco: a produção social da inexistência. São Carlos: RiMa, 2007.

VALENCIO, Norma. Da área de risco ao abrigo temporário: uma análise dos conflitos subjacentes a uma territorialidade precária. In: VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; GONÇALVES, Juliano (Orgs.). Sociologia dos Desastres – construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2009, p.34-47.

VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; GONÇALVES, Juliano (org.). Sociologia dos Desastres – construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2009.

WALTER, Tatiana. Novos usos e novos mercados: qual sua influência na dinâmica da cadeia produtiva dos frutos do mar oriundos da pesca artesanal? Tese de Doutorado em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade - ICHS, PPCS, UFRRJ, Rio de Janeiro, 2010.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 RURIS (Campinas, Online)

Downloads

Não há dados estatísticos.