Explorando a organização das maternidades para o enfrentamento da pandemia COVID-19
Capa créditos: Gildenir C. Santos (Canva)
PDF

Palavras-chave

Maternidades
Infecções por coronavírus
Assistência integral à saúde da mulher

Como Citar

1.
Silva MP e, Mussarelli YF, Zambrano Érika, Bento SF, Pacagnella R de C. Explorando a organização das maternidades para o enfrentamento da pandemia COVID-19. CCFEU [Internet]. 30º de novembro de 2022 [citado 1º de março de 2024];(2):e20224786. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/ccfenf/article/view/4786

Resumo

Introdução: A COVID-19 é uma doença respiratória viral grave. Ainda há muito o que se descobrir, inclusive sobre todos os desdobramentos possíveis em gestantes, puérperas e recém-nascidos. O vírus pode ocasionar complicações na gravidez, aumentando o risco de morte materna e neonatal, além de afetar negativamente os serviços de saúde reprodutiva. Objetivos: Compreender como os profissionais de saúde e maternidades se preparam para o enfrentamento ao COVID-19 em relação aos cuidados prestados às mulheres e seus bebês durante o pré-natal, parto e pós-parto. Método: Estudo qualitativo, participaram do estudo 64 hospitais de diferentes partes do Brasil, 46 deles fazem parte do estudo Nascer Brasil 2, localizados no interior de São Paulo. O estudo teve uma amostragem proposital, não aleatória e a seleção das maternidades foi feita com base nas parcerias existentes com os pesquisadores. As entrevistas foram gravadas e posteriormente transcritas literalmente. As informações foram lidas e organizadas em categorias de análise. Resultados: Foram convidadas 10 maternidades, 6 delas aceitaram participação, 4 recusaram, 2 foram consideradas perdidas, após o envio de quatro e-mails enviados e sem resposta. Os hospitais que participaram eram hospitais com atendimento SUS, particulares/conveniados e mistos com atendimento SUS/particular. Ao olhar para os dados sob a óptica da primeira e segunda onda da pandemia covid-19 elaborou-se a categorias temáticas: Comitê de Enfrentamento e Medo. Conclusão: Na observação da primeira para a segunda onda observar o impacto nos profissionais que com o passar dos dias foram sendo capacitados a medida que se chegavam informações e eram vacinados conforme a disponibilidade das vacinas, já se sentiam mais seguros para prestar o cuidado necessário, principalmente na segunda onda, onde as características do COVID-19 eram mais graves, e traziam um maior impacto nas gestantes, muitas foram a óbito deixando famílias desestruturadas.

https://doi.org/10.20396/ccfenf220224786
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Marianna Pereira e Silva, Yonara Franco Mussarelli, Érika Zambrano, Silvana Ferreira Bento, Rodolfo de Carvalho Pacagnella

Downloads

Não há dados estatísticos.