Diversidade, ocorrências e distribuição de ressurgências criativas de assembleias multiespécies entre ruínas de uma ilha subtropical

uma etnografia

Autores

  • Ivan Tadeu Gomes de Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v14i1.17030

Palavras-chave:

Antropologia da paisagem, Mar, Pesca

Resumo

O ensaio que segue busca refletir sobre a paisagem como categoria e interlocutora etnográfica no campo da Antropologia no contexto do Antropoceno. Incialmente buscamos apresentar, a partir de um brevíssimo relato etnográfico, os conceitos e perspectivas analíticas que nos inspiram. Em seguida, tratamos de descrever os eventos histórico-político-culturais que imprimiram e imprimem digitais nítidas na paisagem pesquisada: a saber, a Baía de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Por fim, levamos o ensaio para passear por histórias etnográficas de relações multiespécies coletadas ao longo do campo realizado entre 2017 e 2020, a fim de ilustrar uma urgência: de que já não basta preservar, é preciso recuperar; e que à essa tarefa, é preciso mais que dar ouvidos aos habitantes – humanos e não humanos – dessa paisagem: é preciso reconhecer atentamente seus saberes e suas estratégias de ocupação de ruínas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Tadeu Gomes de Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina e Técnico Administrativo em Educação

Referências

ABU-LUGHOD, Lila. 2018. A escrita contra a cultura. Equatorial 5(8): 193-226.

ALMEIDA, Mauro. Caipora e outros conflitos ontológicos. Revista Antropológica da UFSCar, v.5, n.1, p. 7-28, 2013.

BARBOSA, Gabriel C.; DEVOS, Rafael V.; VEDANA, Viviane. Paisagens como panoramas e ritmos audiovisuais: percepção ambiental da pesca da tainha. Revista GIZ (Online), v.1, n.1, p. 41-58, 2016.

BORGO, D. et al. Os padrões de distribuição dos peixes de uma laguna costeira aberta no Atlântico Oeste subtropical são influenciados pelas variações espaciais e sazonais? Biotemas, 28(3), setembro de 2015.

CARTAGENA, Betriz F. C. Estrutura e distribuição espaço-temporal da assembleia de peixes na região do Saco dos Limões, baía Sul – Florianópolis/SC. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologia Ambiental) Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí – SC, 2008.

DECARLI, Juarez C. Efeito da urbanização sobre as comunidades de macroinvertebrados aquáticos em uma ilha subtropical. Dissertação (Mestrado em Ecologia) Centro de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis-RJ: Ed. Vozes. 1998.

DELEUZE, G. Kafka: Por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

GALERA, Daniel. 2019. Ondas catastróficas. Serrote 32: 208-223: https://www.revistaserrote.com.br/2019/10/ondas-catastroficas-por-daniel-galera/

GARCIA, Amanda Veloso. Contribuições da abordagem ecológica no entendimento da relação ser humano/ambiente: os problemas de uma abordagem racionalista do conhecimento. Clareira, v. 3, n. 1, 2016.

GIBSON, James J. The ecological approach to visual perception. Classic Edition, Psychology Press, 2014.

HARAWAY, Donna. O manifesto das espécies de companhia: cães, pessoas e a outridade significante. Trad.: Sandra Michelli da Costa Gomes. In: Chicago: Prickly Paradigm Press, 2003.

INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Trad. Fábio Creder. Rio de Janeiro: Vozes, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Cia das Letras. 2019.

LEFEBVRE, Henry. O direito à cidade. São Paulo: Moraes, 1991 (p1-26).

LEITE, R. Proença. Contra-usos e espaço público: notas sobre a construção social dos lugares na Mangetown. Revista Brasileira de Ciências Sociais – Vol.17n. 49 (p.115-172), 2002.

MARTINS, I. M. Conhecimento ecológico de pescadores artesanais sobre peixes de interesse comercial: contribuições para o manejo e conservação na baía de Tijucas, SC. Dissertação (Mestrado em Ecologia) – Centro de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2012.

MOREIRA, Matheus C. Diversidade, ocorrência e distribuição da fauna de invertebrados demersal das baías Norte e Sul de Florianópolis (SC), Brasil. Dissertação (Mestrado em Ecologia) Centro de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

NODARI, Alexandre. A literatura como antropologia especulativa. Revista da ANPOLL (Online), v. 1, p. 75-85, 2015.

SAER, Juan José. O conceito de ficção. Tradução de Joca Wolff. Sopro, 15, p. 1-4, 2009.

SANTOS, Paulo César. Espaço e memória: o aterro da baía Sul e o desencontro marítimo de Florianópolis. Dissertação (Mestrado em História) Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1997.

SIMMEL, Georg. A ponte e a porta. Tradução de Simone Maldonado: Revista Política e Trabalho nº 12, p. 05-09, 1996.

STENGERS, Isabelle. No tempo das catástrofes. São Paulo: CosacNaif. 2015

TSING, Anna. The mushroom at the end of the world: on the possibility of life in capitalist ruins. Reino Unido: Princeton University Press.

TSING, Anna. Viver nas ruinas: paisagens multiespécies no Antropoceno. Brasília: IEB Mil Folhas, 2019.

TSING, Anna; GAN, Elaine. How things hold: a diagram of coordination in a Satoyama Forest. Social Analisysm v. 62, issue 4, winter 2018.

TSING, Anna; MATHEWS, Andrew; BUBANDT, Nils, Patchy Anthropocene: Landscape Structure,Multispecies History, and the Retooling of Anthropology. Current Anthropology, Volume 60, Supplement 20, 2019.

UEXKÜLL, Jacob von. Dos animais e dos homens: digressões pelos seus próprios mundos. Trad. Alberto Candeias e Aníbal Garcia Pereira. Lisboa: Livros do Brasil, 1982.

Downloads

Publicado

2022-08-05

Como Citar

OLIVEIRA, I. T. G. de. Diversidade, ocorrências e distribuição de ressurgências criativas de assembleias multiespécies entre ruínas de uma ilha subtropical: uma etnografia. RURIS (Campinas, Online), Campinas, SP, v. 14, n. 1, p. 133–163, 2022. DOI: 10.53000/rr.v14i1.17030. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ruris/article/view/17030. Acesso em: 30 set. 2022.