Explorando a organização das maternidades para o enfrentamento da pandemia COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ccfenf220224786

Palavras-chave:

Maternidades, Infecções por coronavírus, Assistência integral à saúde da mulher

Resumo

Introdução: A COVID-19 é uma doença respiratória viral grave. Ainda há muito o que se descobrir, inclusive sobre todos os desdobramentos possíveis em gestantes, puérperas e recém-nascidos. O vírus pode ocasionar complicações na gravidez, aumentando o risco de morte materna e neonatal, além de afetar negativamente os serviços de saúde reprodutiva. Objetivos: Compreender como os profissionais de saúde e maternidades se preparam para o enfrentamento ao COVID-19 em relação aos cuidados prestados às mulheres e seus bebês durante o pré-natal, parto e pós-parto. Método: Estudo qualitativo, participaram do estudo 64 hospitais de diferentes partes do Brasil, 46 deles fazem parte do estudo Nascer Brasil 2, localizados no interior de São Paulo. O estudo teve uma amostragem proposital, não aleatória e a seleção das maternidades foi feita com base nas parcerias existentes com os pesquisadores. As entrevistas foram gravadas e posteriormente transcritas literalmente. As informações foram lidas e organizadas em categorias de análise. Resultados: Foram convidadas 10 maternidades, 6 delas aceitaram participação, 4 recusaram, 2 foram consideradas perdidas, após o envio de quatro e-mails enviados e sem resposta. Os hospitais que participaram eram hospitais com atendimento SUS, particulares/conveniados e mistos com atendimento SUS/particular. Ao olhar para os dados sob a óptica da primeira e segunda onda da pandemia covid-19 elaborou-se a categorias temáticas: Comitê de Enfrentamento e Medo. Conclusão: Na observação da primeira para a segunda onda observar o impacto nos profissionais que com o passar dos dias foram sendo capacitados a medida que se chegavam informações e eram vacinados conforme a disponibilidade das vacinas, já se sentiam mais seguros para prestar o cuidado necessário, principalmente na segunda onda, onde as características do COVID-19 eram mais graves, e traziam um maior impacto nas gestantes, muitas foram a óbito deixando famílias desestruturadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marianna Pereira e Silva, Universidade Estadual de Campinas

Graduanda em Enfermagem na Faculdade de Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas.

Yonara Franco Mussarelli, Universidade Estadual de Campinas

Mestranda em Tocoginecologia da Universidade Estadual de Campinas. Enfermeira Obstétrica da Santa Casa de Mogi Guaçu.

Érika Zambrano, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Medicina na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Professora Doutora da Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Silvana Ferreira Bento, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Tocoginecologia pela Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora do Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas da Universidade Estadual de Campinas.

Rodolfo de Carvalho Pacagnella, Universidade Estadual de Campinas

Livre-Docente pela Universidade Estadual de Campinas. Professor Associado do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas.

Downloads

Publicado

2022-11-30

Como Citar

1.
Silva MP e, Mussarelli YF, Zambrano Érika, Bento SF, Pacagnella R de C. Explorando a organização das maternidades para o enfrentamento da pandemia COVID-19. CCFEU [Internet]. 30º de novembro de 2022 [citado 1º de fevereiro de 2023];(2):e20224786. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/ccfenf/article/view/4786

Edição

Seção

Processo de Cuidar em Saúde e Enfermagem da Mulher, Criança e Adolescente