Banner Portal
Necessidade de sacarose no cultivo in vitro de bananeira (Musa spp)
e024002

Palavras-chave

Cultivo in vitro
micropropagação
banana
meio de cultivo
fonte de carbono
sacarose

Como Citar

HENRIQUE CONDELA GUAMBE, Belton; MULIMA, Eduardo Pinto; MANUELA DE FRANCA BETTENCOURT, Gisela. Necessidade de sacarose no cultivo in vitro de bananeira (Musa spp). BioEns@ios, Campinas, SP, v. 2, n. 00, p. e024002, 2024. DOI: 10.20396/bioe.v2i00.18561. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/bioe/article/view/18561. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

O cultivo de plantas in vitro é uma tecnologia que vem ganhando espaço em várias áreas do saber, desde a produção de fármacos, o melhoramento genético até a micropropagação de espécies de difícil multiplicação convencional. O meio de cultura é um elemento essencial para o alcance dos objetivos do cultivo in vitro e para a micropropagação de espécies vegetais, e dentre os componentes do meio de cultura, as fontes de carbono adicionadas ao meio de cultura são determinantes para o desenvolvimento dos explantes. O objetivo deste trabalho foi avaliar o cultivo in vitro da banana (Musa spp), da cultivar Banana maçã em diferentes concentrações de sacarose, como fonte de carbono para seu desenvolvimento. Os cultivos foram realizados tendo como explantes rizomas de bananeira, do tipo chifrinho, cultivados em frascos contendo 40 mL de meio de cultura Murashige e Skoog (MS), complementado por reguladores vegetais a 4 mL L-1 de Benzilaminopurina (BAP) e 175 µL L-1 de Ácido indol-3-acético (AIA) em diferentes concentrações de sacarose (0, 10, 20 e 30 g L-1), com o pH 5.8. O desenho experimental usado foi o delineamento completamente casualizado, com quatro tratamentos e oito repetições. Todos os dados coletados foram analisados e na comparação de médias foi usado o teste de Duncan à 5% de significância. O meio de cultura com 30 g L-1 de sacarose causou o maior número de brotações, folhas e altura de plantas, todavia foi o meio mais propenso à contaminação. Portanto, há necessidade de se incorporar ao meio de cultura bactericidas e fungicidas para um controle efetivo de contaminantes. Observou-se perda de vigor de crescimento nas plantas de todos os tratamentos 30 dias após o início do cultivo in vitro, o que deve estar relacionada à oxidação dos explantes ou à ausência de renovação do meio de cultura.

https://doi.org/10.20396/bioe.v2i00.18561
e024002

Referências

AGRA, P. F. M. et al. Efeito de ambientes e concentrações de sacarose na contaminação in vitro de violeta africana. Tecnologia & Ciência Agropecuária, v. 4, p. 43-47, 2009.

CARVALHO, A. C. P. P.; JESUS, A. A.; SANTOS, E. O. Produção de Mudas Micropropagadas de Bananeira. Embrapa Agroindústria Tropical (Circular Técnica 37), Fortaleza, p. 14, out 2012.

DA CRUZ CABRAL, L.; FERNÁNDEZ PINTO, V.; PATRIARCA, A. Application of plant derived compounds to control fungal spoilage and mycotoxin production in foods. International Journal of Food Microbiology, v. 166, n. 1, p. 1-14, ago 2013. DOI: 10.1016/j.ijfoodmicro.2013.05.026.

DIGNART, S. L. et al. Luz natural e concentrações de sacarose no cultivo in vitro de Cattleya walkeriana. Ciência e Agrotecnologia, 33, p. 780–787, mai/jun 2009. DOI:10.1590/s1413-70542009000300017.

DAVIS, T. D.; HAISSIG, B. E.; SANKHLA, N. (ed.) Adventitious Root Formation in Cuttings. Advances in Plant Sciences Series. Volume 2. Biologia Plantarum, v. 33, n. 114, 1991. DOI: 10.1007/BF02897787.

ENOKI, S.; TAKAHARA Y. Application of a modified MS medium for tissue culture with cutting in Phalaenopsis – Comparison with other conventional media with regard to the survival rate and varietal differences in cultural characteristics. Shokubutsu Kankyo Kogaku, v. 26, n. 2, p. 109–117, jun 2014. DOI: 10.2525/shita.26.109.

