Banner Portal
Uma árvore de muita autoridade
PDF

Palavras-chave

Buriti
Guimarães Rosa
Lévi-Strauss
Totemismo

Como Citar

FERNANDES, M. R. Uma árvore de muita autoridade : o buriti e o totemismo no sertão de Guimarães Rosa. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 13, n. 2, p. 199–221, 2022. DOI: 10.53000/rr.v13i2.17043. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/17043. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

A literatura fornece um campo fértil para a pesquisa sobre a relação do ser humano com a natureza. Escritores e pesquisadores, apesar da especificidade de seus trabalhos - a arte e a ciência - tem pontos em comum em relação à natureza das percepções e às experiências ambientais. A produção literária de Guimarães Rosa apresenta uma multiplicidade de significados de natureza, fruto de andanças, observações e vivências do autor, que trazem nas entrelinhas uma concepção e um profundo conhecimento sobre a flora, a fauna e a gente sertaneja. Este ensaio busca interpretar o “caráter” da palmeira buriti na poética do sertão de Guimarães Rosa, utilizando seus escritos, dados etnográficos e minhas próprias observações a respeito dessa árvore.

https://doi.org/10.53000/rr.v13i2.17043
PDF

Referências

BIZZARRI, Edoardo. João Guimarães Rosa: correspondências com seu tradutor italiano. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

CASTRO, Manuel Antonio. O homem provisório no grande Ser-Tão. Um estudo do Grande Sertão Veredas. Rio de Janeiro, 1976.

CASTRO, Alexandre José Amaro. O alívio das manhãs. 2005. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

CHEVALIER, Jean e GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. São Paulo: Editora José Olympio, 2012.

CUNHA, Manuela C. e ALMEIDA, Mauro B. (orgs.). 2002. Enciclopédia da floresta. São Paulo: Companhia das Letras.

EITEN, George. Vegetação do Cerrado. In: PINTO, Maria Novaes (org.). Cerrado: caracterização, ocupação e perspectivas. 2. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1993.

ELIADE, Mircea. Tratado de história das religiões. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FERNANDES, Mario Rique. Refazendo o sertão: o lugar do buriti (Mauritia flexuosa Lnn. F.) na cultura sertaneja de Terra Ronca - GO. (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável). Universidade de Brasília/Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2004.

LÉVI-STRAUSS, Claude e ERIBON, Didier. 2005. De perto e de longe – Claude Lévi-Strauss, Didier Eribon. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O totemismo hoje. Lisboa: Edições 70, 1986.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O pensamento selvagem. 2. Ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O cru e o cozido. (Mitológicas v. 1). São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LORENZI, Harri. et al. Palmeiras brasileiras e exóticas cultivadas. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2004.

MACHADO, Ana Maria. O recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome de seus personagens. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

MEYER, Mônica. Ser-tão natureza: a natureza em Guimarães Rosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

PIO CORREA, Manoel. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas cultivadas. v. 1. Brasília: Ministério da Agricultura, 1931.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

ROSA, João Guimarães. Noites do sertão: corpo de baile. 9. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

SCHETTINO, Marco P. F. Espaços do sertão. Dissertação (Mestrado em Antropologia). Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Antropologia, Universidade de Brasília, Brasília, 1995.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 RURIS (Campinas, Online)

Downloads

Não há dados estatísticos.