FERREIRA, N. R. Micotecnologia aplicada à produção de 5-hidroxi-2-hidroximetil-γ-pirona: uso potencial na indústria de alimentos. Dissertação de mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos), Centro Tecnológico, Universidade Federal do Pará. Belém, p. 101. 2006.

FIORAVANÇO, J. C. Mercado mundial de banana: produção, comércio e participação brasileira. Informações Econômicas, v. 33, n. 10, p. 54-57, out 2003.

JUSTINE, A. K.; KAUR, N.; SAVITA, PATI P. K. Biotechnological interventions in banana: current knowledge and future prospects. Heliyon, v. 8, n. 11, e11636, 2022. DOI: 10.1016/j.heliyon.2022.e11636.

MEHBUB, H. et al. Tissue Culture in Ornamentals: Cultivation Factors, Propagation Techniques, and Its Application. Plants (Basel), v. 11, n. 23, 3208, nov 2022. DOI: 10.3390/plantas11233208.

MURASHIGE, T.; SKOOG, F. A Revised Medium for Rapid Growth and Bio Assays with Tobacco Tissue Cultures. Physiologia Plantarum, v. 15, n.3, p. 473-497, 1962. DOI: 10.1111/j.1399-3054.1962.tb08052.x.

NYCHAS, G. J.; PANAGOU, E. Microbiological spoilage of foods and beverages. Food and Beverage Stability and Shelf Life, p. 3-28. 2011. DOI: 10.1016/B978-1-84569-701-3.50001-3.

NAUE, C. R.; BENITIZ, L. B.; MEDEIROS, C. V. Eliminação de contaminantes microbianos da cultura de tecidos de Nicotiana tabacum L. In: XVI Congresso Iniciação Científica, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Resumos. Pelotas, Brasil. p. 1-5., 2007.

NICOLOSO, F. T. et al. Efeitos de doses e fontes de carboidratos no crescimento de ginseg brasileiro cultivadas in vitro. Ciências Agrotecnologia, v. 27, n.1, p. 84 – 90. 2003. DOI: 10.1590/S1413-70542003000100010.

PERREIRA, W. J. et al. Estabelecimento in vitro de bananeiras em diferentes meios de cultura submetidos a agentes antioxidantes. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 1, p. 4973-4984, 2020. DOI: 10.34117/bjdv6n1-359.

QUISEN, R. C., MARI, A. O., LOPES, C. O. Propagação in vitro de bananeira cultivar Prata Zulu. Revista de Ciências Agrárias, n. 42, p. 213-220, jul/dez 2004.

RIBEIRO, J. M. et al. Efeito do melado de cana-de-açúcar no desenvolvimento in vitro de bananeira (Musa spp.) cv. maçã. Revista Ceres, v. 59, n.3, p. 293-298, 2012. DOI: 10.1590/S0034-737X2012000300001.

RIQUELME, C.; GUIÑAZÐ, M. E.; TIZIO, R. Preacondicionamiento y aclimatación, em condiciones d invernáculo de plântulas micropropagadas de frutilla, menta, papa y vid. Pyton, v. 52, n. 1, p. 73- 82, 1991.

SANTOS, L. R. R. et al. Sobrevivência de plantas durante a fase de aclimatização na micropropagação de pimenteira-do-reino. In: II Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos, Brasil. p. 1-4., 2012.

SIQUEIRA, D. L. et al. Micropropagação da bananeira 'Maçã', cultivada in vitro em diferentes volumes de meio líquido. Revista Ceres, v. 60, n.6, p. 745–751, nov/dez 2013. DOI: 10.1590/S0034-737X2013000600001.

TORRES, F. J. B. et al. Efeito de diferentes concentrações de sacarose na germinação in vitro de tomateiro (lycopersicon esculentum var. Santa clara). In: X Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, Universidade do Vale do Paraíba. p. 1016 – 1018, 2006.

UTINO, S.; CARNEIRO, I.F.; CHAVES, L.J. Crescimento e oxidação de explantes de bananeira prata (Musa AAB) in vitro: IV concentrações de sais, ácidos ascórbicos e frequência de subcultivos. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 23, n.2, p. 409-412, 2001.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 BioEns@ios

Downloads

Não há dados estatísticos.